domingo, 18 de setembro de 2011

Jogo 8 - Feirense, 0 x FC Porto, 0

É assim que se perdem campeonatos, devo começar por aí. Os jogos "interpares" não são os que definem o campeão no final da época, por norma, mas sim os pontos que se perdem contra os clubes mais fracos e de "outros" campeonatos...

Começando pelo principio do jogo. A equipa inicial surpreendeu-me e não foi pela positiva. Porque supunha, como disse no Facebook, que estivesse sem ritmo depois de uma lesão e a entrada de Mangala para o lugar do Otamendi. E, ainda, a ausência de Fernando (ou Souza) abdicando do trinco. Como já aqui o disse, acho que é possível jogar sem o trinco mas isso depende muito de factores como a forma como a equipa adversária se coloca em campo (quando abdica claramente do ataque) e dos jogadores que estão no meio campo - e aqui penso que só quando o Moutinho e o Defour jogam pode tal ser feito, colocando um Belluschi ou um James numa clássica posição 10.

Ora o FC Porto começou a perder os pontos nesse momento. O Mangala não é mau jogador pelo que mostrou, mas ainda não é melhor que o Otamendi, para além de que não tem ainda rotinas de equipa e tem dificuldades, naturais, de comunicação. O Guarin mostrou-se trapalhão e desconcentrado, alheado do jogo, ainda não está na melhor forma. E a forma como a equipa começou a jogar, sem uma entrada forte, com o meio campo trapalhão e pouco dinâmico, veio piorar as coisas.

Honra seja feita ao Feirense, já agora, que não estacionando o autocarro na frente da baliza e marcando bem à zona, com boa pressão e muito dinamismo, soube complicar ainda mais o jogo ao FC Porto.

O intervalo chegou e o jogo prometia já ser muito difícil, mas a saída do Kléber para a entrada do Varela veio complicar ainda mais. Porque o problema do ataque era o jogo não chegar lá, e o jogo não chegava lá porque o meio campo simplesmente não carburava - Guarin só complicava, James não engrenava, Moutinho não podia estar atrás e à frente ao mesmo tempo e Belluschi não encontrava espaços para jogar. Este foi, por isso, o 2º erro do Vítor Pereira.

Que com o decorrer do jogo não emendou, pois Walter (que até foi convocado) não entrou e a equipa mostrava que andava à procura de um homem de área nos seus cruzamentos constantes.

É evidente que também teve azar com mais 2 bolas aos ferros da baliza adversária - e aí vão 7 em 3 jogos - mas também podia ver o árbitro marcar um penalti aos 15 minutos contra nós que não era escândalo nenhum.

Não sou (ainda) tão pessimista como o Dragão sobre o nosso treinador Vítor Pereira. Penso que ele já mostrou alguns dotes e alguma percepção do jogo noutros jogos (por exemplo, soube ver como o Barcelona ia jogar e encontrar forma de contrariar o jogo deles, boa leitura no último jogo contra o Setúbal ao tirar o trinco, etc) e a equipa já mostrou bons momentos de futebol este ano - devemos nos lembrar que o ano passado o FC Porto só começou a engrenar algures em Novembro, contra os lampiões e contra o Rapid, na Áustria, pois até aí as coisas ainda se mostravam algo desajustadas e inseguras.

Penso que o Vítor Pereira, que não me parece burro nenhum - ao contrário do Jesualdo que até de aspecto me inspirava desconfiança - deverá ter aprendido algumas lições hoje. Teremos a prova já na sexta feira.

No final, era escusada a expulsão do James - que sentiu claramente a pressão de ter ser o único "génio" em campo, com a ausência forçada (ou não?) do Hulk. Será que não era mais seguro ter o Hulk no banco, como foi feito contra o Setúbal? Infelizmente, o Presidente tem razão: Hulk é insubstituível. E, pelo que vamos vendo para já, o Falcao também...

Nota final - Para desanuviar o ambiente, lembrem-se que faz hoje 15 anos que o FC Porto foi humilhar os lampiões à luz, na Supertaça, com os famosos 0-5, no dia de aniversário do Jardel que jogou apenas parte do segundo tempo e nem marcou... a ver se na sexta-feira há mais!



FICHA DE JOGO

Feirense-FC Porto, 0-0
Liga 2011/12, quinta jornada
18 de Setembro de 2011
Estádio Municipal de Aveiro

Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal)
Assistentes: António Godinho e Mário Dionísio
Quarto Árbitro: Jorge Tavares

FEIRENSE: Paulo Lopes; Pedro Queirós, Henrique, Luciano «cap.» e Mika; Sténio e Varela; Miguel Pedro, Diogo Cunha e Fonseca; Rabiola
Substituições: Sténio por Cris (57m), Miguel Pedro por Ludovic (66m) e Diogo Cunha por André Fontes (78m)
Não utilizados: Pajetat
Treinador: Quim Machado

FC PORTO: Helton «cap.»; Supunaru, Rolando, Mangala e Fucile; João Moutinho, Guarín e Belluschi; James, Klébler e Rodríguez
Substituições: Kléber por Varela (46m), Rodríguez por Defour (70m) e Sapunaru por Djalma (81m)
Não utilizados: Bracalli, Walter, Fernando e Otamendi
Treinador: Vítor Pereira

Disciplina: cartão amarelo a Diogo Cunha (16m), Pedro Queirós (29m), Fucile (44m), Mangala (66m), Rolando (72m) e Rabiola (90m); cartão vermelho a James (90m)

Ponto de Situação


6 vitórias, 1 empate, 1 derrota
16 golos marcados, 7 golos sofridos

5 comentários:

Anónimo disse...

Estou mais de acordo com o que está escrito no post anterior, nomeadamente naquilo que se refer ao Walter. Acho quem perdeu doispontos não doi o FCP, foi mesmo o Vitor Pereira. Espero que aprenda com os erros de hoje.

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem fizemos um jogo muito fraquinho. Fizemos uma primeira parte que mais parecia um filme do Manoel de Oliveira.

Perdemos 2 pontos, por culpa própria, pois não encaramos o jogo com a devida atitude desde o apito inicial.

O lance da expulsão de James foi o culminar de um jogo para esquecer.
James levantou-se impetuosamente na direcção de Rabiola, que se aproveitou para teatralizar, levando o árbitro a expulsar o seu colega de profissão. Rabiola pelo menos no teatro terá futuro.

Kléber segundo Vítor Pereira estava tocado e por isso foi substituído.
Não compreendo porque é que Walter não entrou na partida, na qual com a pressão do Porto se adivinhavam muitas bolas perdidas na área, impondo-se por isso a sua presença à falta de melhor.

Ontem ficou claro que sem pudermos contar com Hulk, escasseiam soluções para jogar no centro do ataque.
Iturbe ainda está a marinar e tarda a aparecer, e há que decidir de uma vez por todas se Walter conta ou se é só para fazer número.

O resultado foi justo e mau antes da recepção ao Benfica.

Podíamos com uma vitória ontem e outra diante do Benfica, disparar na tabela classificativa.

Valeu o fantástico apoio dos portistas que se deslocaram a Aveiro, que não mereciam este empate.

Agora há que rever o de menos bom, melhorar e recuperar os jogadores para o jogo diante do Benfica.

Abraço

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com

tiago disse...

"...mas também podia ver o árbitro marcar um penalti aos 15 minutos contra nós que não era escândalo nenhum."

eis um elogio de um lampião surpreendido pela demonstração pública de fair play.

José Ribeiro disse...

http://um-para-um.blogspot.com/2011/09/falcao-esta-de-volta.html

Convido-vos a visitar!

Abraço

Anónimo disse...

Viva,
tambem concordo mais com o Dragão, este VP não mostra nada até agora. A raiva que me deu jogar metade do jogo sem avançado, com a equipa toda à procura de alguem na área e nada, com 3 gatos pingados dentro da área nos cantos (!), sem ninguém para enganar a defesa e criar os espaços onde todos ficavam atrás à espera de ressaltos...
Pior ainda, dá a sensação que o xor Vitor é uma espécie de Paulo Bento para mais burro, sempre a punir jogadores em vez de os motivar para darem cada vez mais e melhor. À 5a jornada decide castigar Kleber a meio de um jogo e não mete o Walter pq na cabeça dele também tá de castigo por não ter sido melhor que o Falcão (!) na época passada e não mete Djalma por na cabecinha dele ainda não ter "estatuto" e então não mete ninguém!
Inacreditável, até podiam ter metido o bi-bota que só de estar na pequena área a roer as canelas aos centrais já dava espaço para a artilharia toda marcar mais de fora.
Mais: é EVIDENTE que foi alguma coisinha má que lhe passou pela cabeça, pois nunca em tempo algum o plantel treinou sequer jogar com os que ele apresentou na segunda-parte, assim sem referência no ataque.
Não se deixem enganar pelos jogos Europeus, aí todos se querem mostrar e comer a relva. É quando jogamos sem Hulk que se vê se o treinador tem unhas. Por mim só tem direito a mais uma oportunidade se ganhar sem espinhhas na próxima sexta.
Sexta veremos.
Abçs
Tripamoura