terça-feira, 26 de maio de 2009

Boas memórias (a cores)...


Madjer no momento do calcanhar mágico da 1ª Taça dos Campeões Europeus, em 27 de Maio de 1987


A equipa no momento de receber a 2ª Taça da Liga dos Campeões Europeus, em 26 de Maio de 2004

As minhas memórias são tão recentes que além de eu já ser nascido, a televisão já era a cores, bem como as fotografias. Eu até ainda sei as datas das finais de cor e sou péssimo em memorizar datas! E as tuas? :)

Faz hoje apenas 5 anos que o FC Porto voltou a surpreender. Tão pouco tempo passou e tão fortes são ainda as memórias, até porque alguns dos jogadores ainda aí andam: uns no clube (Pedro Emanuel e Nuno a jogar e Vitor Baia a dirigente) e outros por paragens diversas, Portugal e Estrangeiro.

Amanhã fazem 22 anos que conquistamos o topo da Europa pela primeira vez, em Prater, e com que jogo e golo. Ainda parece que estou a ver o Futre a fintar tudo e todos que lhe apareceram à frente e atirar uns centimetros ao lado do poste, numa jogada de antologia que merecia o golo. E depois, quem não se recorda do sublime calcanhar do Madjer? A minha infância foi muito mais feliz com esse triunfo, tinha eu os meus 14,5 anos de idade...

E ver hoje que no historial da prova desde que foi instituida a Liga dos Campeões (1991-92, vencida pelo Barcelona) o FC Porto é uma das poucas equipas fora das 4 grandes potências (Itália, Espanha, Alemanha e Inglaterra) que conseguiram vencer - para além do FC Porto, só o Ajax e o Marselha se intrometeram ainda nos primórdios da competição, nas 2ª e 4ª edições e este milénio apenas o FC Porto conseguiu essa proeza - e isto diz, de facto, muita coisa!

E a parte melhor, é que analisando a forma como o FC Porto tem gerido os seus planteis anualmente e a maioritariamente acertada escolha de jogadores e treinadores (há falhas, como é evidente, mas os resultados são positivos) e da forma como a equipa se apresenta nesta competição, acredito e tenho fé que antes de ultrapassarmos os lampiões em campeonatos nacionais (o que já não falta muito, daqui a uns 10 anos a gente fala...) ainda os vamos ultrapassar em Taças/Liga dos Campeões Europeus conquistados... E todas a cores! É fezada minha que me dá nestas datas especiais...

segunda-feira, 25 de maio de 2009

FIM DE LINHA...

Terminou ontem mais um campeonato...
Um campeonato um pouco mais complicado que o ano passado, mas que naturalmente pendeu para o nosso clube.
Ontem o jogo foi fraco, muito fraco, para não dizer fraquíssimo. Em dia de festa o resultado pouco importava, mas no entanto nas bancadas notava-se uma vontade de vencer, bem como dentro do campo os jogadores bem o tentaram nos instantes finais do jogo. Não era preciso e como tal, não falaremos mais do jogo que, para todos os efeitos, não contava para nada.

Abre-se agora novo "dossier", o da final da Taça de Portugal a jogar na Capital do Império. Domingo lá faremos nova invasão ao Estádio Municipal de Oeiras para trazer mais uma jarreta de flores.
Sou-vos sincero... Apenas lá vou porque adoro passear o azul-e-branco na capital do Império. De resto, eles deveriam era ter o Estádio vazio, apara aprenderem a não brincar connosco...

quinta-feira, 21 de maio de 2009

A vencer desde pequeninos

As palavras são do jornalista TOMAZ ANDRADE d'O Jogo, e dizem tudo. Ainda agora estão a começar o convivio entre os mais velhos e já trazem com eles o "bichinho" de jogar para ganhar, sempre. É disto que nós gostamos, é disto que se fazem os futuros campeões...

"O aquecimento das equipas foi feito ao som do hino oficial da Liga dos Campeões, mas nada de confusões, porque o futebol apresentado pelo FC Porto e pelo Mafra na final da Liga Intercalar não conseguiu passar da mediocridade, não agradando aos cerca de quatro mil espectadores que se deslocaram à Maia. O jogo chegou ao fim sem golos e foi no desempate por grandes penalidades que a equipa portista conseguiu agarrar o troféu, conquistado pela primeira vez.

Há, contudo, uma série de factores que justificam o nulo e o mau futebol. A equipa do FC Porto está em formação, sendo constituída unicamente por jovens, muitos deles ainda sem idade de profissionais. Ainda assim, Ventura, na baliza, e Rabiola, no ataque, tentaram emprestar alguma qualidade ao jogo e conseguiram-no a espaços. O Mafra, a equipa-sensação ao longo da prova, começou bem, tendo mesmo algumas oportunidades de golo, mas progressivamente baixou de rendimento e o FC Porto passou a controlar as operações a partir da meia-hora. Diarra foi o primeiro a criar perigo, com um cabeceamento que Ventura defendeu, e alguns minutos depois o guarda-redes portista voltou a dar nas vistas ao parar um remate de Vieirinha, claramente a melhor unidade do Mafra. Depois vieram as oportunidades desperdiçadas por Rabiola, que conseguiu superiorizar-se longe da área, ao sair bem das marcações, mas sem sucesso quando teve o guarda-redes do Mafra pela frente. A segunda parte foi toda do FC Porto, outra vez com Rabiola a revelar-se perdulário, mas foram Alex e Paulo Renato que quase deram a vitória ao Mafra em duas jogadas perigosas. Nos penáltis, o FC Porto foi mais forte, com Ventura a defender dois.


FC Porto 0 - Mafra 0
Estádio Prof. Dr. José Vieira de Carvalho

Árbitro Jorge Sousa (AF Porto)

Ventura, Bosingwa (Ricardo 67), Roberto, Adboulaye, Massari, Lucas, Cardoso (Alex, 78'), Ramon, Rabiola, Miguel (Claro, 46') e Chula (Victor, 65').

Treinador Rui Barros

Colaço (Márcio Santos, 46'), Eduardo Simões, Coelho (Paulo Renato, 70'), João Meira (Malá Sano, 46'), Éder, Ricardo Correia, Tiago Silva (Rúben, 52'), Élio Wilson, Bonifácio (Ernesto, 46'), Diarra e Vieirinha.

Treinador Rui Gregório

n ao intervalo 0-0

* 6-5 decidido por marcação de penáltis: Lucas, Adboulaye, Massari, Victor, Bosingwa e Rabiola (FC Porto); Paulo Renato, Vieirinha, Élio Wilson, Rúben e Malá Sano (Mafra)

amarelos 31' Bosingwa, 45' Miguel, 57' Roberto, 61' Rabiola, 83' Ricardo Correia"


E já agora, parece que vem aí mais um bom central:

"A ESTRELA

ABDOULAYE
Da escola de centrais que é o Dragão este é o aluno mais bem qualificado.

É uma tradição o FC Porto formar bons centrais e Abdoulaye parece ser o último nome dessa linhagem. É alto e rápido, características a que junta uma boa capacidade de ter a bola nos pés. Por várias saiu da sua zona com a bola controlada. A defender, que é o que mais interessa, mostrou bom posicionamento e leitura de jogo, antecipando-se aos adversários. Mas também é claro que ainda está em formação e não deve esquecer que não ganhou nada até agora."

quarta-feira, 20 de maio de 2009

6 finais memoráveis

É a UEFA quem o diz, a nossa final de 2003 contra o Celtic, disputada em Sevilha, é uma das melhores 6 finais (e a última, por sinal) e que merecem ser recordadas nos anais da história do futebol.

Diz a Uefa: "2003: Celtic FC 2-3 FC Porto
Estádio Olímpico de Sevilla, Sevilha
Foi um momento especial para o então futuro "special one". O FC Porto de José Mourinho teve de lutar muito para levar a melhor sobre o Celtic, que recuperou duas vezes de desvantagem. Derlei decidiu o encontro com um "golo de prata" aos 115 minutos. O brasileiro tinha colocado o Porto em vantagem no período de compensação da primeira parte, mas o sueco Henrik Larsson empatou dois minutos após o reinício. Dmitri Alenichev recolocou o clube português na frente, mas Larsson voltou a ser rápido a responder e, três minutos depois, deu o empate aos escoceses, levando o jogo para prolongamento. O desafio seria decidido pelo melhor marcador da prova, com o 12.º golo de Derlei a dar o triunfo ao FC Porto
".



Mais uma vez em grande o nosso FC Porto. Um pequeno registo magistralmente escrito por MST para memória de todos sobre o momento do golo do Derlei: "Em Sevilha, eu estava sentado exactamente no enfiamento do ataque do FC Porto, durante a dramática segunda parte do prolongamento. Eu sabia que, para ganhar o jogo, dependeríamos quase necessariamente das forças e do talento do Derlei. E via-o, quase desfalecido, arrasado pelo esforço daquela primeira parte de campeão, onde o Porto fez todas as despesas do jogo, com 50º graus à sombra, enquanto o Celtic esperava pelo cansaço dos portistas para lançar o seu contra golpe, através desse fantástico Larsson. Quando o Marco Ferreira obrigou o guarda-redes do Celtic a defender uma bola para o lado e ela foi parar aos pés do Derlei, eu olhei e vi que, entre este e a baliza, havia ainda dois defesas do Celtic para ultrapassar. Julguei a missão impossível, constatando o estado de total desgaste do Derlei. Acho que só ele acreditou que era possível, quando rompeu direito ao golo e à vitória, fintando um adversário, tirando o outro do caminho e reunindo a reserva final de energias e de lucidez para encher o pé e rematar com força e colocação suficientes para tornar impossível a parada do guarda-redes adversário. É dos tais momentos do futebol que hão-de viver comigo para sempre, porque foi o resultado da vontade invencível, da garra e do talento de um jogador que, quanto maior é a pressão, quanto maior é a dimensão histórica do instante, maior é a fé e a determinação que revela — jogando não apenas para um jogo, nem sequer para uma final, mas verdadeiramente para a história."

Por último, mais uma dos jornalistas: o Adebayor usa o nome do FC Porto para justificar que o desagrado dos adeptos por se falar na sua saída não deveria acontecer por não ser culpa dele... Reparem que não se lembrou do Real Madrid, do Barcelona, do Bayern ou dos nossos queridos inimigos lagartos e galinácios. "Que culpa tenho eu se o FC Porto se interessa por mim"? E os jornalistas divulgam estas coisas...

E amanhã faz 6 anos que vencemos essa memorável final da Taça Uefa que hoje acaba com o FC Porto como único clube português que a venceu. E dos vencidos não reza a história, nem nas finais memoráveis...

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Mais um atropelado

E segue a rotina de ganhar, em casa ou fora, com uma 2ª volta excepcional e em particular nas partidas fora de casa, onde igualamos um velho record de 11 vitórias consecutivas.

Não fosse o desvario de Outubro e esta época tinha sido a papel químico da última, com 20 pontos de adianto...

Assim, enquanto a equipa vai recuperando fisicamente para a final da Taça, continua a fazer resultados esmagadores, atropelando o quase despromovido Trofense com um 1-4 que terá sido, até, modesto pois se o FC Porto tinha carregado no acelerador, não teria parado por ali.

Para memória futura, a grande exibição de Lisandro, autor de 2 golos e 1 assistência, jogando a 9,5 atrás do ponta de lança. Depois das alas, depois do centro do ataque, agora mostra qualidades a vir ao meio campo pegar no jogo e colocar a bola na frente. Se o FC Porto deixar sair o Lisandro, será o maior erro que comete desde há muito tempo. Lisandro é único, é uma peça essencial na equipa, luta, joga, faz jogar, marca e dá a marcar como nenhum outro na equipa. Continua a correr até depois do árbitro dar o jogo por terminado, é um lutador incansável. O Lisandro não só merece ser um dos mais bem pagos do plantel, como merece jogar no FC Porto como o Aloisio ou o Pedro Emanuel - até não poder mais, aos trinta e muitos de idade. Estes jogadores valem ouro pelo que fazem dentro de campo, pela energia e luta e entrega que dão. Não há muitos assim, não podemos perder este de jeito nenhum.

Faço por isso daqui o meu apelo à SAD para que se esforce em manter o Lisandro no plantel. Tenho a certeza que o Lisandro não quer sair por vontade própria, quer apenas que seja reconhecido o seu papel no plantel. E o papel dele é fundamental e merece receber o mesmo ou mais que o Bruno Alves, o Lucho ou o Cebola. É justo. Com Lisandro, somos favoritos ao penta. Sem Lisandro, será sempre mais difícil...

sábado, 16 de maio de 2009

Ops... (2)

Diabo... E eles insistem, agora vem o lagarto do levezinho resolver dizer que o "FC Porto foi um justo campeão"!

Isso é suspeito. Será o PdC a rondar o balneário do maior WC do mundo e a preparar-se para lhe entregar o contrato que o sebordem nunca mais lhe faz de renovação? Isto é suspeito...

E o nosso ex-Quaresma? Também ele esteve a festejar o tetra, em casa e na rua, e contente e a sentir que o título também era dele! Apesar de sempre se ter assumido lagarto, agora nutre pelo nosso FC Porto um sentimento assim grande e quer comemorar o penta, assumindo publicamente a ideia que o FC Porto é a melhor equipa!

Outra coisa suspeita! Estes jornalistas são uns malandros. Como conseguem eles por jogadores de adversários e outros cuja preferência clubistica não era o FC Porto a elogiar, dizer que tem mérito, justiça e coisas do género? Aqui há marosca, só pode! Então os apitos, a fruta, o café? Não é suposto ser escrito que é assim que o FC Porto ganha? Ai ai ai... tão baixo chegou o jornalismo...

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Mais 2 campeões?

Cheira-me que com esta convocatória desta semana (Andrés Madrid, Benítez, Bruno Alves, Farías, Fernando, Guarín, Hulk, Lisandro, Mariano, Nuno, Pedro Emanuel, Rabiola, Rodríguez, Rolando, Sapunaru, Stepanov, Tomás Costa e Ventura) e com a gestão do plantel para que na final da Taça a equipa se apresente nas melhores condições possiveis, vamos ter mais dois campeões este fim de semana na Trofa: Stepanov e Ventura.

Sobre Stepanov, nada mais há a dizer, tem desaproveitado as oportunidades que teve e muito provavelmente sairá - daí a entrada do Nuno André Coelho.

Sobre Ventura, este seria o momento ideal para lançar o jovem. Dois jogos sem qualquer pressão - ao contrário do que tem acontecido com os guarda-redes saídos das nossas camadas jovens, por exemplo o Hilário que tinha o fantasma do Baia e o próprio Baia que se estreou em 1989 em Guimarães a substituir os lesionados Mlynarzick e Zé Beto - e desta forma poderia ter mais uns minutos de rodagem que lhe permitissem mostrar ao treinador se na próxima época deveria ir rodar nalgum clube ou se deveria ser merecedor de uma aposta como a que foi feita em Fernando este ano.

Por último, o meu prognóstico sobre a novela do treinador: o Jesualdo fica para o ano no banco, mas sai para um cargo de gestão no final do próximo ano e entrará um treinador tipo Jorge Jesus (será ele mesmo?, que não me acredito que vá para os bermelhuscos e acho que andam a usar o nome dele para distrair atenções e desistabilizar o Braga no próximo jogo contra eles).
Sou sincero: treinadores em Portugal, neste momento, há 3 que me agradam, que é o Jesus (pela audácia táctica), o Manuel Machado (pela organização, metodologia e rigor táctico) e o Carvalhal (porque me caiu no goto, nem sei bem porquê, é fezada que podia fazer figura num clube como o nosso se lhe dessem essa oportunidade). Ao Jesualdo parece-me que um projecto de gestão das escolas do FC Porto (escolinhas e Dragon Force) e de olheiro para novos jogadores, em ligação estreita com o treinador principal, assentava como uma luva para final de carreira...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Ops...

Este jornalismo já não é o que era... E não é que há jornalistas que insistem em dizer que o FC Porto é o melhor? De facto, não se percebe...

Como é que há coragem de dizer que o FC Porto é o clube com mais titulos conquistados na Europa este milénio? E o apito dourado? E as grandes equipas dos lampiões que todos os anos são campeãs de Verão? Não, não é possível... Aliás, diria que quando o suspeito do costume já insinua que o Beiga-ex-presidente-da-casa-do-FCP-no-Luxemburgo é que deveria presidir ao aviário, está tudo dito sobre o grau 0 do jornalismo. Razão tem o Pacheco Pereira...

Para registo, ficam os números do Público:
1º - FC Porto - 16 troféus: 6 Campeonatos, 3 Taças, 4 Supertaças, 1 Liga dos Campeões, 1 Taça UEFA e 1 Taça Intercontinental
2º - Lyon - 15 troféus: 7 Campeonatos, 1 Taça, 1 Taça da Liga e 6 Supertaças
3º - Bayern - 13 troféus: 5 campeonatos, 4 Taças, 2 Taças da Liga, 1 Liga dos Campeões e 1 Taça Intercontinental

E já agora, o Pinto da Costa já conquistou mais campeonatos nacionais que o mítico Santiago Bernabéu do Real Madrid... E o Baia (ainda) é o jogador com mais titulos conquistados no currículo...

A continuar assim, nem que pusessem a Bial a produzir Kompensan durante uma época inteira havia produto nas farmácias para tanta azia dos 14.567.890 lampiões que existem em Portugal... Perdão, menos um que mudou ontem para o FC Porto em directo na SIC-Noticias...

Tetra-campeões



É tudo uma questão de hábitos, bons hábitos, e de números, fantásticos números.

24 títulos, 14 deles nos ultimos 20 anos, 2º tetra campeonato em 11 anos.

O hábito é incutido de pequenino, chama-se "ganhar, vencer" e qualquer adepto com 6 anos de idade sabe de cor essa palavra. Qualquer jogador novo mesmo antes de aprender os palavrões do costume, aprende estas palavras simples.



E é por isso que seguimos a festejar, quase ininterruptamente, títulos nacionais, europeus e mundiais. E a dar novos jogadores ao mundo da bola, ano após ano.

Este título é especial. Para alguns jogadores, como o Bruno Alves que soube superar-se e transformar-se no grande jogador que hoje é, o melhor central em Portugal e talvez um dos melhores do mundo. Para o Raul Meireles, a formiguinha do meio-campo, que destrói e constrói como nenhum outro, que faz rolar a bola, remata, finta, passa, é o motor do meio-campo. Para o Lucho, a classe, o estilo. Para o Licha, o jogador à Porto, antes quebrar que torcer, sempre o primeiro a defender, sempre pronto a atacar, sempre com pernas para mais uma corrida atrás de uma bola perdida para todos mas nunca para ele. Para o Cebola, que encarnou já a camisola do FC Porto como os mais veteranos, um grande extremo. Para todos os outros que souberam emprestar à equipa a sua força, juventude, experiência, sentido de colectivo e vontade de vencer.

Mas tambem é especial para o Jesualdo Ferreira, que se soube superar e superar os seus medos habituais e ser hoje um treinador de top - porque não se ajusta às outras equipas, são elas que se têm de ajustar a nós ou mostrarem-se superiores - e são assim as grandes equipas, só assim se fazem campeões.

Também especial para os dirigentes. Que mesmo manietados, perseguidos pela justiça bafienta e pelos periódicos mouros que tentam tirar o mérito das nossas vitórias em campo com palavras vãs e absurdas, conseguiram mais uma vez montar uma equipa vencedora e transmitir essa mística única a uma nova fornada de campeões.

E especial para os adeptos, para os mais de 50300 que lá estavam e para os mais de 50300 que lá queriam estar, como eu, mas que não puderam pois a vida os colocou bem longe daquele lugar mágico que foi o Dragão ontem.

Por último, um grande abraço ao Dragão que fez o post mais emocionante que li nos últimos tempos. Sei de quem falas. Sei que lá onde estiver a festejar, o estará a fazer com outros grandes Portistas que também lá estão. Este título também é deles todos!

TETRACAMPEÕES

video



Também é teu... Onde quer que o estejas a festejar...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Perdemos 20 milhões de Euros


Imagem Público

Desculpem insistir, mas entra pelos olhos dentro o mau negócio que foi a venda do Diego, um jogador jovem e com enorme potencial e presença regular na selecção principal do Brasil. Como também o foi a do Fabiano, mas para mim esta ainda foi mais escandalosa.

Podem argumentar que não foi o jogador que esperavam. Admito que poderia ter rendido ainda mais. Mas, acima de tudo, foi um mau negócio a sua venda.

No primeiro ano na Alemanha, foi "só" o melhor jogador do campeonato. Nos outros anos tem sido dos melhores jogadores e há muito referênciado por grandes clubes. Desta vez, parece que se consuma a transferência para a Juventus por 25 milhões de Euros... que poderiam ser nossos, com a vantagem de podermos ter visto o Diego com a nossa camisola durante este período de tempo.

Por isso, desculpem a insistência, mas essa eu não consigo engolir nem aceitar. O Diego é um grande futebolista, dos melhores que passaram pelo FC Porto. E a sua venda não só foi desajustada e mal negociada como quem continua a defender a sua saída não aceita dar o braço a torcer pelo erro que foi feito. Aqui neste blog nós sabemos aceitar que erramos e defender coisas diferentes se virmos o erro: exemplo maior é o Jesualdo, que temos defendido neste final de época e de quem até defendemos que renove e seja treinador na próxima época. Saibam, por isso mesmo, os criticos aceitar o erro da venda do Diego...

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Como a história mudou...

Um anónimo comentou o post anterior, reproduzindo um artigo datado de Outubro de 2008 e que agora eu reproduzo aqui:

Domingos Amaral, opinião em Record, Outubro 2008

"Caro Rui
Escrevo para te dizer obrigado. Há quantos anos, no Benfica, não havia disto? Uma semana em que não só ganhámos sem espinhas ao Sporting, como ainda eliminámos uma equipa italiana, na Luz, virando um resultado negativo? Coisas destas há muito que estavam longe de nós.Voltámos a ser um Benfica forte, e isso é muito importante.

E os parabéns, se são devidos a Quique Flores, à sua equipa técnica e aos jogadores, são-no em primeiro lugar devidos a ti, pela forma serena e profissional como constituíste o novo Benfica. Os últimos anos foram penosos para todos nós.

Luís Filipe Vieira tinha a cabeça no cepo, essa é que é essa. Mais um ano como o anterior, e seria impossível ele ficar como presidente. Mas, havias tu, um homem que percebe de futebol e ama o Benfica, uma conjugação rara e difícil de encontrar nos nossos dias. Começaste a trabalhar, de fato e gravata. Era estranho ver-te assim, não estávamos habituados. E as coisas ao princípio não pareciam ter mudado muito.

Houve as novelas Aimar e Luís Garcia, e outros episódios menores. Só que, por baixo do barulho, descobriu-se um rumo.

O Benfica tem hoje um homem com uma ideia clara de futebol – Quique – e um grupo muito forte de bons jogadores em quase todas as posições. Quando dizes que não ganhámos ainda nada, eu sorrio. Já ganhámos sim, Rui. Ganhámos dois grandes jogos, e vimos nascer um sorriso enorme nas caras dos nossos filhos, do meu e dos teus e dos outros miúdos. E isso é o futuro a sorrir, a acreditar que a glória será, um dia, de novo uma possibilidade. Obrigado por isso. "

Perguntava o anónimo se nós nos lembravamos dele.
E nós dizemos SIM. É o tal que neste Domingo já dizia isto:

Domingos Amaral

To: Rui Costa

Caro Rui Costa

Um dos piores hábitos que se criou no Benfica nas últimas décadas foi a necessidade de começar a falar em contratações para a próxima época antes da atual acabar. Mal as coisas começam a cheirar a esturro, inicia-se logo o processo de emocionar as pessoas com fantasias futuras. Com a tua chegada, pensei que as coisas podiam mudar. Esperei que não fossem lançados nomes para a praça quando a equipa ainda podia, mesmo que só teoricamente, chegar à Liga dos Campeões. Assim não foi.

Ele é Patric, ele é guarda-redes, ele é lateral-esquerdo negociado em público, enfim um forró de ilusões para fazer esquecer a desgraça que é o presente. E infelizmente, é uma desgraça. Depois de uma miserável prestação na Taça UEFA, e depois de dizer adeus ao título em casa, com duas impensáveis e patéticas derrotas com o Guimarães e com a Académica, agora foi a vez de dizer adeus ao segundo lugar.

Na Madeira, mais uma vez, a equipa desconjuntou-se, baralhada e confusa. Não se percebe o que ali se passa há vários meses, e cada vez parece mais que o que falta mesmo ao Benfica é um psicólogo que seja capaz de ajudar todos a vencer os seus fantasmas. Se, em vez de laterais ou guarda-redes, o Benfica contratasse um bom psicólogo, eu acreditava mais que para o ano seríamos melhores, com a força mental que sempre nos faltou nos últimos anos. Assim, bem podes berrar com árbitros, que não vamos a lado nenhum."

Mama lampião!!! Vai pedir ao Papá outro PARECER, VAI...

E está quase aí o tetra

Com a ajuda dos lagartos que não estudaram bem a lição e tropeçaram em Coimbra, estamos neste momento a curtos 3 pontos de revalidarmos o título pela 4ª vez consecutiva, marcando o nosso total dominio nesta década que está prestes a terminar.

O jogo de ontem foi marcado pelo golo madrugador, que permitiu ao FC Porto gerir o jogo a seu bel-prazer e de forma inteligente. Negativo o facto do Meireles se ter lesionado, mais uma dor de cabeça para resolvermos - ainda acabamos a época com juniores a titulares no meio campo...

O Cebola ontem esteve muito bem, como de resto esteve quase toda a equipa, e foi positivo ver que a saída do Meireles foi bem compensada por um Guarin muito arrumadinho tacticamente - apesar daqueles passes à Meireles terem deixado de existir em campo, ele tem uma visão de jogo muito boa e faz passes a rasgar as defesas que colocam na cara dos guarda-redes os nossos atacantes.

Assim, no próximo fim de semana poderemos comemorar o nosso titulo - e poderemos nem precisar de jogar para isso! É que os lagartos jogam sábado (21h00, com o Setubal) e se perderem somos automaticamente campeões... Por isso, domingo será dia de S. João...

Por último, ontem apanhei de relance aquele mouro de carapinha a dizer asneiras sobre o futebol na SIC-Noticias. A certa altura, fazia ele uma pergunta de interesse transcendental para o futebol nacional: foi Jesualdo quem deu mais ao FC Porto ou foi o FC Porto que deu mais ao Jesualdo? A resposta é clara e evidente: foi o FC Porto que deu ao Jesualdo o que ele nunca havia conseguido. Sem tirar o mérito do Jesualdo de ter dado ao FC Porto aquilo que ele precisava no momento em que chegou: uma liderança de balneário e estabilidade de processos ajustados ao plantel existente, permitindo assim valorizar o potencial das unidades em vez de as desperdiçar (como Adriaanse fez com Diego, Hugo Almeida e Postiga que os encostou) em teimas que eles não se ajustam ao seu modelo.

Domingo é dia de festa! Campeões, campeões, campeões seremos nós!

domingo, 3 de maio de 2009