terça-feira, 18 de outubro de 2005

Que se passa este ano?

Quando tudo parecia encaminhar-se para um conto de fadas, afinal parece ser um remake do filme de terror da última época!

Que se passa com a equipa?

Até à interrupção do campeonato para os jogos da selecção do sr. Scolari, a equipa era atacante, pressionante e criava muitas oportunidades de golo, apesar do baixo indice de aproveitamento. Dava espectáculos interessantes (já não me lembrava de ver o FC Porto jogar assim desde os tempos de Bobby Robson) e entretia os adeptos. Mesmo quando não ganhava mostrava vontade de querer ganhar.

Depois veio o jogo com o Artmédia e agora com os lampiões... e foi o descalabro.

A defesa é de papel muito fininho, que se rasga com a maior facilidade. O trico não "trinca" ninguém. O Mac está numa de querer ir embora e só cumpre os serviços minimos - ou nem isso, já que no caso dele isso seria marcar golos! O Postiga já nem na selecção do sr. Scolari faz alguma coisa. A equipa não sabe defender atrás da linha do meio-campo e quando tem a bola nos pés não aproveita as situações de ataque que vai construindo. Há jogadores a jogar fora do sitio - nem vou pelo César Peixoto que até acho que se está a adaptar bem ao lugar - como o Lucho (na selecção argentina tem atingido excelentes exibições encostado à linha direita, a fazer lembrar o Jaime Magalhães de antigamente) ou o Ibson (que faz melhor o papel de Maniche do que o do Costinha). Para além disso, jogadores como o Bosingwa, o Sonkaya ou o Postiga não têm espaço para jogar no FC Porto.

Há defeitos de construção do plantel que têm de ser limados. Precisamos de um central rápido e o Jorge Costa continua a ter lugar na equipa desde que seja acompanhado por ele, como se viu há duas épocas (onde já era lento) mas com o Ricardo Carvalho ao lado fez aquela que para mim foi a melhor época da sua carreira. O defesa direito tem de ser bom a atacar e defender também, tem de ser rápido e ter sentido posicional para saber quando deve ou não deve subir (que é o que o César Peixoto ainda não tem, isso ganha-se com a rotina do lugar). O trinco tem de ser o Assunção ou o Meireles - sendo que eu gostei muito dele no principio da época. O Jorginho joga na posição do Diego e é uma boa alternativa ao novo mágico, mas os dois ao mesmo tempo não cabem na equipa. O Sokota é um equivoco e neste momento, como mostrou nos sub-21, o Hugo Almeida é o melhor ponta de lança do FC Porto. O Lisandro é muito bom e combativo, deve jogar à esquerda mas pode cumprir muito bem qualquer outro dos lugares da frente de ataque. O Quaresma só a espaços é que joga para a equipa e isso não serve para o FC Porto, quando quero ver números de circo vou ao circo e não ao Estádio do Dragão!

Portanto, mister Co Adriaanse, não estrague o bom serviço que fez nos primeiros 100 dias com teimosias espúrias que não levam a lado nenhum. Exiga à SAD os jogadores que faltam para completar o plantel e promova a rectificação das posições e do sistema defensivo da equipa, sob pena de qualquer dia ter de voltar a ir para o Estádio do Dragão com lenços brancos no bolso para qualquer emergência como tantas vezes aconteceu o ano passado...

1 comentário:

Pentadragão disse...

Diego? Novo mágico? Para mim punha-o a rodar, a ver se ganha pulmão e começa a jogar. Ele no FCP não faz nada. É um zero. Só serve para empastelar o jogo.