quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

CHEGA DA BESTA, CHEGA DE GOZO

Ainda ontem, MST na sua crónica habitual no Avante Lampião dizia o seguinte:
"Esta noite, em Bratislava, Adriaanse vai ter mais uma oportunidade para provar que não é um looser crónico, incapaz de ganhar um jogo decisivo, de não cometer erros indesculpáveis na formação da equipa, nas substituições feitas, na estratégia e na atitude durante o jogo.
Pelo menos desta vez deu-se ao incómodo de ir pessoalmente espiar o adversário.
Espero que não tenha voltado a concluir que o Jorginho é indispensável ou que a melhor maneira de vencer o jogo é alinhar sem ponta-de-lança de raiz.
O mínimo que lhe é exigível, neste momento, é colocar o FC Porto na Taça UEFA, o que será um cometimento pior que medíocre face ao plantel de que dispõe e ao grupo que lhe saiu em sorte na Champions.
Um milagre colocá-lo-á nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.
Uma derrota ou um empate selarão definitivamente o divórcio entre as bancadas do Dragão e mister Adriaanse."
E a mediocridade da besta holandesa venceu.
Não só é um looser crónico que não ganha um jogo decisivo, como voltou a cometer erros indesculpáveis na formação da equipa, nas substituições feitas e em toda a estratégia para um jogo desta natureza, com aquelas características.
Se alguém for capaz de me explicar como é que ao intervalo se tira um médio e mete um avançado, num terreno daqueles, em que é preciso povoar o centro do terreno, eu aceito.
Se alguém for capaz de me explicar porque tirou o Diego (que até nem era jogo para ele, pelo estado do terreno, mas que se revelou muito útil), que estava a ser dos melhores, mantendo em campo jogadores sem qualquer tipo de rendimento, eu aceito.
Se alguém for capaz de me explicar porque continua a insistir nesse "mago da bola", chuleco César, mantendo Marec Chek (mais um jogador escolhido por ele) na bancada, ainda para mais num jogo em que o mesmo está habituado àquelas condições climatéricas e habituado a jgar naquels campos, eu aceito.
Se... enfim...
Como sei que ninguém me conseguirá explicar isto de forma a mudar a minha cabeça, apenas vos digo que estou cheio desta besta, que nos enche de vergonha e que depois ainda tem a coragem de dizer que o mal teve nos jogos anteriores, jogos esses em que a besta foi o principal culpado.
Fala-nos de juventude na equipa? Pois é jovem, eu sei, mas ele também é burro velho ao ponto de dever entender que há jogadores que pela sua experiência deviam jogar e que não deviam ser mandados borda fora.
É uma equipa jovem, mas ele devia saber que os jogadores que se encontram a jogar mal e porcamente deviam passar para o banco ou se tal acontece num jogo, deveriam sair.
Dizer que naquele campo não se poderia fazer melhor, também não deixa de ser uma realidade, mas também é certo que ao intervalo já estava a mandar sms´s aos meus amigos a dizer que este laranja podre não poderia saber o que estava a fazer, porque despovoou o meio-campo.
Disse ontem que estava farto, que chegava de gozo e que não voltaca a ver um jogo enquanto a besta fosse treinador.
Disse-o ontem, mas já sei que não vou cumprir. Porque o Porto é muito mais para mim do que qualquer pateta que esteja à sua frente e como tal, já sei que no próximo jogo já lá estarei.
Mas, como no jogo contra os lagartos, já levo lenço branco no bolso, pois a besta tem de ter o que merece.
E se há pessoas que dizem mal do abominável gaúcho xolari, não sei como conseguem defender esta laranja podre. Este é casmurro como ele (comparem o caso Baía com o gaúcho e o Jorge Costa com o larnja podre), insiste no impossível como ele (comparem o caso do europeu, em que gaúcho meteu a equipa toda torta até ter de mudar como todos nós diziamos e o laranja podre com a insistência em César Peixoto, Jorginho e Ricardo Costa) .
Mas custa-me, custa-me muito ver este Porto deitar por terra um prestígio que tanto custou a ganhar desta maneira.
E era tão fácil...

1 comentário:

Ricky disse...

O pior é que o outro ainda os levou a uma final, e este onde nos vai levar?