quinta-feira, 5 de maio de 2011

Dublin, está quase...

O sonho lindo que temos vindo a construir ao longo da época está prestes a tornar-se realidade e faltam 90 minutos, depois de 15 jogos este ano para a LE, para conseguirmos ir jogar o match decisivo na Irlanda.



Eu acredito muito que podemos lá chegar e, melhor ainda, trazer o caneco!

Amanhã à noite, em Villareal, bem próximo de Valência, o FC Porto será colocado à prova novamente - e não vai ser fácil, como se percebe pela "falsa" noticia que hoje foi papagaiada e que permite antever um escaldante ambiente no estádio.

A equipa irá apresentar-se na máxima força, apenas com duas lesões (Belluschi e Fucile) e um jogador condicionado disciplinarmente, Moutinho. Acredito que este fique no banco e só seja chamado em caso de "emergência". Pelo menos, essa seria a minha opção.

Penso que a equipa que vai tentar manter a tradição que remonta a 2002 de não perder em Espanha será a seguinte: Helton, Sapunaru, Rolando, Otamendi, Palito, Fernando, Guarin, Micael, Hulk, Falcao e Varela. E vamos ganhar! É o meu feeling.

Vai ser um jogo onde o melhor FC Porto tem de se mostrar, terá de ser concentrado na defesa, pressionar alto, fazer correr a bola entre os pés e não correr atrás da bola. E, já agora, que o Falcao continue de pé acertado e marque o golito da ordem!

1 comentário:

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Os escrotos encomendaram a notícia de ontem na "Maria" dos jornais espanhóis, tentando denegrir a nossa imagem, e tentar por em causa o mérito do resultado da primeira mão.

Aliás, são de uma falta de identidade e personalidade tamanha as declarações do treinador espanhol, que aqui reconheceu o nosso mérito na goleada «...Não podemos pensar que com 1-0 estava resolvido. Tivemos oportunidade de fazer o segundo e sofremos o empate. A partir daí viu-se o melhor Porto, com mais mérito deles do que demérito nosso. Com as suas melhores qualidades fizeram cinco golos.»

«Dominámos na primeira parte, jogámos bem, mas depois aquela jogada do Cazorla que não dá o segundo golo, é chave....A partir daí o Porto empatou e mostrou a sua velocidade, força, competência, o factor físico, os cabeceamentos... Não posso, agora, dizer que é justo ou injusto. Eles conseguiram-no.»

Agora após a notícia vem inventar lances em que não há razão de queixa passível de análise sequer, que terão prejudicado a sua equipa... É um treinador jovem e caiu na armadilha do ridículo.

Quanto ao jogo, espera-se um Villarreal com uma entrada forte e agressiva no jogo, para tentar na 1ª. parte marcar o máximo de golos possíveis para relançar a eliminatória. A nós Porto cabe-nos ter lucidez, sangue frio, pois a pressão já começou fora do campo e vai estender-se às bancadas sobre o árbitro. Temos de fazer um jogo de controlo, e temos plenas capacidades para marcar golos fora.

Villas-Boas, face a estas pressões deverá não arriscar colocando Moutinho em campo, à beira de exclusão por amarelos, embora Moutinho seja um jogador inteligente e emocionalmente equilibrado que não entra em quezílias.
Acredito na passagem à final e só uma hecatombe nos pode tirar a passagem a Dublin.

Abraço

Paulo


http://pronunciadodragao.blogspot.com