sexta-feira, 25 de maio de 2007

Análise à época 2006/07, antevisão de 2007/08

Conforme prometido, aqui fica a minha análise.

Aviso prévio: é muito longo e poderá ferir mentes mais susceptíveis a seguidismos e “yes-manismos”…
Divide-se em 4 partes:
1 – Análise ao Plantel, por sectores;
2 – Análise à Equipa Técnica;
3 – Análise aos Dirigentes;
4 – Conclusão final

1-Análise ao Plantel, por sectores

Guarda-redes
Helton, Vítor Baia, Paulo Ribeiro
Helton foi o senhor da baliza, um digno sucessor do mítico Vítor Baia. Mostrou a sua categoria e soube conquistar os adeptos, o seu respeito, simpatia e carinho. Durante a fase negra da época, entre Janeiro e Março, também teve alguns deslizes, mas não manchou aí a sua época. Vítor Baia é um monstro do futebol europeu, senhor de uma carreira invejável e só ao alcance dos eleitos. Capitão e portista como poucos, para mim continua a ser o melhor guarda-redes português na actualidade! Mesmo não jogando, provou que ao contrário do que insinuou de forma insidiosa o mercenário brasileiro da selecção, ele é grande, muito grande – não me esqueço, poucos portistas o farão, que ele foi o primeiro a defender Helton na fase critica desta época, após dois jogos onde erros do brasileiro comprometeram o desempenho de toda a equipa! Continua a ser um senhor, por mim é a ele que dedico o título, ele merece-o mais do que ninguém! Paulo Ribeiro é um jovem que demonstrou já potencialidades mas que não terá grandes hipóteses de jogar salvo alguma onde de lesões e castigos debaixo dos postes.

Futuro – Helton renovou e continuará na baliza. Baia pode continuar mais uma época, ou até mais, mas outros voos tem já na sua carreira. Quem sabe se não sucederá em breve ao treinador, quem sabe se não saltará para dirigente máximo do futebol, não sei, mas sei que ele é grande demais para sair simplesmente do FC Porto. Há quem tenha o Eusébio-bibelot, há quem tenha o Paulinho-roupeiro, nós temos o grande Vitor Baia. O Paulo Ribeiro se não se importar de estagnar na carreira, poderá manter-se por cá, mas acredito que seja cedido, pelo menos por uma época. Talvez regresse o Bruno Vale, talvez suba o promissor júnior a 3º guarda-redes, talvez os comissionistas já estejam a esfregar as mãos com mais um negócio por aí…

Defesa
Bosingwa, Fucile, Pepe, Pedro Emanuel, Bruno Alves, Ricardo Costa, Cech, Mareque
Aqui está um caso grave e complicado. Pepe é um digno sucessor de Eurico, Lima Pereira, Celso, Geraldão, Fernando Couto, Jorge Costa ou Jorge Andrade. Pedro Emanuel entranhou-se na massa associativa e apesar de não ser deslumbrante, cumpre e sente a camisola como poucos, mas a lesão da pré-época parece que acabou a carreira dele. O Bruno Alves parece ter-se imposto mas continua a não me convencer, falta classe e categoria onde sobeja “azelhice” e “tosquice”! Ricardo Costa está a passar ao lado de uma grande carreira, tinha todos os condimentos para vencer mas está a afundar-se aos poucos. Dos laterais escapa o Bosingwa, mas sem impressionar por aí além. O Fucile e o Cech mostram pelo menos alguma versatilidade, mas será isso suficiente para jogar de azul e branco? Sobre o flop Mareque nem comento…

Futuro – É negro. Com Pepe já a caminho de Itália ou Espanha, Pedro Emanuel a pendurar as chuteiras, lamento dizer mas os restantes não estão nem por sombras aptos a continuarem de azul e branco… Para suplentes, ainda vá, mas é preciso uma autêntica revolução neste sector.

Meio-campo
Paulo Assunção, João Paulo, Meireles, Lucho, Ibson, Anderson, Jorginho
Da época Adriaanse ficou um plantel destroçado neste sector. Paulo Assunção não é mau, mas também não é “bom”, é mais bombeiro… João Paulo continua a parecer-me melhor central que trinco. Meireles tem características que me agradam, como o remate de meia distância e capacidade física, mas é inconstante e alterna grandes jogos com períodos de total apagamento. Lucho já mostrou ser um grande jogador, mas a ideia que agora me dá é que está contrariado no FC Porto, que está a jogar em Portugal por favor, jogando na Europa em grande… Ibson é um azarado, já mostrou ter muito futebol nas pernas mas tem sempre uma lesão traumática nos momentos de afirmação. Anderson é um génio, dos melhores que vi a jogar com a idade dele. Jorginho é merecidamente um mal amado, fez muito por isso e o Adriaanse ajudou também.

Futuro – É polémico o que vou dizer, mas Assunção, Lucho e Jorginho estão a mais. João Paulo, se calhar, também. O FC Porto precisa de um grande trinco, um digno sucessor do André e do Costinha. O FC Porto precisa de mais médios ofensivos que saibam com a bola no pé construir um lance de perigo como tantas vezes fizeram Diego, Deco ou Zahovic. E hoje só à Anderson… Jorginho é caso perdido para o futebol, poucos jogadores tiveram tantas oportunidades de mostrar serviço e falharam como ele falhou.

Alas
Quaresma, Vieirinha, Alan, Lisandro
Outro caso problemático com a iminente saída de Quaresma, o abono de família. Sobre este, só o mercenário brasileiro ainda tem dúvidas (mas como se engana frequentemente, nem comento mais nada) e é um grande jogador, como o foram Futre ou Drulovic. Alan é um devaneio mental de um observador, de um treinador e de um presidente. Com excepção do comissionista que ganhou com a negociata, todos ficaram a perder! Vieirinha é um jovem com muito potencial, preterido bastas vezes no início da época para o dito Alan e para o inenarrável amigo do Adriaanse, Tarik, que Alá o conserve longe do FC Porto! Acredito que possa singrar no FC Porto, nos poucos minutos que esteve em campo fez algumas coisas que só grandes jogadores são capazes de fazer, mas tem de ser regular e agarrar com os dois pés as oportunidades que tiver. Lisandro é um caso único – argentino no seu melhor, a raça e entrega ao jogo, o prazer de disputar cada lance como se fosse o último do jogo e do campeonato.

Futuro – Eu continuava a apostar no Vieirinha e no Lisandro, partindo do princípio que o Quaresma tem um pé em Espanha e outro em Itália. Mas Alan que vá pastar noutra pastagem, não tem futebol para o mágico FC Porto, pelo que é urgente encontrar dois novos extremos para o plantel.

Ataque
Adriano, Postiga, Bruno Morais, Renteria

Adriano, de proscrito pelo treinador, passou a seu salvador. E é de longe, desde a saída do Super-Mário, o melhor ponta de lança que vestiu a nossa linda camisola. Pode não ser um matador, um artista ou estar sempre a mascar não sei o quê! Mas é eficaz quanto baste e regular nos golos importantes que vai marcando. A manter. O resto é para dispensar! Postiga nunca devia ter regressado, Bruno Morais é uma espécie de Mielcarski, de lesão grave em lesão mais grave até acabar uma carreira promissora e Renteria pouco mostrou e o melhor é rodar um ano para mostrar o que vale. Avançados precisam-se, urgente, contactar SAD do FC Porto ou comissionista mais próximo!

Em resumo, temos um plantel desequilibrado e em vias de perder pelo menos dois dos seus mais influentes jogadores. Revolução precisa-se e é necessária! Do meu ponto de vista, Helton, Baia, Bosingwa, Pepe, Meireles, Ibson, Anderson, Quaresma, Vieirinha, Lisandro e Adriano são inegociáveis e nunca deveriam sair do clube, são os imprescindíveis. Paulo Ribeiro, Fucile, Bruno Alves, Cech, João Paulo e Postiga não me incomodam muito se ficarem, mas se partirem também não terei saudades. Lucho é a única “pérola” que veria com naturalidade abandonar o clube, rentabilizar este jogador se isso significasse manter o Pepe e o Quaresma! De resto, todos os outros são, na minha modesta opinião, dispensáveis!

Mas porque as “revoluções” implicam saídas mas também entradas, ficam agora alguns jogadores sobre os quais não me importaria de os ver, pelo que conheço e vi deles até ao momento, assinar pelo FC Porto para as próximas épocas.

Duda (Sevilha) – Já há várias épocas que vem mostrando ser possuidor de um excelente pé esquerdo, sobre o qual já ouvia falar bem nos juniores do Vitória de Guimarães e que vem sendo apontado como potencial reforço para o FC Porto há pelo menos dois anos. Parece-me um bom ala e tem uma característica muito interessante: marca muito bem livres, coisa da qual o FC Porto está claramente deficitário.

Kaz (Boavista) – Um dos polacos do Boavista, o mais raçudo e corpulento, mas também muito interessante tecnicamente, polivalente pois joga em várias posições no campo e com propensão para marcar golos graças ao seu bom remate.

Antunes (Paços de Ferreira) – Para além de nos ter marcado um golo que quase nos roubava o campeonato na penúltima jornada, através de um livre directo bem executado, mostrou boa capacidade defensiva e bom pé esquerdo, o que aliado à sua juventude o torna num potencial seleccionável para esse problemático sector, logo uma aposta de futuro.

Hugo Monteiro e Livramento (Boavista) – Confesso que vi pouco estes jogadores, mas dos talvez 3 jogos que assisti deles confesso que me impressionaram bastante estes jovens. O Hugo Monteiro pela velocidade, técnica e facilidade de remate, o que fazem dele um potencial bom extremo. O Livramento em acções de meio campo onde vi muita garra e clarividência, encontrando linhas de passe e espaços para jogar com muita naturalidade e facilidade. Parecem-me duas boas apostas de futuro.

José Pedro (Belenenses) – Apesar da sua idade, julgo que este jogador está no seu melhor momento e bastante mais maduro, pelo que poderá render ainda algumas boas épocas entrando de imediato, sem grandes períodos de adaptação. Lembrem-se por exemplo do Fernando Mendes que também contratamos ao Belenenses e que apesar dos seus (julgo que) 29 anos então, ainda jogou algumas épocas em alto nível, atingindo até a selecção onde já não ia desde tenra idade enquanto não era mais que uma promessa. José Pedro já foi uma esperança e está num momento onde acho que o seu futebol vertical e directo para a baliza, com um portentoso remate de pé esquerdo, pode ajudar muito o nosso meio campo ofensivo a abrir algumas defesas mais fechadas que vamos encontrar pela frente pelo menos uns 15 a 20 jogos na próxima época, como habitualmente.

Andrade (Braga) – Este jovem internacional brasileiro parece ser um potencial futuro seleccionável, muito futebol nos pés e na cabeça, jogador inteligente e com muito futuro. A comprar já antes que seja impossível…

Paulo Machado (Leiria) – Este nem sequer é uma contratação, pois já é nosso. E continuo a gostar do seu futebol, entre ele e o Paulo Assunção, claramente que o prefiro a ele: é mais jovem, é português e já tem mais anos de FC Porto do que Paulo Assunção alguma vez terá…

2-Análise à Equipa Técnica

É fraca! A começar pelo responsável máximo, Jesualdo Ferreira. E podem vir com o título e o que mais quiserem, que não mudo de opinião. Ganhou e cumpriu o mínimo que se pede ao treinador do FC Porto: que seja campeão! E mesmo assim, só na 2ª parte da última jornada garantiu esse campeonato! Aliás, ficou muito aquém em tudo o resto: não dominou em grande parte da época (isto é, desde as famigeradas férias de Natal até agora) e não praticou um futebol atractivo para o público. Pela primeira vez em muitos anos, nem sei bem quem é o adjunto principal. No FC Porto sempre houve dois tipos de adjuntos: o da casa e o do treinador. Hoje há dois adjuntos da casa, João Pinto e Rui Barros. Mas o adjunto do treinador é tão ”low profile” que nem sei quem ele é! (Ok, fui ver ao site, chama-se Carlos Azenha…) O treinador de guarda-redes parece-me minimamente competente. O preparador físico é uma nódoa! Muitos jogos esta época vimos os nossos jogadores acabarem o seu jogo aos 60, 70 minutos… faltavam-lhes sempre 20, 30 minutos de “pernas”.

Muito sinceramente, acho que o Jesualdo foi um erro, um flop! Antes tivesse ficado o Rui Barros, que mostrou competência e inteligência na gestão da transição e sabe, ao contrário do Jesualdo, o que é ser-se “Portista”. Ou antes tivesse havido coragem da SAD em apostar num jovem como o Domingos ou o Jorge Costa. Eu continuo a achar que estes são a solução, IMEDIATA. Não é para o final da outra época, é para JÁ! A SAD deveria colocar o Jesualdo numa tarefa muito mais própria para o seu perfil, que é o trabalho com jovens, formação e coordenação entre várias equipas técnicas. E entregar o treino e o trabalho de campo a quem está mais orientado para uma filosofia moderna de futebol.

3-Análise aos Dirigentes

Ainda bem que o Clube elegeu novos dirigentes, pois aqueles que estão na SAD para além de estarem um pouco entradotes, estão um tanto ou quanto desaparecidos e, por acaso, acossados por uma justiça persecutória e à procura de uma justificação para a sentença de “culpados” exarada antes do julgamento…
Agora a sério, já o disse antes e volto a repetir: Pinto da Costa foi grande, com o Teles Roxo, com o Reinaldo Teles, mas se foi, hoje, já não é! Se em tempos viveu para o Clube e deu-lhe todo o seu tempo e forças, hoje a sua preocupação vai para algumas rameiras que vai encontrando em bares de alterne aqui e ali. É duro o que digo mas, infelizmente, é a verdade. Reinaldo Teles está viciado no jogo e tem dívidas descomunais por causa disso, pelo que se preocupa mais com o Casino de Espinho do que com o Departamento de Futebol. É duro o que digo mas, infelizmente, é a verdade.
Se ninguém lhes tira o valor de tudo o que construíram, eles próprios estão a demolir, tijolo a tijolo, tudo isso. A cada capítulo do apito dourado cai mais um tijolo. A cada livro e entrevista da alternadeira-escritora, cai outro tijolo. A cada processo por dívidas dos casinos, cai outro tijolo. Falta saber quando vai a construção colapsar-se completamente…

Foi pena ninguém ter avançado no domingo passado. Mas se Pinto da Costa ainda tiver um pouco do dirigente visionário que já foi, sendo ele eleito líder do Futebol Clube do Porto e tendo de indicar o Presidente do Conselho de Administração da SAD, não se indicará a ele próprio nem ao seu eterno vice-presidente. Estou, assim de repente, a ver alguns bons potenciais dirigentes que poderiam assumir essa presidência, deixando ao “velho dinossauro” a tarefa de dirigir o clube e concluir assim o pavilhão multiusos que tanta falta faz às modalidades amadoras. Gostava de ter, para variar, um presidente com alguma classe e categoria como tem o Sporting. Gostava de ver, para variar, um ex-jogador com pergaminhos do e no FC Porto a assumir o Departamento de Futebol. Quem sabe se um desses dirigentes de nova geração não é mesmo o Vitor Baia, a fazer fé nas noticias que correram esta semana...

4 – Conclusão final

Porque já vai longo, vou sintetizar. O FC Porto ganhou o campeonato, mas quase o perdeu na recta final. Foi, sejamos claros, mais fraco que os adversários directos nesta segunda parte da época, graças às férias de Natal, graças à má política de reforços de Janeiro, graças a um treinador assaz incapaz de lidar com a pressão de ter de ganhar sempre e graças a um plantel destroçado após a experiência “Adriaanse” e com alguns elementos sem qualidade para a 1ª Liga, quanto mais para o nosso mágico FC Porto.

Por isso, a revolução é urgente. Se preferirem, não é revolução, é evolução. É evolução no sentido da procura de se ser melhor, mais alto, mais forte, tudo para chegarmos mais longe. Para não sermos eliminados da Taça tão cedo, para chegarmos aos quartos de final da Liga dos Campeões, para sermos campeões nacionais umas jornadas antes de acabar o campeonato!

Confesso que sou um insatisfeito. Confesso que em 34 anos de vida apenas duas vezes fiquei sem palavras negativas para falar de uma época futebolística. Em 2003 e em 2004. Porque mesmo em 1987, faz agora 20 anos (como o tempo passa!), não ganhamos o campeonato de forma algo ingénua. Quero sempre mais, mais vitórias, mais futebol espectáculo, mais golos, mais empenho… E sinto que este plantel, com esta equipa técnica e com estes dirigentes não vai conseguir mais nenhum sucesso num futuro próximo. E daqui a bem pouco tempo, em Julho ou Agosto, terei a primeira prova disso na Supertaça contra o Sporting (se este ganhar, como acredito que venha acontecer, a Taça de Portugal) se tudo se mantiver como esta época.

11 comentários:

Anónimo disse...

Guarda-redes - Helton continua a ser a escolha para 1º, o Ventura talvez deva ficar + 1 ano nos juniores (n sei se terá idade para tal), mas poderá tar aqui o grande GR do futuro!
Defesa - Discordo da opinião do Bosingwa, acho que é um excelente D.D., o Pepe, estará de saída e não há craque à vista neste sector, já o B.Alves, acho q tb não deslumbra à imagem do P.Emanuel, mas tb acho que sente muito a camisola, e acho q terá + qualidade q o R.Costa. Defesa esquerdo precisa-se!!
Meio campo - Precisamos de mais médios "secundários" de qualidade como nos tempos de P.Mendes, Alenitchev e afins, ou seja suplentes de qualidade que saibam mexer na "xixa", o P.Assunção para suplente seria bom, Jorginhos e companhia n!Concordo com o P.Machado regressar.
Avançados - Dar + 1a hipotese ao B.Moraes, o Postiga duvido q alguem o queira, o Renteria nem sei,o Adriano marca, mas n é de nivel europeu, temos de arranjar algum prodigio, brasileiro ou n.Os alas, concordo com a saída do Alan e acho que se esqueceram do H.Barbosa, cuidado pode estar aí outro caso sério! Contratar o Antunes, o Duda acho q não!
Dirigentes - acho que o Baía dará 1 grande dirigente, em relação a toda a administração acho tb q é altura de ceder o lugar a gente com menos idade e 1 pouco + de "sentido empresarial" mas tb portista, Rui Moreira!
Treinador - Concordo com o Domingos e J. Costa, dificil seria escolher, mas apostava no J. Costa!
Peço desculpa pelo post algo grande...
Cumprimentos portistas!!

Ricardo Ferreira

JJota disse...

Permito-me discordar de alguns aspectos da análise.Quanto a jogadores:-Bosingwa é na minha opinião um grande lateral direito,com força e velocidade extraordinárias.-Bruno Alves transformou-se num central de grande nível com bom sentido posicional e quase intransponível no jogo aéreo.É um jogador à Porto e poderá ser eventualmente capitão de equipa.-Quanto a Fucille acho que foi uma das revelações da época.É jovem mas revela maturidade e embora não seja canhoto é um bom defesa esquerdo podendo jogar também à direita.Parece-me um jogador importante em termos de futuro.-Quanto a João Paulo tenho a sensação que poderá ser uma alternativa credível face a uma eventual saída de Pepe.Tem revelado grandes potencialidades tendo técnica, força,jogando bem de cabeça e saindo bem a jogar.Para mim é imprescindível para a próxima época.-Também discordo da análise a P.Assunção.As duas últimas épocas falam por si.Quanto ao teinador,embora tenha discordado de algumas situações ao longo da época, parece-me que deverá continuar por uma questão de estabilidade e para evitar novos casos Del Neri,Fernandez,Couceiro.Para terminar considero que o nosso Presidente é ainda uma pedra fudamental no clube e na Sad e que este mandato será importante para rectificar o que correu menos bem e ir preparando o futuro de forma a que a transição decorra sem situações traumáticas de consequências imprevisíveis.

Visconde Falido disse...

Um tipo que tem como referencia este: "Gostava de ter, para variar, um presidente com alguma classe e categoria como tem o Sporting." , não me merece a minima consideração. Já sei do genero que é...

GM disse...

Pavão, sempre li as tuas crónicas com respeito e consideração pelas tuas ideias, identificando-me com muitas delas. No entanto, acho q desta feita, foste demasiado "duro", e até demasiado "idealista" nas tuas críticas. Não existem equipas perfeitas, independentemente do que se possa dizer das equipas de Mourinho e outras que passaram pelo Porto, não existem, jogadores perfeitos nem treinadores perfeitos. Sinceramente, acho que erraste na análise a alguns jogadores, nomeadamente ao B.Alves, Fucile e P.Assunção pela negativa, e Vieirinha pela posita. Ou seja, acho q estes três, principalmente B.Alves e P.Assunção, já provaram ser realmente bons nas suas posições, com grande ascendente do B.Alves este ano sobretudo. O Fucile é um jovem com clara margem de progressão, bons pés, boa técnica, perseverante defensivamente. Por outro lado o Vieirinha, sempre que entrou, ou quase sempre, optou por complicar. Um jogador deve arriscar quanto baste, e simplificar como primeira opção. O Vieirinha é o contrário, um pouco ao estilo do que o Quaresma tem feito nestes últimos jogos. A diferença é q o Quaresma tem espaço de manobra pois já provou do q é capaz e já conquistou o seu lugar na equipa. O Vieirinha não, portanto devia ser mais práctico, pragmático e objectivo no seu estilo de jogo, algo que não tem sido.

Defendo uma política de empréstimos, mas com condições. Um jogador emprestado pelo Porto, de tenra idade preferencialmente e oriundo das nossas escolas, deverá ganhar ritmo competitivo noutros clubes de primeira liga, em que esteja garantida a sua titularidade, em pelo menos metade da época. Emprestar para ficar no banco ou nem sequer ser convocado, não vale a pena.

Eu tb sou um insatisfeito, no entanto, não espero perfeições e apesar de achar q o Jesualdo este francamente mal em determinadas alturas do campeonato, e que demonstrou ser medroso em certos jogos, também não me esqueço de vários outros factores que possam ter tido um forte impacto na performance dele enquanto treinador:

1.Não escolheu equipa técnica à excepção do treinador adjunto. Verdade seja dita que o nosso preparador físico aparenta ser sofrível.
2. Não escolheu o plantel, apanhou com o que lhe foi deixado pelo Adriaanse, o qual tinha um estilo de jogo totalmente diferente.
3. Foi muito prejudicado em termos de escolhas pelas lesões traumáticas que afectaram os nosso jogadores ao longo da época e por alguns castigos injustamente aplicados.
4. As arbitragens tiveram influência no resultado em alguns jogos em que acabámos por perder pontos (Sporting no Dragão, Benfica fora, Leiria fora, Amadora em casa, etc).
5.O Jesualdo esteve quase sempre sózinho ao longo da época, onde esteve Pinto da Costa? Não se sentiu apoio.

Por outro lado concordo efectivamente com as críticas lançadas à direcção. Apesar de não esquecer tudo o que PdC fez, é altura de mudança. Precisamos de alguém novo, e igualmente capaz, incisivo e cortante. Precisamos de um PdC nos seus melhores anos. Dou-lhe o benefício da dúvida pelo que já fez, mas acho que se devia fazer acompanhar melhor, pessoal e profissionalmente.

O Reinaldo Teles é um personagem claramente prejudicial à imagem do FCP, e ultimamente tem agido de uma forma quase invisível, o q n julgo ser benéfico para a posição q ocupa, m por outro lado e tendo em conta a sua própria figura, até acho q foi melhor assim. Melhor seria se abandonasse o clube e levasse com ele todas as ideias a si associados: casas de alterne, casinos, dívidas, etc.

Basta de chupistas e comissionistas da direcção do clube. Concordo que tenham de ser pagos pelas funções que desepenham, como qualquer outro funcionário, mas discordo das comissões propondo por outro lado um incentivo ao vencimento por objectivos. E quando falo em objectivos refiro-me aos financeiros (estabilidade e rentabilização da marca FC Porto) e desportivos.

Há muito mais a dizer, muito mais por onde pegar, mas não quero colocar aqui mais um testamento. :)

Abraço.

Anónimo disse...

IMPORTA-SE DE REPETIR? LOL

Anónimo disse...

Este escriva têm com referência a extraordinária gestão deste sr.

Este escriva têm com referência a extraordinária gestão deste sr.

MiguelMor disse...

Concordo em parte com esta análise, apesar de achar que num e noutro ponto se cai no exagero. No entanto, isso desculpa-se porque sabemos que o que se quer é o melhor para o nosso clube.
Se quiserem saber a minha opinião vão a http://dragaoalfacinha.blogspot.com/
É mais um blog de portistas e para portistas.
Saudações draconianas

Nuno disse...

ahm???

TRSM/CUBILLAS disse...

Análise com alguns aspectos de radicalismo, contudo revejo-me quase na íntegra no que diz respeito aos jogadores, excepto a referência ao Bruno Alves que ainda tem muita margem de progressão e não encontro no actual plantel quem o substituta

Sobre a equipa técnica discordo, não me lembro no passado recente de liderarmos o campeonato da 1ª à ultima jornada, por muitos "ses" que se diga fomos campeões e os resto pouco importa. Devemos dar oportunidade ao prof. Jesualdo com uma época inteira da sua responsabilidade e tenho a certeza que não vai senhum flop.

abraço e parabéns

Nuno disse...

Já tinha saudades de ver comentários dignos e de qualidade ao que escrevo, confesso!

Parabéns a todos quantos discordaram do que eu escrevi, discordar assim com tantas ideias e bem argumentadas é bom para o clube!

Perdoem-me pelos meus excessos (radicalismos, se quiserem) mas quem me conhece sabe que não tenho meias medidas: ou é branco ou é preto, cizentos não são para aqui chamados!

Quanto ao presidente do Sporting, eu não disse que concordava ou deixava de concordar com a sua gestão, nem que ele é uma referência de gestão. O que eu disse, e está lá muito claramente escarrapachado, é que gostava de ver alguem com "classe" e "categoria" dele: estou a falar do ponto de vista pessoal e não profissional. Eu aqui não faço análises a outros clubes!

Por último. Bruno Alves, Bosingwa, Fucile e Paulo Assunção. E Vieirinha. Os 3 primeiros foram importantes este ano, e apesar de os dois portugueses terem sido chamados agora à selecção do brasileiro, continuam a não me convencer. O Bosingwa tem muita velocidade e tal, mas se houver estatisticas de produtividade desconfio que as deles só devem estar em alta nos cruzamentos para fora e nas bolas perdidas para o adversário. O Bruno Alves continua a ser muito fraco de pés e grande parte das jogadas de perigo na área do FC Porto acontecem na sua zona de acção. O Fucile que foi contratado como DD demonstra mais talento do outro lado, só que com um pé esquerdo mais cego do que o meu... Paulo Assunção: não é que desgoste dele, mas se por vezes faz bons jogos, às vezes perde muitas bolas, faz faltas desnecessárias, passa para o lado e para trás, não faz transições defesa-ataque de qualidade; e entre um estrangeiro a caminho dos 30 ou um jovem da nossa formação saído dos 20, eu prefiro o segundo. Sobre Vieirinha, é de facto uma fezada minha. Pouco mostrou, mas mostrou pormenores soberbos para quem conseguiu descurtinar. Pode nunca dar nada, mas pode ser um grande jogador. Às vezes a diferença é uma linha fininha, entre a aposta prolongada e confiante do treinador (o que nunca aconteceu) ou a utilização esporádica tipo "tapa-furos" (que foi o que aconteceu).

Obrigado por contraditarem-me desta forma elevada como só os grandes adeptos deste grande clube sabem.

Pavão

Anónimo disse...

Mas o que é isto??? Mais uma revolução??? Fomos campeões e querem mudar a equipa toda? Da defesa ao ataque são todos uns badamerdas???
E depois ainda falam dos comissionistas... com a quantidade de contratações necessárias com esta opinião, isto é que iam haver comissões!!! Haja coerência!

O Porto precisa de manter a equipa... mudar dois ou três jogadores que estão a mais, vender uma pérola e não contratar por atacado. Que grande estupidez!!!