sexta-feira, 13 de março de 2009

SEMANA PERFEITA

Numa semana em que a ignominiosa campanha de ódio concertada pelos pasquins e televisões atingiu um ponto inédito neste País (até para eles), nada melhor que uma jornada de Liga dos Campeões para pôr tudo in su sitio.
Esse dejecto chamado Correio da Manhã fez parangonas com a execrável manobra de última hora dum MP completamente enredado numa teia de interesses ocultos, umas atrás das outras. O Símio Seboso Rui Santos insinuou, com todas as letras, que o Porto havia pago o frete de 3 jogadores do Leixões, com a liquidação de salários em atraso. Comparado com tudo isto, os 5 anos de "Donos da Bola" não passaram duma brincadeira de crianças.
Ora, esses pobres coitados que congeminam estas coisas ainda não aprenderam que tais manobras, connosco, equivalem a querer abater um elefante com uma fisga. E que costumam ter o efeito contrário. Dito e feito, um dos seus estandartes foi copiosa e vergonhosamente humilhado em Munique, enquanto nós eliminávamos com classe os castelhanos. Pela primeira vez na era Jesualdo. E no ano em que os lampiões e os seus desbotados aliados tudo fizeram para nos colocar fora da competição, via secretaria. É caso para dizer, continuem a tentar. Força ai, Correio da Manhã. Mais um bocadinho e ainda ganhamos a Lia dos Campeões.
Quanto ao jogo propriamente dito (aquele em que somos especialistas, o do rectângulo verde), há muito (desde a gloriosa campanha de 2004) que não tinha uma sensação tão boa. Apoio ímpar do Estádio, a criar um ambiente único desconhecido do resto do País, só possível nesta competição. Adrenalina no máximo, graças ao ambiente de fervor portista e às emoções do jogo, que nos ofereceram uma segunda parte do melhor que tenho visto no Porto dos últimos tempos. Graças a um abençoado Leo Franco, a adrenalina durou até chegar a casa. Como cereja no topo do bolo, o peseteiro traidor Assunção e o asqueroso Simulão foram eliminados em nossa casa, depois de 90 minutos com as orelhas a arder. Ao contrário, Maniche, um Senhor jogador e um cavalheiro fora dos relvados levou a homenagem que merece daqueles que nunca hão de esquecer tudo o que nos deu e o que ainda nos dá, mediante tanta manifestação de respeito e amor. Obrigado Maniche. Tenho fé de te voltar a ver de azul e branco.


PS - Nós (e o Chelsea, já agora) estamos nos quartos de final. E tu, José Mourinho?

2 comentários:

Nuno Silva Leal disse...

De facto, se juntassemos a este FC Porto o Maniche e o Leo Franco, eramos meninos para ganharmos a Liga... dos Campeões! Assim, já estou satisfeito com a chegada aos quartos de final, mas como bom portista, sonho sempre em ir mais longe...

Anónimo disse...

CHAU,chau Mourinho oooou....

Uma sugestão
Anda ver os 4º no Dragão!