sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

VENHA GELSENKIRCHEN

Com a conta que Deus fez, passámos um dos jogos mais difíceis que tradicionalmente temos. Numa cinzenta primeira parte, salvou-se o belo golo (mais um) do Lisandro. Na segunda parte, com a expulsão do maritimista, tudo ficou simples e já se viram algumas amostras do futebol espectáculo que às vezes conseguimos demonstrar. Já com o jogo ganho, Quaresma, ao recrear-se com a bola deu um espectáculo à parte. Tal como Lisandro, que bisou. Fica na retina o lance em que galgou dezenas de metros, aguentou a carga do defesa, conseguiu antecipar-se na marra e desviou... para fora. Exemplo único de garra, querer, inteligência e técnica. Um jogador como não me lembro alguma vez de ter visto e, claramente, o MVP do campeonato (atrás do "maestro", obviamente...)

Mais uma jornada passada, mais uma infâmia arbitral. Pedro Henriques, para mim o melhor árbitro que alguma vez apitou em Portugal, não consegue livrar-se dos condicionalismos que inevitavelmente qualquer árbitro, mesmo que de boa fé, tem quando nos apita. Se na anterior deslocação à Madeira transformou um penalty em livre fora da área, desta vez deixou-se levar num rol de disparates, que só não teve consequências iguais porque ganhámos. Ainda com o jogo empatado, não teve coragem de marcar penalty sobre "El TEcla". Depois, Fucile é rasteirado por trás por Djalma, que já tinha amarelo, sem a consequente expulsão. Isto ainda na 1ª parte. O mesmo Djalma que foi expulso na segunda parte em lance que me pareceu claramente compensação. Não contente, no lance do golo do Tarik, devia ter marcado penalty. Mais um. Este, do tamanho da Pérola do Atlântico e que dava direito a expulsão directa do defesa insular. Como todos sabemos, nos penalties não há lei da vantagem. Pedro Henriques não marcou porque não quis e, felizmente, a bola sobrou para o Unifinta, que apenas teve que encostar.
Como não ando cá há meia dúzia de dias, sem medo de errar quase garanto que amanhã vão pegar no lance da expulsão do Djalma e apontá-lo como factor principal da derrota maritimista. Vira o disco, toca o mesmo. 19 jogos, um penalty assinalado apenas em todo o campeonato. E por falar em números, nada como dar uma espreitadela a este excelente blog portista e constatar as comparações de transmissões televisivas. E agora, venha Gelsenkirchen. Essa palavra mágica.

2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Siga para Gelsenkirchen que o resto é paisagem.Penaltis a favor do F.C.Porto?!Só quando arrancarem uma perna, partir não vale.Há um, um tal Delgado, que até fala hoje na Bola em perda de pontos já esta época por causa do apito.Haja pachorra e Kompensan para tanta azia.
Já andas mais contente com o Jesualdo?
Um abraço

Ricardo Moutinho disse...

Boa análise do Marítimo-Porto. O FC Porto ganha em Gelsenkirschen. Um abraço portista