terça-feira, 7 de abril de 2009

ORGULHO INCOMENSURÁVEL



Hoje assistimos à melhor exibição do Porto em anos. Com o peito a transbordar de alegria, emoção e orgulho, seria injusto, apesar da magnífica prestação de todos (menos o grande Bruno, que já está perdoado) não referir dois meninos, que há meses atrás jogavam em equipas sem expressão - Aly Cissokho e Fernando foram gigantes. No Teatro dos Sonhos, cedo os Dragões ameaçaram infernizar a vida a uns ingleses cheios de soberba e arrogância que não aprendem nada com a história. Finalmente o nosso treinador percebeu que a melhor defesa é o ataque e os resultados viram-se em campo desde o apito inicial. Depois de Lisandro ameaçar, Cebola cala os adeptos do mimalho e arrogante madeirense logo ao 4 minutos.Tal como já afirmei várias vezes, temos um dos melhores tridentes atacantes da Europa. A troca de bola ao primeiro toque e a velocidade dos três da frente, a partir de hoje, não surpreenderá mais ninguém com olhos decentes. Pena foi que Bruno Alves tenha borrado a pintura. Mas o espírito, o querer, a garra que tão bem nos definem impediu o descalabro. E, tal como em Madrid, soubemos recuperar o empate, com calma tranquilidade e classe. E assim, Old Trafford, o execrável idoso que comanda os vermelhos, a Inglaterra e a Europa coraram de vergonha depois das barbaridades que andaram a escrever e a dizer. OS outros, os sérios, aplaudem de pé semelhante lição de humildade e futebol.

Não podia deixar de dedicar a portentosa exibição ao Pavão Aflautado, ao PGR, à Morgadinha, aos Avantes, ao Correio da Manhã e ao filho do Sr. dos pareceres. Pensar nas trombas, no refluxo gástrico que os imepde de dormir é o melhor tónico para acalmar a adrenalina que me impedirá a mim de dormir sossegado.

Por último e sempre. A televisão estatal, sustentada pelos milhões dos contribuintes (sim, os portistas também contribuem) acaba um jogo de quartos de final, onde o campeão nacional bate o pé ao campeão do mundo, sem uma reportagem, uma flash interview, uma repetição, nada de nada. Custa-lhes, nós sabemos. Mas podiam disfarçar melhor a sua falta de isenção e de respeito pela democracia e por uma parte substancial do país.

6 comentários:

Orgulhoazulebranco disse...

De facto, a palvra orgulho é mesmo a que vem logo à cabeça.Tou babada xD.
Um grande obrigada a todos,a todos mesmo,desde o Jesualdo Ferreira até ao Fernando,passando pelo Lisandro e os adeptos.Ah!Foram espectaculares no apoio à equipa,do principio ao fim,nao se calaram.Ouviam-se mesmo assobios qnd o Ronaldo pegava na bola!! Ambiente dificil em Old Trafford??

Vamos manter os pés bem assentes no chão,cabeça fria e serenidade,faltam 90 minutos no nosso estádio e estamos em vantagem,mas é obrigatório manter a calma e concentração.

AMO-TE PORTO!

Armindo disse...

MAIS
E MAIS AMOR
QUE AMOR TÃO LOUCO
CADA DIA, EU
TE QUERO MAIS
MEU GRANDE
P O R T O ! ! !

José Campos disse...

Só faltou a vitória, Dragão!
Excelente exibição dos dragões no ‘Teatro dos Sonhos’ merecia outro desfecho!
Exibição de grande nível do FC Porto em Old Trafford!
A recta final do jogo foi de loucos!
FOMOS GRANDES!
Abraço

A nação azul e branca
http:\\anacaoazulebranca.blogspot.com

Pedro Martinho disse...

Não sei pq estranhas a televisão estatal. Sempre foi e sempre será assim. Ainda me lembro em 87 quando o GRANDE FCP ganhou a taça dos campeões, o telejornal não abriu com a noticia. So a deu quando deu o desporto. No ano seguinte até uma musica fizeram para apoiar o Benfas, quando este foi a final. É o jornalismo que temos somente preocupados com os clubes de lisboa e hoje o record demonstrou isso mesmo.

Anónimo disse...

boas,o cebola tbm estava numa equipa sem expressao,o ano passado,nem m lembro do nome do club.....

Anónimo disse...

Só um comentário: o Bruno Alves desta vez borrou a pintura, mas houve muitas outras em que foi pintor de génio. Todos podem ter um dia mau. Força, Bruno!