terça-feira, 5 de setembro de 2006

Agora esqueceram-se das letras garrafais nas 1.ªs páginas

A notícia é esta:
"Já não restam acusações de crimes de corrupção desportiva activa no processo que liga Pinto da Costa ao "Apito Dourado"."

Jorge Maia, no jornal O Jogo, mete o dedo na ferida:

"Justiça à justa

Há cerca de dois anos, mais mês menos mês, quando algumas pessoas foram arrastadas com chinfrim e espalhafato pela Polícia Judiciária para prestarem declarações no âmbito do processo Apito Dourado, houve meia-dúzia de almas que deram alvíssaras pelo funcionamento imaculado da nossa Justiça. Alimentadas a conta gotas pelas fontes no Ministério Público e na própria Judiciária, sem os limites impostos pela necessidade de apresentação de provas, foram lavrando processos à medida do único veredicto que lhes enchia as medidas, trocando a presunção de inocência a que qualquer arguido tem direito, pela presunção de culpa que lhes acalmava as últimas duas décadas de azia controlada a anti-ácidos. O tempo tratou de acalmar a euforia com que receberam a humilhação pública de que foram alvo a maioria dos arguidos do processo Apito Dourado. A Justiça, inicialmente tão celebrada por tão célere, começou a merecer reparos pela demora em fazer sangue. Afinal, para quê perder tempo como a audição de testemunhas ou com a recolha de provas? Não se podia resolver tudo com a eficácia de um processo sumaríssimo? Não se podia passar logo para a leitura da sentença? Pelos vistos não. A Justiça, cega para aquilo que qualquer idiota pode claramente ver - muito idiotas viram mesmo - já arquivou uma mão-cheia de processos por falta de provas. Falta de provas, vejam lá, como se isso tivesse alguma coisa a ver com Justiça a sério, daquela que se faz nas colunas de opinião, onde as suspeitas não precisam de passar das insinuações ou de uma piscadela de olho cúmplice, do género "vocês sabem do que eu estou a falar".
"

4 comentários:

Pete disse...

Esses pseudo-inteligentes ligados a facções da mouraria, na sua maioria, ou da lagartagem como não viram os seus intentos concretizados agora fazem de conta que não sabem que ele está ilibado, com o propósito de ninguém lhes lembrar o que esses ditos cujos disseram e escreveram aquando do início do processo.

Um Abraço dum portista no sul em Loulé (É lixado um gajo viver numa cidade em que quase não há portistas :):).

Alvaro disse...

Pete, podemos ser menos em algumas zonas do país mas somos de certeza muito melhores e isso é o mais importante. ;)

Anónimo disse...

O juíz confirma que o árbitro foi a casa do Pinto da Costa 2 dias antes do jogo, mas no pasa nada...
Também já tinham confirmado que o Pinto da Costa (ou Reinaldo Teles) ofereceram fruta ao Jacinto Paixão, mas no pasa nada...
São mais FACTOS a juntar à viagem ao Brasil, aos quinhentinhos, etc. etc.
Como este é um país de bananas, já me convenci que Pinto da Costa nunca pagará pelos títulos e vitórias que comprou com corrupção, mas de uma coisa vocês nunca fugirão: da vergonha e podridão das vossas conquistas...

Anónimo disse...

Ja ca faltava um parvalhão adepto e seguidor do clube do vale e azevedo e do azeiteiro do filipe vieira tambem este possivelmente enviado para os calabouços no caso do mantorras, sois mesmo uns pacovios...