quinta-feira, 1 de março de 2007

Breves

  1. Percebi agora a razão da onda de casos de doping nas hostes lampiónicas ( atenção que o ciclismo ainda só está a dar as primeiras pedaladas!!!) e da pressa do insigne kadhafi em procurar junto de quem é vermelho, (quer seja do governo quer da oposição), justificar o injustificável. Hoje, ao ler os títulos dos "desportivos"(???) e não só, hoje, ao ver os telejornais das privadas e não só, hoje ao ouvir as rádios lisboetas e não só, dei-me conta da origem do tal doping. Por que é que evidente frustração rima com presidente lampião? É só ver o que ele diz e os "papagaios" repetem! Se fizessem o controlo aos dirigentes desse clube apostava que também dava positivo. Pelo menos quanto ao álcool a "fama" já vem de longe!
  2. Ao ler hoje no JN o desmentido categórico e revoltado de Pinto de Sousa contra a notícia que o mesmo jornal publicara sobre as manipulações que o mesmo fizera sobre as classificações dos árbitros e das conversas pretensamente mantidas com Pinto da Costa, só me resta perguntar duas coisas: 1º- a que preço e com que intuito se publicam essas notícias, pelos vistos mentirosas, e que têm a ver com um processo que está a decorrer? 2º- quem está por trás destas incríveis e maquiavélicas maquinações? Num jornal do Porto? Da nossa cidade do Porto? Até fico parvo.
  3. Ao regressar do Porto, onde me desloquei por motivos familiares, ouço no noticiário da TSF uma notícia que me deixou verdadeiramente perplexo e que passo a transcrever: « para muitos considerado o melhor guarda-redes português de todos os tempos, morreu hoje com 58 anos de idade, Manuel Bento. Ainda ontem...». Devo estar a ouvir mal. «Para muitos», que "muitos"? O « melhor guarda- redes português »? Com que critério? Baseado em quê? Como é que se fazem estas afirmações? A cegueira e a estupidez de certos cretinos não tem emenda. Coitado do Bento que não tem culpa nenhuma de que estes degenerados lhe emporcalhem a memória! Não bastava o facciosismo da TV e dos jornais, isto acontece na TSF que se quer uma estação de referência!!!
  4. As novas sobre o nosso Anderson são animadoras. Oxalá não lhe apareça outro "grego" ou o mesmo, numa «jogada perfeitamente normal», a atirá-lo novamente para o estaleiro!
  5. A propósito da jogada "assassina" do "grego" que vitimou o nosso jogador e que jornalistas, comentadores, críticos, analistas, membros dos conselhos disciplinares ligueiros e federativos consideraram de relativa dureza, mas perfeitamente normal, é curioso ver como os mesmos senhores nos comentários aos jogos do estrangeiro ou contra os do seu clube, para jogadas bem menos graves têm conceitos muito mais rigorosos e punitivos. Mas agora pergunto eu: é possivel esperar mais de mentecaptos que têm a esperteza de uma galinha? E para quem coerência deve ser uma palavra esquisita cujo significado não entendem?
  6. Na minha vida de longos anos no Alentejo aprendi que os "bois", mesmo mansos, vesgos ou mancos, todos têm uma grande atracção pelo "vermelho". Agora descobri que as"vacas", mesmo que putas e galdérias, também a têm! E há sempre as "chocas" e os "capados" para fazerem parte da manada!!!
  7. Ó Malheiro "comunista do jet-set", agora vais virar detective da "Fátima"? A que ponto chega o esterco nacional?

3 comentários:

Dragão Maronês disse...

Eu também ouvi essa patacoada de o "Bento para muitos o melhor guarda redes de todos os tempos" e fiquei siderado. Não que não ache que o Bento foi um grande guarda redes. Foi um grande guarda-redes e é de toda a justiça realçá-lo. Sobretudo na hora do seu desaparecimento de entre os vivos mas não é preciso entrar em órbita.A menos que esses muitos sejam os adeptos do Benfica,mas aos orgãos de comunicação exige-se um pouco de rigor a menos que sejam orgãos oficiosos.
Saudações Portistas

lucho disse...

Sabem q aqui em vila do conde o malheiro à entrada de um restaurante com a Carolina viu ser-lhe barrado o caminho, ele entrava mas a cornelina nem pensar...

dragaovenenoso disse...

A natureza é mesmo fantástica: até o esterco tem tendência a se agrupar. Daí que não me admire que todos se juntem em torno do que é podre. E o que passou a podre foi vermelho... para bom entendedor...