segunda-feira, 28 de novembro de 2005

Futurologia

O que eu gostaria de dizer sobre o jogo de logo à noite...

Finalmente parece que temos um FC Porto consistente no modelo de jogo adoptado, cujos sectores parecem finalmente dar mostras de actuar em bloco e sem as tradicionais falhas defensivas. O meio campo esteve excelente quer no ataque às bolas controladas pelo adversario e cobertura defensiva, quer no apoio ao ataque e remates de distancia para abrir o autocarro estacionado em frente da baliza adversária. O ataque foi quase perfeito, com um indice de finalização das oportunidades criadas excelente, justificando por isso nova goleada com exibição de encher o olho em qualquer camp(t)o do mundo...

O que acho que vou dizer sobre o jogo de logo à noite...

Mais uma vez se provou que nem sempre a melhor equipa titular num jogo se adapta totalmente a outros jogos, para além de que as surpresas que o treinador insiste em introduzir a cada jogo em nada beneficiam a tranquilidade dos jogadores. Por isso a sonolência de partes do jogo, aos rebolões e a pontapé para a frente em busca do atacante alto e forte quando não havia o entrosamento do meio campo com os outros sectores da equipa, que graças aos fortes jogadores do meio campo adversário rapidamente destruiam o fio de jogo portista, foi a tónica de grande parte do jogo. A tradicional substituição Hugo Almeida-Diego veio trazer a criatividade que o meio campo precisava mas retirou o poder ofensivo da equipa, o que se veio agravar ainda mais com a entrada o sonolento Jorginho. Mais uma vitória à justa num jogo que apenas valeu pelos 3 pontos conquistados e não justificou nem o dinheiro de quem assistiu ao (pobre) espectáculo nem quem assistiu na TV...

O que eu não quero mesmo dizer sobre o jogo de logo à noite...

Mais uma barracada táctica do nosso treinador que ofereceu a liderança isolada do campeonato ao Nacional... Apesar do controlo do jogo e dos muitos ataques da equipa portista, novamente se viu que a defesa de papel sem rotinas nem automatismos e com os tradicionais falhanços de marcação (isso treina-se a cada dia para que resulte a cada jogo...) deram os 3 pontos ao alcançe da mão de uma forma novamente despropositada. Pobres adeptos que de sofrimento em sofrimento vão assistindo ao desboroarar de uma equipa com um potencial enorme só porque não tem um treinador capaz de ensinar no dia a dia coisas tão simples como marcação, criação de rotinas posicionais, lançes de bola parada, etc... E por fim, caro mister Adriaanse, as desculpas dos "relvados mágicos", juventude da equipa, sorte do adversário e azar nosso já começam a cansar os nosso ouvidos...

CONCLUSÃO:
Como há pessoas que acham que criticar depois é fácil, desta vez num acto de futurologia fica o que é muito mais dificil que é a critica por antecipação do que se vai passar logo... Ficam 3 cenários: o optimita, o intermédio e o pessimista! O primeiro não me acredito nele, o segundo é que mais vezes acontece, o terceiro tem acontecido mas acima de tudo nos jogos da Liga dos Campeões e nos jogos contra os grandes (isto é, lampiões, Braga, Nacional e Setúbal) da nossa liga...

É evidente, para finalizar, que isto é um exercicio de escárnio e maldizer, como em tempos se chamava a estas coisas, apenas para dizer que o que é fácil é dizer sempre bem e concordar com quem manda e está no poder (seja ele o do futebol, o da política ou do trabalho) mas que o dificil é conseguir ver o oceano para além da espuma das ondas e perceber que o mundo afinal é redondo e não plano como essa visão tão próxima nos parece querer induzir.

6 comentários:

Prof. disse...

E eis que se atinge assim, o cúmulo do "bota-abaixo"...


Porque quando é para se falar bem, nem se menciona o técnico, quando é para se falar mal, está logo na 1ª linha.

Anónimo disse...

E o cúmulo da hipocrisia, pois bem sabe o Pavão que quando dissemos que criticar é fácil foi no sentido de que se o Porto tem ganho o jogo com o Rangers ninguém tinha criticado o treinador por ter mexido na equipa ou por não ter entrado o Mccarthy, mas também sabemos que estes Iluminados da Bola nunca lhe dariam o mérito da substituição que fez ao tirar um central para pôr um ponta de lança.

O que irrita é que para estes ditos adeptos portistas de facto nunca pode existir um azar, um bamburrio de todo o tamanho como vemos em muitos jogos por essa Europa fora, de equipas que põem o autocarro à frente e no único lance que dispõem marcam o golo.

E o que entristece é ver que mouros como o Rui Santos da Sic Notícias conseguem vir dizer que se criticou injustamente o Co Adrianse quando este fez tudo para ganhar o jogo e teve uma enorme infelicidade na maneira como sofreu o empate, e os ditos adeptos Iluminados não conseguem, em relação a este treinador, porque encasquetaram que ele não presta, dizer PUTA DE SORTE QUE ANDAMOS A TER NA LIGA DOS CAMPEÕES!!!

Pentadragão disse...

Só uma correcção no texto. Onde se lê "nos jogos contra os grandes (isto é, lampiões....". É certo que perdemos, agora daí aos lamps serem grandes vai um grande passo....

Nuno disse...

Ó meus caros amigos, a prova que eu digo o que tenha a dizer, bem ou mal, independentemente do resultado é que até após os 5-1 da
Académica eu critiquei aspectos do jogo, pelo que é falso, no que toca a mim, que se tivessemos ganho contra o Rangers não criticava! Hipocrisia é dizerem que só critico por criticar quando apresento argumentos muito sólidos, tão sólidos que os consigo aplicar antes do jogo começar, e depois de acabar independentemente do resultado os argumentos que utilizo não perdem a validade e já lá vão 2 meses que critico! Hipocrisia é acharem que só se beneficia o clube falando bem dele - isso era na ditadura...

E com as infelicidades do Adriaanse já eu estou cheio, então agora que acabou o futebol de ataque total sem cobertura defensiva, quase suicidário, que praticou no principio da época, acabou e não sobrou fio de jogo que se veja, agora que temos um futebol aos rebolões de chuto para a frente mais de metade do jogo e outra metade vive dos momentos de inspiração do Quaresma, do Lucho, do Lisandro ou do César Peixoto (nem falo do Diego tão raro é ele jogar...) que se isto é montar uma equipa, com as desculpas da juventude e do relvado e do azar e do jogador que estava a dormir só conseguem levar um santo à fúria!

Quanto a falar bem do técnico, eu escrevi muitas vezes bem e defendi-o - ler as minhas crónicas aqui mesmo neste blog em Julho, Agosto e Setembro - até uma determinada altura em que percebi que o problema era ele! E a partir desse momento, como é evidente, não consigo mais encontrar virtudes onde vejo acima de tudo defeitos!

Mas quando - e se - vir alguma coisa a enaltecer no homem novamente, eu cá o escreverei, não se preocupem, caros anónimos!

Porque aqui a regra é dizer o que se pensa e não dizer amén! Percebido?

Anónimo disse...

1º LUGAR PARA O FCP!!!

8 DE AVANÇO SOBRE O SLB!!

TANTO PARA CRESCER E CONSTRUIR, MESMO ASSIM À FRENTE!!!

P.S 1: CRITICAR O QUE ESTÁ MAL É FÁCIL, DIFÍCIL É APRESENTAR SOLUÇÕES E ACERTAR NELAS!!

P.S. 2: HÁ MILHENTOS BLOGS A FALAR E A CRITICAR O ADRIANSE, O PROBLEMA ESTÁ NO TOM DAS CRÍTICAS, ATÉ PARECE QUE QUEREM QUE O TREINADOR NÃO RESULTE!!! AH, JÁ SEI, SE DER CERTO FOI TUDO PORQUE O TREINADOR OUVIU AS CRÍTICAS, SOBRETUDO A DO EXPERT EM TREINADORES PAVÃO!!!

dragaovenenoso disse...

Sorte ?! Falta de sorte ?! Isso é o que dizem os falhados. Ainda há dias dizia o dragão: " A sorte protege os audazes ". Não é: " A sorte protege os kamikazes ". É o que o treinador costuma fazer, principalmente nos jogos da liga dos campeões. E hoje pelos vistos o Porto só jogou direito na 1ª parte, porque na 2ª eu vi e só jogou com bola prá frente. Sim sinhô, grandi treinadô...