quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Defesa-esquerdo, o que fazer?

Hoje deixo uma questão. Meio sondagem, meio desafio aos colegas que aqui escrevem e também aos comentadores deste blog.

O que deve fazer o FC Porto em Janeiro em relação à questão do defesa-esquerdo?

É sabido que esta é uma das maiores lacunas do plantel há vários anos. Desde a saída do Esquerdinha e do Nuno Valente passaram por cá jogadores como o Ezequias, o Leandro, o Areias, o Diogo Valente, o Cech, o Lino, o Benitez e se calhar mais alguns que nem me lembro agora. Com mais ou menos evidente insucesso, desde logo pela quantidade de aquisições e depois pelo facto do melhor de todos eles ser o defesa-direito Fucile.

Assim, quanto a mim, há 4 opções:
a) mantemos quem está e no final da época tratamos do assunto;
b) contratamos um jogador vindo de um campeonato estrangeiro;
c) contratamos um jogador vindo do nosso campeonato;
d) mandamos regressar um dos emprestados.

Conforme já aqui escrevi, a opção a) não faz sentido neste momento. O Lino não serve e o Benitez acho que se servir ainda se tem de adaptar ao futebol europeu e precisa de rodar num clube com outras exigências, que lhe permita jogar com regularidade e evoluir um pouco mais para então poder regressar como opção válida e rotinada para o lugar.

A opção b) é um enorme risco, atendendo às contratações que têm sido feitas. E ou é um valor seguro e o preço será mais próximo de um Hulk ou de um Rodriguez, ou então não vale a pena, pois a necessidade de ter alguem é muito grande e a margem de erro muito pequena. Um risco menor seria contratar um português a jogar no estrangeiro, o que também não é facil porque são poucos e sem grandes garantias de sucesso e só me estou a lembrar de um ex-Paços de Ferreira, o Antunes - mas o Costinha também nunca tinha jogado em grandes clubes e foi um grande jogador no FC Porto, por exemplo.

A opção c) é um risco menor, mas o mercado é tão reduzido que quase não há grandes alternativas. Do que tenho visto, chamou-me a atenção o Luciano Amaral do Vitória e o Evaldo do Braga (que até foi nosso jogador na equipa B do tempo do Mourinho). Confesso que tenho algumas dúvidas se algum deles seria jogador para o FC Porto, mas pior que o Lino e Benitez é dificil...

A opção d), atendendo a todos os que têm por cá passado e pelo que me lembro deles, também não me parece grande coisa. Concedo que há um que não me tendo enchido as medidas, também não me pareceu assim tão mal, que foi o Leandro. Chamar o Leandro?

2 comentários:

Ricardo disse...

O Leandro é outro Lino. Eu punha o Fucile na esquerda, colocando o Fernando na direita (o Sapunaru é um bluff e já nos custou imensos pontos e uma Supertaça).

Não puseste aí aquele que foi, para mim, o pior de todos: o Lucas Mareque!

Francisco disse...

Meu caro Pavão:
Aceitando o repto, ainda antes de partir para o Alentejo, aqui estou a dizer o que me ocorre sobre a problemática do defesa esquerdo.
Concordo contigo quando achas que o Benitez devia ir rodar para outra equipa,embora me pareça que possivelmente não irá melhorar muito; quanto ao Lino, penso que não deve ser dispensado, se bem que ache que tem dois graves problemas:dificuldade de posicionamento em campo e deficiente tempo de entrada,no entanto, a seu favor,o facto de ser dos que marca melhor os livres do lado direito,além dos cantos; alternativa ao Fucile?: não me parece que o mercado de inverno resolva a situação,face aos barretes que têm sido enfiados em épocas anteriores (quem tem qualidade,não é dispensado pelos seus clubes nesta altura do ano!),pelo que julgo que a atitude mais sensata seria a de investir para a próxima época (não sei o que têm andado a fazer os olheiros do clube!!!) e,como já referiste num post teu, começar a preparar gente moça para essa posição. Correndo o risco de voltar a falar do mesmo, tenho a certeza que o José Mota já tinha arranjado uma solução. Sem ter que ir buscar argentinos
Um abraço