quarta-feira, 7 de março de 2007

A minha visão da situação...

Em primeiro lugar queria desde já alertar que este meu post é feito com a paixão de portista que detesta a palavra perder. E não só detesta, como odeia.

Posto isto, traduzirei exactamente aquilo penso que se passou ontem...
Fui alertado pela equipa que iria entrar em campo via sms por um amigo Portista.
Logo aí não augurei nada de bom para o nosso Porto.
Porque não jogavamos da forma habitual, porque fizemos mudanças no esquema táctico mais rotinado e porque metemos jogadores, que enfim, já por várias vezes todos o dissemos, não têm categoria para jogar no Porto.

Não entramos mal, é verdade. Mas o não entrar mal significou que o adversário falhava passes e não conseguia explanar o seu jogo.
Raul Meireles, na primeira meia hora, não acertou um passe, Fucile fazia o corredor direito sozinho, Lisandro era obrigado a correr como um louco e Lucho complicava.
Mas eis que, numa jogada de contra-ataque bem delineada, pelos dois Argentinos e o Harry Potter, o Porto faz o golo.
E estava feito o mais difícil.
Alguns jogadores assentaram o seu jogo, caso do Raul Meireles (que reafirmo que não morro de amores por ele), bem como o Lucho parece que melhorou.

Mas sejamos verdadeiros. Será que foi por causa do jogo do Porto que estavamos a ganhar? Não, não me parece.
Isto porque não criamos ocasiões de golo na primeira parte de forma a por em sentido o adversário.
O que efectivamente aconteceu é que o adversário não atinava e nós até iamos aguentando a bola calmamente, como se impunha, mas criar perigo, nada.
Quaresma não tnha ajuda do lateral, vendo-se montanhas de vezes sozinho no meio de dois e três defesas. Lisando, idem, aspas, aspas.
E por aqui se ficou o Porto.
Valha a verdade que o Chelsea também poucas ocasiões criou, a não ser por uma assistência de Ricardo Costa a Robben na quina da área e uma perda de bola infantil do Quaresma.

É certo que se aquele golo, ou melhor, aquele frango não tem entrado naquela altura, poderiamos estar aqui a escrever sobre outra coisa. Mas o que é certo é que entrou e poderiam entrar outras, pois Helton falhou mais que uma vez. Helton nas alturas é completamente inseguro e, a maior parte das vezes, anda por lá a catar aranhas.
Já no fim-de-semana naquela soberba defesa que todos falam, tinha falhado no primeiro remate. No entanto todos o elogiaram pela segunda defesa.

Posto o golo, Jesualdo, contra o costume, resolve fazer duas substituições de uma assentada só. E mete Ibson e Adriano.
E penso que aqui errou. Errou porque tirou o Raul Meireles que defensivamente estava muito bem, bem como na pressão que efectuava sobre o meio campo do adversário, recuperando montanhas de bolas no círculo central e assim retirando um jogador com capacidade de remate de meia distância.
E errou porque continuou a manter um lateral que não ajudava no ataque, deixando Quaresma entregue a si próprio e às entradas duríssimas dos defesas.

E alguns bons pormenores de Ibson e capacidade de busca de bola de Adriano, pois andava perdido no meio dos centrais adversários, não conseguem esconder o facto de o Porto nunca mais ter tido um remate à baliza do adversário.

E por muito que me digam que o Porto perdeu com uma equipa melhor, apenas repito o que sempre digo: Isso é conversa de Lampião. Quantas vezes não ganhamos a estes monstros europeus? Quantas?
E estas vitórias são fruto do querer, da garra, da vontade que são transmitidas aos jogadores independentemente dos valores dos plantéis.
Esta é que é a verdade. E a esses eu pergunto. Quantas vezes ganhou o Porto a esses monstros europeus sempre que mudou tácticas e se apresentou com esquemas tácticos manhosos?
Lembram-se quando Robson inventou e meteu Aloísio a defesa esquerdo?

E esta é que é a mais pura das verdades e o resto é música...
Tudo oderia ser diferente se quisessemos e demonstrassemos maior ambição.
O meu Porto, aquele Porto que conheço bem, não se amedronta nem os seus adeptos se resignam pelo facto de os outros terem as vedetas todas.
Aquela ambição que o Harry Potter demonstrou no final do jogo, quando disse que o Campeonato é muito pouco para o Porto.

E impõe-se uma pergunta, pois sinceramente, há coisas que não se entendem.
Para que se foi às compras em Dezembro se nem sequer jogam, a não ser por acidente? Para que precisamos de ir comprar um defesa esquerdo, quando este passa para última opção, atrás da adaptação Fucile, Marec Chec, Ricardo Costa e quando o mesmo quando entra faz bons jogos e mostra que sabe o que é uma bola?

Para quê contratar um ponta de lança que nem sequer é convocado, pra quê? Tinha falta deles?
É que se era só para a Liga e para utilizar lá para os finais de Maios, que poupassem o nosso rico dinheirinho e o nestissem em fundos de investimento...

Agora resta-nos o campeonato...
Estarei sempre presente, como é meu timbre...
Mas agora dizerem-me que não posso criticar?
Só essa faltava. Sempre critiquei e é esse sentido crítico que me mantém vivo. É o facto de o futebol ser paixão que nos leva a critica...
É o facto de queremos mais para o nosso Porto que nos faz levantar a voz...

Por isso sofro tanto pelo Mágico Porto e por isso hoje estou com uma cabeça do tamanho de uma casa.
E peço a estes que me dizem que perdemos contra uma equipa que é muito melhor do que a nossa, que me respondam se hoje estão resignados ou fustrados?
Porque se há coisa com que nunca me resignarei, é com uma só derrota do Mágico Porto, seja contra quem for e em que circunstâncias for!!!

Porque ontem... aconteceu o seguinte:
"Quem teme ser vencido tem a certeza da derrota"

8 comentários:

MiguelMor disse...

Estou triste. Não tanto pla nossa derrota de ontem. Não tanto pelo frango (felizmente pouco habitual) do nosso Hélton. Estou triste com o que tenho lido aqui desde ontem. Talvez eu seja menos portista do que as pessoas que escrevem neste blog, mas não consigo ter uma opinião tão negativa e tão carregada de frustração como a vossa. Sabem que mais? Acho que se tivessemos feito estas exibições contra outra equipa qualquer o teor destes textos teria sido outro. Parece que a vontade de ganhar a Mourinho e provar que ele fez mal em deixar-nos era maior do que a vontade de passar aos quartos de final. E o facto de termos estado tão perto de o conseguir só aumenta a frustração daqueles que gostariam de ensinar uma lição a Mourinho. Não consigo pensar em termos tão revanchistas. Também sou daqueles que criticam uma mentalidade europeia demasiado defensiva (e o Jesualdo não foge a essas críticas) mas não acho que tivessemos nenhuma obrigação de ganhar a eliminatória. Pelo menos não tanto quanto um Barcelona ou um Inter. Esses sim, com os seus orçamentos milionários e as suas estrelas mundiais tinham obrigação de fazer melhor do que fizeram. Nós, o nosso Porto, tinha a obrigação de dignificar o seu emblema, o seu país, a sua história recente. Coisa que, no meu entender, fez e bem (basta ler a imprensa internacional). Esta equipa tem um futuro muito promissor à sua frente, se houver o empenho da direcção (talvez o grande problema do FCP agora) em fazer um esforço para manter os seus grandes jogadores. Tal como o fez na altura em que fomos vencedores da UEFA e da Champions. Acho que está na altura de sermos um pouco mais pacientes com esta equipa e dar-lhe tempo para crescer e adquirir maturidade competitiva a nível internacional (mesmo assim já se notou uma evolução enorme em relação ao ano passado). Não podemos falar como se ganhar a Champions fosse algo de muito simples e que só não é conseguido fruto da incompetência de quem trabalha. A equipa que nos deu tantas alegrias era única (ganharia sem problemas a este Chelsea e a quem se atravessasse no seu caminho) mas conseguiu o que conseguiu em circunstâncias muito especiais e, quiçá, irrepetíveis. Haja paci~encia e vontade de apoiar, nos momentos bons e nos momentos maus. Não é espezinhando a equipa quando esta perde e louvando-a só quando ganha que chegaremos longe. Isso é conversa de quem só gosta de ganhar para não ter de ouvir as bocas dos adversários. FCP SEMPRE!

O Dragao disse...

E quem é que espezinhou?
Eu não fui, com toda a certeza...

Zé Luís disse...

Caro dragão, tanta azia não justifica tantas asneiras. Discordar de tudo e de todos é típico de quem só se vê a marchar direito na parada em passo trocado do resto da tropa.
E mesmo sendo treinador de bancada, como todos nós, achar ter o direito de dizer tudo e mais alguma coisa por mim acho redutor. Tanto quanto falar sozinho.
Isto para lhe repetir que me parece exagerada a sua apreciação.
Não leve a mal.

tripeiro disse...

Foi o adeus à Liga dos Campeões!
Estou triste pelo resultado, mas não pela exibição.
O FC Porto mostrou à Europa que joga bem futebol, controlou a primeira parte do jogo de ontem, em casa de uma das mais fortes equipas do mundo! A equipa inicial foi diferente da habitual, mas compreende-se, uma vez que o adversário não é um qualquer.
Depois do tão aguardado golo de que precisavamos para seguir em frente...os portistas sonharam. O resto da primeira parte foi de controlo dos Dragões.
A equipa do Chelsea saiu para o intervalo debaixo de assobios e estava tudo do nosso lado para passarmos.
Mas na segunda parte as coisas não correram como queriamos.
Primeiro o Helton foi muito mal batido no golo do empate.
Jesualdo Ferreira ainda fez alterações, mas o Chelsea como já se esperava, que não queria o prolongamento, veio para cima de nós. Defendemos tudo, até ao minuto 76, quando Ballack marcou o segundo para os "blues".
A aprtir daí o Chelsea só trocou a bola enre si, à espera do apito final do árbitro.

Estou orgulhoso da maneira como jogámos, princpalmente nos primeiros 45 minutos. Agora temos de levantar a cabeça para conquistarmos o campeonato!!

Um Abarço,
Tripeiro
http://magicoporto.blogs.sapo.pt

Rui disse...

A apreciação do Dragão é na minha opnião "meia" correcta (a da 2ª parte do jogo). De facto na primeira parte o FCP fez um dos melhores jogos que me recordo (e vou a todos no Dragão). Se o Chelsea não jogou, falhou passes e poucas situações criou, muito teve de mérito a táctica montada pelo JF e a garra do meio-campo. Agora, porquê mudar o 4x4x2 que na primeira parte deu bons frutos? Mesmo com o golo do Chelsea, julgo que devia ter refrescado o meio-campo com Ibson para o lugar do Marek e ver o que dava. É notório que em 4x3x3 o FCP não tem nem meio-campo, nem linha avançada. O sistema não funciona, mas porquê insistir? Não está nas barbas...

O Dragao disse...

Caro Zé Luis,
Claro que não levo a mal, até porque a diversidade de opiniões é que nos leva a ficar mais fortes e mais sabidos.
No entanto não verifico onde bato em tudo e em todos.
Apenas fiz a minha análise ao jogo, que o fiz junto dos amigos que viram o jogo comigo durante o próprio jogo.
Entendo é que o Porto não fez o grande jogo que dizem, porque me pareceu que as falhas do adversário, na primeira parte, se deveram em parte à nossa equipa, quando assentamos, mas em parte a demérito deles. Esta foi a minha visão do jogo.
Relativamente às contratações há-de admitir que tenho razão...
E quanto ao facto de não termos rematado à baliza a mesma coisa, o que transformou o Chelsea numa equipa tranquila para atacar, pois sabia que não corria riscos atrás.
Mais nada.
E é verdade... Estou com uma grande azia...
Não consigo evitar. Se eu verificasse que não era possível, talvez não estivesse assim. Mas verifiquei que era, com outros meios.
Desculpem-me, mas é a minha visão da situação...

Rui Henriques disse...

É a primeira vez que comento neste blog e só tenho uma coisa a dizer em relação ao treinador pois a culpa é dele e não dos jogadores:

"QUEM TEM MEDO COMPRA UM CÃO"

zeca disse...

Mais uma vez um post a bater em tudo e todos. Agora é o Helton que é mau. Este blog que eu sigo há muito tempo já desde há muito que deixou de ser um blog portista para ser um muro das lamentações. Ou é o Co, ou Jesualdo ou o Pepe ou o Raul ou o Meireles. Se estamos a gnahra ao intervalo é demerito do Chelsea, se perdemos é culpa do Jesualdo. Ninguem fala da garra que os jogadores puseram em campo, da forma como um miudo uruguaio que ainda mal sabe o que é a CL secou o Robben, ou da dupla de centrais que se calhar éa melhor da prova. Ninguem fala do Paulo Assunção no meio campo e do que os jogadores correram e se esforçaram, numa atitude à Porto.
Mas pronto ou o Porto ganha sempre mesmo que isso signifique passar por equipas que gastam mais na dupla de avançados que nós no plantel inteiro ou então temos posts a falar mal de tudo e todos. Enfim....