quarta-feira, 14 de janeiro de 2004

Reforços de Inverno - Jorge Maia in "oJogo"

Não podia estar mais de acordo. Por isso aqui vai o comentário do Jorge Maia:
"Há coisas que não fazem sentido separadas. O que seria do pingue sem o pongue, do vice sem o versa ou do rés sem o chão? Impensável, não é? Ora, o FC Porto sem Jorge Costa e Vítor Baía é mais ou menos a mesma coisa. Lembram-se do FC Porto quando Baía foi para o Barcelona? Lembram-se do FC Porto quando Jorge Costa foi para o Charlton? Faltava-lhe qualquer coisa, como uma flor de plástico, que tem a forma de uma flor, mas a que falta o perfume e a graça. Os dois "capitães" portistas são como a Taça UEFA conquistada em Sevilha, a Taça dos Campeões Europeus ganha em Viena ou a Taça Intercontinental arrebatada em Tóquio. São como os 19 campeonatos, as 12 Taças de Portugal e as 13 Supertaças do FC Porto. Jorge Costa e Vítor Baía são património inalienável do clube e é por isso que as renovações de ambos eram pouco mais do que uma questão de tempo. Um tempo marcado pelo relógio de Pinto da Costa e por nenhum outro, como o próprio fez questão de frisar aquando do anúncio público da contratação de Maciel e Carlos Alberto. O presidente do FC Porto nunca negou a inevitabilidade da renovação de dois dos maiores símbolos do clube, apenas reservou para si próprio a definição do momento mais oportuno para o fazer. Antes dele, outros - José Mourinho, Silvino e Costinha, por exemplo - acharam oportuno considerar essa renovação mais ou menos inevitável numa espécie de tributo à importância de dois jogadores que são maiores que os papéis que representam na equipa. Se as grandes diferenças se cavam nos pequenos detalhes, a unidade do balneário portistas, sustentada em grande parte no carácter de jogadores como os dois "capitães", pode ser decisiva para as contas que se vão fazer no final da temporada e para os jogos que se avizinham. Depois, se dois jogadores tão influentes como Jorge Costa e Vítor Baía aceitam receber menos dinheiro para jogar futebol no FC Porto, seria um disparate não aproveitar a oportunidade. É que às vezes, os grandes reforços encontram-se dentro de portas... "

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.