quarta-feira, 26 de abril de 2006

O que fazer?

Kadafi dos Pneus em afirmações bombásticas para uma certa imprensa fez saber que só se "recandidata se avançar o processo «Apito Dourado» e se «houver uma limpeza no futebol português»".
Relativamente ao Apito Dourado, não há dúvida que houve desenvolvimentos no processo, tal como esperado pelo Kadafi. Afinal Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa já não consta como Arguido no processo, pois concluiu-se pela sua inocência e que afinal, PASME-SE, o Mágico Porto havia sido prejudicado no jogo em questão.
Os pasquins e restante aglomerado de infieis recebeu esta notícia como uma autêntica bomba, em fim-de-semana em que nos sagramos Campeões. Afinal lá se foi mais uma desculpa para o facto de o Mágico Porto dominar desde o 25 de Abril o futebol português e de se encontrarem a lutar por um lugar na Champions ainda este ano.
Quanto à outra condição para a recandidatura do Kadafi dos Pneus, não sei como tal é possível. É que a limpeza do futebol português começa pelo afastamento do Kadafi e do José Corrupto Dragão de Ouro e sinceramente não sei como será possível aliar a recandidatura com esta limpeza.
Mas como os pasquins ainda dão crédito a palavras deste senhor, pelo menos ainda nos podemos ir rindo durante a semana, já que o Fernando Rocha só no faz rir na televisão à Segunda-feira e deixa o resto da semana para os palhaços...

2 comentários:

Bakero disse...

Só um pequeno pormenor: o FCPorto não domina o futebol Português desde 74. Domina desde 1985. De 74 a 85 por exemplo, o FCPorto só conquistou 2 campeonatos (contra 6 do Benfica).
E o vosso domínio só foi total a partir de 94, altura em que o Benfica entrou na maior crise da sua história (porque de 85 a 94 temos FCPorto e Benfica com 6 e 4 campeonatos respectivamente).
E isto não falando de quantos dos vossos campeonatos pós 1985 não foram comprados com viagens ao Brasil, quinhentinhos, rebuçados e fruta para dormir...

Nuno disse...

Não vamos discutir sobre quantos dos vossos campeonatos anteriores a 1985 não foram conseguidos à custa de calabotes, raptos de jogadores, coacção fisica e psicológica da polícia sobre outros jogadores e árbitros... Nem vamos ver os vossos campeonatos ganhos depois de 1985 depois dos 90 minutos de jogo (lembro-me de pelo menos dois com duvidosas diversas vitórias aos 95, 96 ou mais minutos de jogo...) ou à custa do controle da Federação, primeiro, e da Liga, actualmente!

Cada um vê e analisa o que quer. Cada um faz a capa do seu jornal. Da vossa parte já sabemos o que esperar: a cada dia há um'A Bola dentro de cada lampião! Abri os olhos e deixai que a luz vos iluminai antes de fazerem capas como a segunda ou comentários como este. Tristes!