segunda-feira, 1 de maio de 2006

Foi bonita a festa, pá!


Pois hoje tive o previlégio de assistir à comemoração do 21º Título de Campeão Nacional (25º no título de competições similares em Portugal) que decorreu no Estádio do Dragão. O programa foi engraçado, com música, animação de dança, entrevistas, presença do "Emplastro", do homem da corneta e do homem das andas, enfim, um pouco de tudo para contentamento dos 49809 adeptos que se deslocaram ao Dragão de propósito. Julgo que a última vez que tanta gente lá foi sem haver jogo terá sido para comemorar a vitória da Liga dos Campeões em 2004.

Gostei muito da parte final da festa, com os jogadores pintados a serem chamados individualmente, acompanhados de pequenos familiares que com toda a certeza serão "dragões" para o resto da vida deles. Momento mágico foi a chamada final do nosso mítico VITOR BAIA. O estádio se não veio abaixo naquele momento, resistirá a tudo no futuro. Venha quem vier, o Vitor é único e estará mesmo acima nos corações dos portistas de míticos nomes como Jorge Costa, Fernando Gomes ou João Pinto, só para citar os três mais importantes dos últimos 25 anos.

Ah! E pareceu-me que nalguns momentos de descontração da festa, talvez para descansar um pouco os cantores e bailarinas, houve uns rapazes que deram uns toques numa bola, mas nada que se possa comparar aos nossos grandes campeões. Para além de não correrem e falharem montes de passes, tipo jogo de solteiros contra casados, estavam todos com uma ligeira tendência para asnear a favor dos que se equipavam de branco, parecendo até que queriam que os de branco ganhassem o jogo, só faltou mesmo marcarem auto-golos para isso!

Mas dessa insignificancia de má organização da festa não rezará a história, obviamente. O que contará será a beleza de juntar 49809 pessoas para cantarem os hinos do FC Porto e comemorar com os jogadores mais este título.

7 comentários:

dragaovenenoso disse...

O Vítor Baía será sempre um símbolo do clube. Mesmo que passe à condição de segundo guarda-redes, o primeiro tem de esforçar muito para manter o lugar. E com 36 anos não é fácil estar ao nível em que ainda se encontra. Tomaram muitos guarda-redes chegarem aos calcanhares dele, como por exemplo o dono do maior aviário que há memória. Só a mafia instalada na FPF é que o mantém lá, assim como aos outros guarda-redes, que são suplentes nas equipas em que jogam.

Tal como o Pavão escreveu, hoje fomos brindados por mais um PERU DAQUELES. Já são tantos que lhe perdi a conta. É um guarda-redes mediano que durante os anos em que esteve no Boavista, principalmente os dois últimos, mostrou tudo o que era capaz de valer e na altura era de facto o melhor (o Vítor estava a recuperar de uma lesão gravíssima que lhe tirou um ano e meio de competição). A sua não titularidade no mundial foi injusta, há que assumi-lo. Mas depois foi caindo, caindo, caindo... enquanto que nos passados três anos o Vítor mostrou mais uma vez quem era o melhor e mesmo este ano chegou a fazer exibições soberbas (Milão, por exemplo). Foi afastado para segundo plano por um falhanço num jogo contra o Estrela que nem tem comparação com o PERU de hoje do rei do aviário. Foi posto à prova contra os lampiões e de facto sofreu um golo meio-frango. Mas esse meio-frango não tem comparação com as alegrias que nos deu desde o momento que o Artur Jorge o decidiu colocar a titular. Para mim, é um dos maiores símbolos de sempre do meu clube e merece a admiração de todos os Portistas.

Anónimo disse...

tambem la estive! viva o porto, somos campeoes!

Anónimo disse...

Para dizer que o Baía é o maior simbolo do F.C.Porto todas as imagens são permitidas,mas meter o Fernando Gomes entre o Jorge Costa e o João Pinto é um sacrilégio.
Não digo (longe de mim) que F.Gomes não seja portista, mas perdeu o direito a entrar no Olimpo dos nossos deuses. Às costas de F.Gomes e com a sua conivência, desencadeou-se uma das mais abjectas companhas contra o nosso club, aquando da sua ida para o Sporting, depois de ter dito que em Portugal só jogaria no Porto. Por isso,a Fernando Gomes, pese embora tudo aquilo que fez enquanto jogador do F.C.Porto, não restará outro lugar que não seja um lugar de penumbra na nossa memória, onde estarão Geraldão que nos fez perder um campeonato para o club do galináceo e outros.
Nós devemos ter memória para aqueles que levaram o nosso Porto aos pícaros a que se guindou, mas tambem daqueles que nos traíram.
Saudações Portistas
Dragão Maronês

NPRC disse...

Obviamente tambem estive lá!

Não sendo uma festa de arromba, gostei do simbolismo prestado pelo clube aos seus simbolos e suas figuras, casos do entoar do Hino do FC Porto por Maria Amélia Canossa, a substituição do Baía ou a homenagem ao enfermeiro José Luis.

Assim se constroí e afirma a cultura Portista!

FÓRUM - UltraSupporters disse...

http://portugal12.lforum.net

Azulinha disse...

As tripeiras também lá estiveram.
Gostamos da festa, mas, confessamos que a de há 2 anos foi bem melhor, mais forte, mas prontos, esta também foi LINDA!!!
FCP Forever.
Saudações das tripeiras

PavlovDoorman disse...

Obrigado a todos Nobres Dragões...
Obrigado a todos por me fazerem arrepiar...
Obrigado a todos aqueles que entoaram o Hino do nosso Clube...
Obrigado Adriaanse por tentar cantar o Hino do nosso Clube..
Bem sei que o meu pedido não chegou a todos, mas se fiz com que pelo menos mais 2 ou 3 pessoas entoassem o Hino já valeu a pena...
Agora um pedido maior...
Vamos entoar o Hino do nosso Clube em todos os jogos...
Que acham? Utópico? Ou apenas e só um desejo que se realizará?