quinta-feira, 25 de março de 2010

OBVIAMENTE NÃO ME DEMITO...

Se coisas há que são difíceis de explicar, esta decisão do Conselho de Justiça é daquelas que não necessita muita explicação.

Qualquer jurista de meia tigela saberia definir bem os contornos do regulamento. Houve quem não o fez dolosamente, com intenção de prejudicar e também com o intuito de se promover como justiceiro, que ao mesmo tempo derramava lágrimas de crocodilo (relembro que só deu conferências de imprensa para apresentar decisões contra o Porto e que na última tentou verter lágrimas de crocodilo, afirmando que era um castigo muito violento mas que o tinha de aplicar).

Tudo se percebeu quando num recente castigo a um jogador de um outro clube e consequente despenalização pelo Conselho de Justiça, por divergência na interpretação do conceito de "agente desportivo", o Pavão Aflautado, qual Juiz em causa própria, apresentou ele mesmo uma reclamação da decisão ao CJ. Era a preparação para o castigo a Hulk e Sapunaru.

E assim foi... Mas nem sempre o que reluz é ouro...
Este mesmo Conselho de Justiça, constituido por Juízes e que muitas vezes têm falhado nas suas decisões, desta vez não condescenceu com os desvarios do Pavão Aflautado e revogou a sentença de prisão perpétua de Sua Ex.ª o Pavão Aflautado.

E fê-lo porque é de tal forma gritante o erro, que nem esta poderiam deixar passar...

E a questão que se põe é: E agora?
Será que se demite? Não, obviamente que não se demite... Pois apesar do trabalhinho feito para esta época, já que a alteração do castigo já vem em altura que está tudo resolvido, ainda há muitas épocas para resolver na secretaria...

E um ponta-de-lança deste calibre não pode ser ignorado nem deitado fora...

E das notícias que vamos conhecendo, já verificamos que como eles se movem, senão vejamos:
"Ricardo Costa colocou o seu lugar à disposição de Hermínio Loureiro, solidarizando-se com o presidente da Liga quando foi por este informado de que iria demitir-se. O líder da Comissão Disciplinar (CD) aceitou, no entanto, continuar no cargo a pedido de Hermínio, em nome do normal funcionamento das competições que estão em curso."

Perceberam??? Sai o trinco e mantém-se o ponta de lança em campo, que é o que interessa, pois ainda é necessário marcar mais alguns golos... até porque, nós somos difíceis de derrubar...

17 comentários:

UNK disse...

(...)E o que levou o CJ a considerá-los membros do público? «Afigura-se-nos que serão [intervenientes no jogo], além dos delegados dos clubes e demais pessoas que desempenham funções no quadro das equipas em confronto (treinadores, massagistas, médicos), o director de segurança, o director de campo e o delegado da Liga», diz o acórdão, citado pela Lusa. O CJ defende que «estes são realmente os intervenientes, onde não se incluem os ARD [assistentes de recinto desportivo]», pelo que «só resta a possibilidade» de os enquadrar na categoria de público.

O próprio organismo admite também que a decisão não é «satisfatória»: «Não é muito líquido ou satisfatório o enquadramento, mas conduz a uma punição sem excesso (a injustiça do critério adoptado pela CD é pela mesma reconhecido)».

O CJ julgou o caso ao abrigo do artigo 120 do Regulamento Disciplinar, a CD utilizou o artigo 115. O que dá a diferença: Hulk passou de quatro meses de castigo para três jogos, Sapunaru de seis meses para quatro jogos. (...)


Até admito que possa existir um certo vazio legal no enquadramento dos stwearts, mas considerá-los adeptos! "Personagens" que não pagam bilhete, nem na sua maioria podem estar de frente para o jogo a assistir!!!!...

...Além disso, uma coisa é certa, o HULK agrediu, isso é culpa do Juiz, do Benfica, do Porto?!

Por outro lado e isso sim, acho vergonhoso, é em primeiro lugar a LIGA demorar uma eternidade a decidir a pena... e depois vir a Federação de forma mais célere dizer o contrario... Já que demoraram tanto tempo na 1ª instancia, não valeria mais a pena reunirem-se e decidirem de acordo com as ideias de ambas as parte?!!!

Esta pluralidade de decisões só reflecte a miséria de justiça que temos em Portugal... E das duas uma, ou as leis são feitas para terem várias interpretações (porque pode dar jeito a alguns), ou as pessoas que as aplicam não conseguem ser imparciais!!!

Enfim, nunca conseguirão dignificar o futebol...

É que é uma diferença de 15 jogos da 1ª pena para a última decisão que aplicada... Isto é brincar com os adeptos!!! Sinceramente enquanto benfiquista sinto-me defraudado porque agora querem ligar o Benfica a isto... E sinceramente todos os que têm olhos conseguem ver que o SLB deste ano não precisa disto!...

Merda pra LIGA e pra FEDERAÇÃO que temos!

Anónimo disse...

Vice-Presidente - Dionísio Alves Correia, juiz conselheiro jubilado.
Nasceu em Vila Real. Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Foi delegado do Ministério Público nas comarcas de Sabugal, Cantanhede, Beja e Coimbra. Foi juiz de direito nas comarcas de Serpa, Arganil, Pampilhosa e Penacova, Cartaxo, Montemor-o-Velho e Coimbra e ainda nesta, presidente do círculo judicial. Em 1990, juiz desembargador no Tribunal da Relação do Porto


relator do acórdão – que teve decisão unânime do CJ – foi Dionísio Alves Correia, conselheiro jubilado do Supremo Tribunal de Justiça, que já havia ilibado Pinto da Costa no caso em que a CD castigou o dirigente com quatro meses de suspensão, por declarações sobre competições da Liga, quando já estava suspenso (dois anos, devido ao ‘Apito Final’).

A mesma podridão de sempre é o que é...

Paulo Ramos disse...

O Bambo empurra um apanha-bolas, toma lá 6 meses.
Fernando Mendes bate em bombeiro, apanha 4 meses.
Hulk e Sapuranu batem em Stewards, e apanham 3 e 4 jogos.

Jurisprudencia é coisa que não há no CJ da FPF. Devemos protestar contra a mentira. O juiz redactor do acordão foi Juís numa comarca do Porto nos anos 90. Coincidencias?

dragaovenenoso disse...

Não há coincidências, lampiões. Uns estão a puxar para um lado - o vosso - e os outros estão a corrigir as coisas. Quem não percebe de leis devia ficar caladinho. Só se pode utilizar como argumentação para deliberar o que se encontra na lei, regimento ou regulamento. E pelos vistos os stewards estão numa espécie de limbo. A culpa é de quem criou a lei. Há duas figuras: agente desportivo e público. Se não se enquadrando na figura de agente desportivo, o steward enquadra-se na outra figura no público. Está tudo mais que esclarecido. Não se inventam novos nomes ou figuras quando dá jeito. O que podem fazer é melhorar a lei, prevendo este agente. Assim sendo, o castigo (que tem de ser aplicado pois pelos vistos houve agressão - sinceramente nunca consegui ver um vídeo que vislumbrasse isso) passa a ser bem menor.

Que o título que vão receber este ano vai ficar ligado a isto, podem ter a certeza, lampiões. Só é pena não acontecer como no Calabote...´no final ficarem a ver o título por um canudo.

Paulo Ramos disse...

este mm engraçado tanto qto bacoco!
inventas cada teoria...

As palas estao-te grandes!!!!

Rui Correia disse...

Bacoco???
Eu vou-te dar uma lição para em vez de denominares os outros de bacocos, verificares que és um energúmeno sem o mínimo de inteligência:
Afirmação: "O juiz redactor do acordão foi Juís numa comarca do Porto" -
1 - É Juiz Relator e não Juiz redactor, de redacção, percebeste descebrado?
2 - O Juiz Relator é somente o que escreve o Acordão, sendo que o sentido da decisão é votado colegialmente (colegial representa no mínimo três pessoas ó saloio), podendo existir votos de vencido.
3 - Juíz numa comarca do Porto? Só mesmo um energúmeno pode dizer uma besteirada destas. Não existem muitas comarcas no Porto. O Porto é apenas e só uma única Comarca, designada por Comarca do Porto, sendo que o Distrito Judicial é que abarca várias Comarcas ó ignorante.
4 - Não se conhece nenhum Juiz que não tenha andado por várias comarcas, uma vez que se candidatam e vão sendo colocados, em função das avaliações de desempenho que têm e que quanto melhores as suas avaliações, mais hipóteses têm de ser colocados nas Comarcas e Tribunais que escolhem.
5 - Foi este mesmo CJ que indeferiu o Recurso do Porto no caso do Apito Final, sendo que este Juiz
6 - Existe um principio de direito básico que se utiliza em todo o tipo de processo que se chama "In dubio pro Reo" e outro principio básico de processo penal que é o “nullum crimen, nulla poena sine lege”, ou seja, princípio de que não há crime nem pena sem lei. Percebeu energúmeno????
Os cornos estão-te a crescer para dentro e a arrasar os últimos neurónios ó saloio...

Numero Dez disse...

O Blog Settore Offensivo procura alguém que esteja interessado em fazer parte do painel defendendo as cores do F.C.Porto num espaço em que se fala sobre os 3 grandes do futebol Português, Liga Espanhola, Italiana e Inglesa e outros tantos motivos de interesse. Aproveita visita e vota nos 23 para o Mundial da África do Sul!

Settore Offensivo

dragaovenenoso disse...

Vamos ver no domingo quantas faltas vão arranjar à entrada da área do Braga. E dessas quantas são realmente faltas.

é engraçado como o discípulo do orelhas, o que está e preside o CD da liga, e os seus apaniguados trataram de enviar um ofício aos clubes informando que os stewards tinham autorização para estar nos túneis de acesso aos balneários. Este ofício saiu na véspera da decisão do castigo ao Hulk e Sapunaru. E antes deste ofício era proibido. ahahaha
coincidências...

Ficai com o título da pouca vergonha e vigarice, FEITA ÀS CLARAS, SOB A CAPA DA "JUSTIÇA".

Tenho pena dos adeptos lampiões que não se revêm nestas merdas. Quanto aos outros...

Jorge Costa disse...

Este post dedico-o a todos os Portistas quese julgam vitimas do sistema...

Escrito por FRANCISCO JOSÈ VIEGAS no seu blog:

http://origemdasespecies.blogs.sapo.pt/1151205.html

"Recuso-me a justificar os maus resultados do FC Porto nesta fase do campeonato com as decisões e as manigâncias do CD da Liga de Futebol. São coisas independentes – mas com «canais de comunicação». Toda a gente percebe que o CD da Liga está onde está para cumprir o serviço e servir de palco a um cavalheiro que gosta de aparecer nos telejornais para mostrar que é ele que manda. Infelizmente, é ele quem manda. Verificou-se que é uma péssima escolha para um orgão com essa responsabilidade e essa relevância. É um fundibulário de pacotilha e um ironista de terceira ordem; e se isso não bastar, fica dito que, com aqueles gestos de pantomineiro, as suas decisões se assemelham a uma palhaçada."

dragaovenenoso disse...

Vocês já comeram cinco no vosso estádio para a supertaça cândido de Oliveira e nem por isso fizemos tanto alarido como fazem vocês agora.

Não fosse a batotice e roubalheira dos túneis deste ano e se calhar não estaríamos tão longe do 1º e 2º lugar. Embora esta seja das piores épocas que tenho memória. O Hulk sempre podia ajudar a resolver alguns jogos que estivessem encravados. Mas não foi possível graças à decisão de um justiceiro adepto do clube do regime, aquele que tem uma águia no emblema e cujo estádio se encontra na 2ª circular.

Ainda vêm cá ao Porto para comemorar o título...cá vos esperamos.

dragaovenenoso disse...

Para os lampiões que vêm cá meter nojo dizendo que jogaram com a 2ª linha. O FCPorto também jogou desfalcado de vários jogadores no ataque: Hulk, Varela, Farias, Mariano... O Fernando acabou de recuperar de uma lesão. O Rodriguez tem passado este ano com lesões, logo sem ritmo. O Raúl Meireles recuperou há pouco de uma lesão.

Também já li/ouvi algures que a decisão do CJ foi revelada no prazo limite que tinha para o fazr. Não sei se é verdade. Se for verdade, mais uma vez ficámos privados do Hulk num jogo decisivo.

É o campeonato dos túneis da capital da cerveja, a liga e a federação que temos.

dragaovenenoso disse...

Mais um jogador do Braga de fora, agora no estaleiro, graças a uma entrada das que conhecemos àquele anormal ex-lagarto. Estas entradas também não são originais no que respeita à equipa apoiada pelo regime. Também não é original os seus jogadores saírem impunes.

Justo seria essa besta ficar sem jogar o mesmo período de tempo que fica mesmo o adversário que lesionou. É este espírito de impunidade que paira por aquelas bandas. Podem fazer o que quiserem que nada se passa.

Anónimo disse...

“Doloroso” é “levarmos” 3 do Benfas, 5 do Arsenal e 3 do SCP em tão pouco espaço de tempo. Mas parece que o treinador n é culpado, o culpado é quem lá o mantém. N me lembro de ser tanto humilhado como portista.
PS: aquele pé partido ao jogador do Braga, fez-me lembrar um Porto – Benfas (Anderson). Mas n vai dar nada. Neste país dos 6 milhões (dizem), manda quem pode e obedece quem tem juízo! Ponto final parágrafo. Quanto às demissões um já foi, o outro n deve tardar, só tenho pena que o JUJU se tivesse demitido tb…
G.O.

dragaovenenoso disse...

Diferença entre ter Hulk ou não ter Hulk: um golaço de levantar estádio, uma assistência para golo e o centro que deu o primeiro. Resultado final 3-0. A diferença é esta. Foi disto que nos privaram com a roubalheira deste ano. Os jogadores do FCPorto são os jogadores que mais tempo ficam castigados. Ainda que seja considerada a equipa que menos cartões leva. Palhaçada do carago.

Mas também vi ontem marcar pelo menos uma falta ao Hulk por carga ao defesa, quando o que se vê na repetição é apenas e só a diferença de velocidade. Quando o defesa do Belenenses tenta fazer carga de ombro o Hulk já fugiu. Mas o juiz de linha, que não tem pernas para o acompanhar sanciona falta. Enfim.


E agora não venham cá dizer que são suposições o ter ou não ter o Hulk a jogar.

De qualquer forma, o FCPorto precisa de um novo treinador, porque os mecanismos são mais que conhecidos, o que torna muito difícil marcar golos a não ser em contra-ataques. E este insiste num esquema que não funciona com certas equipas. Burro velho não toma andadura.

Anónimo disse...

Ao ser expulso no P. Ferreira-F.C. Porto da jornada inaugural da Liga, Hulk recuperou a má relação com as equipas de arbitragem que acompanharam a sua passagem explosiva pela Liga japonesa. Na Mata Real o avançado brasileiro terá reagido mal à decisão de Carlos Xistra e acabou por agravar a sua situação, tendo sido castigado com dois jogos.

Na época de estreia em Portugal, Hulk não teve problemas de maior com os árbitros, acumulando apenas seis cartões amarelos. No Japão, contudo, o registo disciplinar teve mais incidências. No Consadole Sapporo, equipa que representou em 2006, por empréstimo do Kawasaki Frontale, o jogador brasileiro viu 15 cartões amarelos e foi expulso três vezes (duas por acumulação e uma por vermelho directo). Nessa época o avançado falhou nove jogos por castigo.

Emprestado depois ao Tokyo Verdy, em 2007, os problemas disciplinares de Hulk tiveram continuidade. O brasileiro teve mesmo um episódio semelhante ao da Mata Real. Reagiu mal à expulsão no «derby» com o FC Tokyo e acabou por ver o seu castigo alargado a três jogos. Essa não foi a única expulsão da época, e aos poucos Hulk começou a assumir a vontade de sair do Japão (ver o vídeo no final da peça). Um desejo concretizado em 2008, com a «ajuda» do F.C. Porto

Anónimo disse...

Problemas familiares, certamente...
"O membro do Conselho de Justiça (CJ) da FPF responsável pelo acórdão que ditou redução dos castigos a Hulk (de quatro meses para três jogos) e Sapunaru (de seis meses para quatro jogos), Dionísio Alves Correia, confidenciou em Coimbra, a pessoas ligadas ao futebol, que iria confirmar na íntegra a decisão da Comissão Disciplinar (CD) da Liga.

Segundo soube o CM, o também vice-presidente do CJ afirmou que não havia qualquer hipótese de entender os stewards fora da categoria dos "intervenientes no jogo com acesso ao recinto desportivo" – designação utilizada pelo Regulamento Disciplinar da Liga – e, portanto, a tese de que poderiam ser equiparados a espectadores – apresentada pelo FC Porto no recurso – não era compreensível.

Nessas conversas, Dionísio Alves Correia (conselheiro jubilado do Supremo Tribunal de Justiça), que reside em Coimbra, declarou--se ainda impressionado com a fundamentação jurídica do acórdão da CD e entendia que a jurisprudência do CJ – que já definira que bombeiros e maqueiros em funções em jogos também eram "agentes desportivos" agredidos – era certa e tinha de ser seguida neste caso. Já estava inclusivamente a fazer o acórdão que iria rejeitar todas as pretensões do FC Porto.

Contudo, na reunião do CJ de 24 de Março, apresentou um acórdão em que equiparou os stewards a espectadores, pelo que as punições a Hulk e Sapunaru tinham de ser em jogos e não em período de tempo, para espanto de alguns colegas, que sabiam o que pensava Dionísio Alves Correia e estavam de acordo com ele, casos de Alexandra Pessanha (docente universitária), Maria Dulce Ferreira (procuradora da República jubilada) e Sarmento Botelho (desembargador jubilado e também residente em Coimbra). E estranharam a adopção, sem mais, da tese do FC Porto – tanto mais que, de acordo com o que ficou escrito na versão final do acórdão, o steward ser espectador "não é muito líquido nem satisfatório".

De acordo com as fontes contactadas, Alexandra Pessanha, Maria Dulce Ferreira e Sarmento Botelho também ficaram incomodados com o facto de o líder do CJ ter escrito no acórdão que os directores de segurança dos clubes – que coordenam a actuação dos stewards nos estádios – eram "agentes desportivos" porque tinham responsabilidades em relação ao recinto desportivo."

in Correio da Manhã, via António Boronha

Anónimo disse...

"É que mesmo com o hulk, mesmo ganhando os jogos todos (o que normalmente não acontece) desde então, continuaríam atrás do Benfica, afinal ficaram nesse jogo a 4 pontos e o Benfica desde então perdeu apenas 2.

Mais, recordem-se que com hulk os corruptos perderam e bem o jogo da Luz no campo, mesmo roubando um penalti descaradíssimo do rodrigues. E nesse jogo hulk fez o quê? Um remate para a linha lateral?!"