sexta-feira, 23 de março de 2007

Eu não assinei!

Para que não haja dúvidas. O meu nome não consta nem poderá constar nesta lista de apoiantes à recandidatura do actual Presidente.

Discordo que continue. Discordo que accione a clausula que lhe permite continuar mais um ano.

Defendo que deve terminar a época.

Mas que deve sair no final da época. Renovação é precisa. Urgente. De toda a estrutura da SAD, logo de toda a estrutura directiva do Clube.

Se houvesse algum abaixo assinado para ele não se recandidatar e sair no final da época e não estivesse eu em Angola, até assinaria.

5 comentários:

Francisco disse...

E eu também, Nuno.

Dragão Maronês disse...

Agora também o Reinaldo Teles anda a ser penhorado pelo tribunal.
Parece que não quer ficar atrás do Veiga.
Não há meio de sairmos das paginas policiais...

Anónimo disse...

Portistas li este comentário num blog azul e branco e fiquei, naturalmente, preocupado com o seu teor. Leiam, façam uma reflexão séria e comentem.
«Agora somos dois said...

Agora que me passou a irritação, já só estou a pensar que podemos dar a volta no Estádio da Luz e nessa caso seremos campeões. Mas há coisas em que a gente não pode deixar de pensar.
1) a dança de treinadores
Depois da tragédia octaviana, tivemos o Mourinho durante dois anos e meio. Foi isso que interrompeu a decadência que já se sentia. Lembram-se que com Octávio Machado a contestação dos sócios já atingia o nosso Presidente? E que nessa altura se virava exactamente contra o Senhor Caldeira? Pois bem, o Senhor Caldeira ficou, o Mourinho foi-se embora. Vieram vários, o Del Neri a quem o Jorge Costa tirou o tapete, o Fernandez que era talvez o melhor e a quem tiraram o Carlos Alberto. Depois chegou a nódoa couceira o pior treinador português dos últimos anos, um embalsamador de equipas que atirou para a segunda divisão. De repente, o Adrianse, um homem das camadas jovens. Pensei que íamos apostar no longo prazo, mas esqueci-me que a cantera não dá comissões. O homem não conseguia vencer os interesses instalados, que queriam jogadores da zona franca da Madeira e de países em que não há transparência fiscal e bateu a porta. A história da vinda do jesualdo fica nos anais como um acto de estupidez: como é possível que tenha vindo através de um intermediário? Isto quando as nossas relações com os metralha estavam boas? Custou o dobro do que teria custado se o nosso presidente tivesse falado com o joãozinho, mas isso não dava comissões. O Jesualdo não é mau, mas não foi ele quem formou a equipa, não fez a pré-época, não teve sequer a hipótese de contratar um preparador físico porque teve que ficar com os restos do passado que estavam na folha de pagamentos.
2) o plantel do inicio da época
Adrianse já tinha dito que Postiga não servia, porque acima de tudo criava mau ambiente. Mas como era o jogador mais caro (como Rui Moreira muito bem recordou) não se podia dispensar o menino, As contratações tinham sido todas marteladas. Ezequias, Diogo Valente, Tarik e Fucile. Destes já só sobra o último, que nem sequer é grande jogador mas pelo menos tem o nosso espírito...
3) o drama da paragem
Chegado o Inverno, entrou-se nas negociatas. Aflito com o apito e com os restos da Carolina, Pinto da Costa não foi capaz de conter as coisas. Os conflitos do ano passado entre Antero Henrique e o Reinaldo, que foram a causa do problema no Olival, mantiveram-se, mas o Reinaldo tem um vício e o clube já não pode cobrir as dívidas. Antero pode agora jogar a seu bel-prazer com Caldeira. Sem que ninguém dê importância, o médico JC Esteves (o nosso grande Zito) tem um problema de saúde e é afastado. O grupo Amorim vendeu a sua participação aos espanhóis da Chamartin e Rui Alegre deixa de aparecer. Está tudo feito para o Caldeira (com a ajuda interesseira do Antero) assumir o poder. Fernando Gomes chora pelos cantos que não há dinheiro, mas o Presidente não gosta que lhe falem de números e deixa-se levar por quem ainda lhe está próximo. Helton vê o seu contrato prolongado no tempo e o salário aumentado de 600.000 para 800.000 euros anuais. Já não tem que se esforçar porque já não precisa de encontrar um clube estrangeiro. Ganha que chegue... Baía foi informado que o seu contrato não será renovado... Ricardo Costa que fora despedido a chorar em pleno relvado não sai porque os franceses não pagam por suplentes... Adriano foi posto à venda porque o passe não é todo do clube... Afinal, ficam os dois.Todos os dias se anunciam reforços: Madrid e Diego, que faziam todo o sentido porque cá dentro toda a gente sabe que o Lucho devia parar para se curar dos problemas que tinha. Mas comprar em Braga não dá comissões. Vêm o Lucas e o Renteria, uma 5ªa opção e uma esperança do passado, que já no Brasil era conhecido por “desesperança”.Jesualdo cala-se, come o cigarro e percebe que Adriano é uma opção, mas não conta que mais uma vez, o Postiga seja o problema no balneário. “Ai ele fica? Então ele que marque.”. O Bosingwa, que só o Baía consegue controlar, começa a tremer mas o Victor já nem quer saber.
4) O “caroço”
Não há dinheiro e em vésperas do jogo com o Chelsea, Fernando Gomes desabafa que “nem para os ordenados” e espera que o FC Porto pelo menos empate. Mas nada disso acontece. Na volta, o presidente já só pensa que é preciso é comprar um outro guarda-redes. No balneário alguém pergunta se não vai voltar o Bruno Vale e arma-se uma giga. Agora, a táctica é outra, vender os direitos televisivos de 2009 – 2013 para conseguir fazer face ao buraco das contas, vender o Pepe, o Lucho e o Quaresma. Alguém segreda: “se for preciso, fazemos uns saldos”.
5) O jogo com o Sporting
Durante a semana, no Oliva, treinamos sempre em 4-4-2, com o Quaresma como vértice adiantado do meio campo losango e o Adriano com o Lisandro à frente. Quando o Lisandro se lesiona, Jesualdo fica de cabeça perdida porque sabe que o Postiga não pode jogar com o Adriano. Pensa então em avançar o Cech para o meio campo e deixar à frente o Quaresma e o Adriano, mas para isso precisa do Bosingwa. Como o Zé anda de cabeça perdida, irritou-se por lhe chamarem a atenção no treino e diz ao Jesualdo que daqui a dois meses já cá não estamos os dois e o professor não pode deixar de tomar uma posição, foi a terceira falta de educação. Há que mudar a táctica e virar para o 4-3-3 o que exige um meio campo lutador, mas o Meireles e o Assunção estão á bica e o Lucho, já se vira nos treinos, só lhe faltam bolsos nos calções. Conclusão resto vocês todos sabem. Mas o que não sabem é que Jesualdo tem feito os impossíveis. É, em 25 anos de FCP/JNPC o primeiro treinador que está sozinho, que não tem direcção, que não fez a pré época, que não consegue escolher os jogadores que entram e que saiem. Além disso, temos as arbitragens que nunca nos dão o benefício da dúvida por razões óbvias e tem ainda o Benfica a resolver os jogos à maneira do Veiga. Viram o golo na Amadora? Lembram-se do Marco Ferreira, em Guimarães, no ano Trapatoni de todas as trapalhices?
Infelizmente, caríssimos, o imbecil do Rui santos tem razão, a época JNPC acabou. O navio está a meter água e só não se sabe quando irá ao fundo.
22/3/07 00:59»
Eu por mim, via com bons olhos a candidatura do Dr. Rui Moreira para Presidente do FCPorto. Está na hora da mudança.

dragaovenenoso disse...

Que anda confusão também não tenho dúvidas, pois nunca fiquei convencido que em dois anos em que se ganhou tudo não se tenha recuperado o défice que o clube tinha.

Foram dois anos que chamaram muito a atenção de tubarões que andam à volta do FCPorto e que querem é ganhar dinheiro. EXEMPLO são os lagartos que têm lançado ano após ano novos jogadores e vários com qualidade. e QUE ESTÃO A SANEAR AS CONTAS. Não sei qual é o objectivo desta SAD e gentes que andam à volta, pois se gostam do FCPorto estão a fazer de tudo para o afundar economicamente.

Anónimo disse...

Sanear as contas com trezentos e tal milhões de défice!!!! Isto anda tudo tolo!
Ó sr. Rui Moreira, diga lá aos seus apoiantes para ganharem juízo na moleirinha!