sábado, 23 de junho de 2007

Soltas

Pode ser multimilionário, deslocar-se de helicóptero, ser negociante de quadros, ter casas por tudo o que é sítio, fazer fortuna na bolsa e nos vinhos, pode ser tudo o que quiserem que para mim continuo com a mesmíssima impressão com que fiquei desde a primeira vez que o ouvi tecer considerações a propósito de um negócio qualquer ainda ele pontificava lá pelas Áfricas do Sul:
- Tem todo o ar de um "capo" mafioso ( se calhar não andarei longe da verdade!);
- Gostava de saber como alcançou a sua fortuna (honestamente?!);
-Apregoa cultura, mas parece um atrasado mental a falar (cultura não é comprar e vender quadros!)
Faltava agora a cereja no bolo : a sua arreigada paixão clubística. Um espécime destes só podia ser lampião. Como alguém do seu clube a certa altura referiu «se calhar, nem sabe quantos jogadores tem uma equipa de futebol!», mas como tem dinheiro a rodos todos os notáveis(???) milhafreiros e toda a imbecilidade pasquineira da capital se reverencia, atenta, veneradora e obrigada!
São mesmo um clube de trampa!

O cabotino presidente desse clube milhafreiro pediu aos sócios a comparência em peso (e todos equipados de vermelho), no seu campo, para festejarem (estrondosamente, calculo eu!!!) o único dos muitos títulos prometidos para esta época, o glorioso campeonato dessa coisa que chamam de futsal. Então não é que os lagartos lhes estragaram a festa! São uns tristes,coitados!

Jorge Nuno afirmou hoje em Lisboa que acredita na justiça portuguesa. Ou é parvo ou faz-se. Na justiça portuguesa?! Depois do que lhe têm feito?Ministério público e juízes? Depois da perseguição vergonhosa e revanchista que lhe têm movido? Parece que já se esqueceu da justiça ligueira e federativa, das arbitrariedades de que tem sido vítima, que já se esqueceu das inumeráveis pulhices que os inatacáveis autores das maiores poucas-vergonhas (que em nada ficam a dever às da pide) têm cometido sempre contraele e contra o FCPorto e ainda vem dizer que acredita na justiça portuguesa. Deve estar passado! Pois eu não acredito nem um bocadinho. E sei do que falo.

5 comentários:

GM disse...

Francisco, ninguém acredita na justiça portuguesa. Também, eu no meu blog tenho vindo a referir uma série de incoerências e manipulações em torno do Apito Dourado. Agora, o q o PdC está a fazer, é claramente dizer à justiça para que sejam... justos!! Está a passar um recado, pura e simplesmente. Para além disso, não nos podemos esquecer de uma coisa: a Maria José Morgado, é já uma figura pública, e com estas acusações tem vindo a aumentar a sua popularidade para o que venha a seguir na sua carreira profissional. Quando as mesmas chegarem ao tribunal, ficam fora do âmbito dela e passam a ser reponsabilidade do juíz provar a culpa de PdC. "Daqui lavo as minhas mãos", dirá ela, e entretanto já granjeou a popularidade que pretendia, já tomou os passos certos na progressão da sua carreira profissional, já promoveu o próprio marido junto de LFV. Por outro lado, sendo o Saldanha Sanchez Consultor Fiscal de LFV, quem nos garante que o próprio LFV não esteja inclusivamente a subsidiar ou incentivar à progressão destas acusações através de pagamentos identificados como serviços de consultoria?? Pois pagar ao Saldanha Sanchez, seria practicamente o mesmo que pagar à Maria José Morgado... Tudo pareceria legal, e não haveria muito por onde lhe pegar.... Pode parecer um pouco rebuscado, mas não é menos que aquilo que tem dado origem às acusações contra PdC.

dragaovenenoso disse...

Eu penso que uma acção como uma OPA lançada a qualquer empresa com o intuito de inflacionar os preços, atitude já confessada pelo autor, é semelhante às que já li e vi na tv e que foram alvo de processos judiciais. Mas isso foi nos EUA. Aqui a CMVM exige que lance uma OPA sobre 80% das ações em bolsa. É para calar o pessoal.
Quanto à riqueza dele, vem explicada na revista visão como começou: a cobrar comissões de artigos de contrabando, era ele adolescente. Com um princípio de vida assim, como acham que enriqueceu?

Paulo Pereira disse...

Já somos dois então, a não acreditar nesta Justiça oriunda de um País de mesquinhos, de invejosos, de gentalha k destila fel. O Porto e o seu presidente estão a sofrer o maior ataque de todos os tempos. Vale tudo, desde k o resultado sejam o que eles querem: a destruição de PCosta e do clube a que ele preside. Mas, numa época de trevas, mais vale apelar ao divino. E acredito, com a fé k tenho, k todos esses FILHOS DA PUTA irão pagar o k nos fazem.

Um abraço,

Alvaro disse...

Francisco, o Pinto da Costa é um brincalhão e só por isso é que às vezes diz essas coisas.
Porque a verdade é que tanto ele como eu ou tu, temos a certeza que ninguém em Portugal acredita na justiça. Nem mesmo a terrorista. ;)

Anónimo disse...

Uma pequena correcção ,na minha maneira de ver : PC não acredita na Justiça Portuguesa...acredita mais na Divina e tem razão,,,Deus não dorme
zé portista