segunda-feira, 11 de maio de 2009

Tetra-campeões



É tudo uma questão de hábitos, bons hábitos, e de números, fantásticos números.

24 títulos, 14 deles nos ultimos 20 anos, 2º tetra campeonato em 11 anos.

O hábito é incutido de pequenino, chama-se "ganhar, vencer" e qualquer adepto com 6 anos de idade sabe de cor essa palavra. Qualquer jogador novo mesmo antes de aprender os palavrões do costume, aprende estas palavras simples.



E é por isso que seguimos a festejar, quase ininterruptamente, títulos nacionais, europeus e mundiais. E a dar novos jogadores ao mundo da bola, ano após ano.

Este título é especial. Para alguns jogadores, como o Bruno Alves que soube superar-se e transformar-se no grande jogador que hoje é, o melhor central em Portugal e talvez um dos melhores do mundo. Para o Raul Meireles, a formiguinha do meio-campo, que destrói e constrói como nenhum outro, que faz rolar a bola, remata, finta, passa, é o motor do meio-campo. Para o Lucho, a classe, o estilo. Para o Licha, o jogador à Porto, antes quebrar que torcer, sempre o primeiro a defender, sempre pronto a atacar, sempre com pernas para mais uma corrida atrás de uma bola perdida para todos mas nunca para ele. Para o Cebola, que encarnou já a camisola do FC Porto como os mais veteranos, um grande extremo. Para todos os outros que souberam emprestar à equipa a sua força, juventude, experiência, sentido de colectivo e vontade de vencer.

Mas tambem é especial para o Jesualdo Ferreira, que se soube superar e superar os seus medos habituais e ser hoje um treinador de top - porque não se ajusta às outras equipas, são elas que se têm de ajustar a nós ou mostrarem-se superiores - e são assim as grandes equipas, só assim se fazem campeões.

Também especial para os dirigentes. Que mesmo manietados, perseguidos pela justiça bafienta e pelos periódicos mouros que tentam tirar o mérito das nossas vitórias em campo com palavras vãs e absurdas, conseguiram mais uma vez montar uma equipa vencedora e transmitir essa mística única a uma nova fornada de campeões.

E especial para os adeptos, para os mais de 50300 que lá estavam e para os mais de 50300 que lá queriam estar, como eu, mas que não puderam pois a vida os colocou bem longe daquele lugar mágico que foi o Dragão ontem.

Por último, um grande abraço ao Dragão que fez o post mais emocionante que li nos últimos tempos. Sei de quem falas. Sei que lá onde estiver a festejar, o estará a fazer com outros grandes Portistas que também lá estão. Este título também é deles todos!

3 comentários:

bLuE bOy disse...

Porto, Porto, Porto
és a nossa glória
hoje e mais um dia
mais uma alegria
mais uma vitória…

Ontem, concretizou-se o “sonho” porque tanto ansiávamos ao logo destes últimos meses de competição que se iniciou em Agosto passado… mais uma vez, conquistamos o título... TETRAcampeões, contra tudo e contra to(l)os!!!

Este título, esta alegria, esta felicidade, este sorriso estampado nos rostos de tantos e tantos milhares de Portistas espalhados pelos 4 cantos do mundo, aqui ou lá fora, é justo e merecido para os mais FABULÁSTICOS adeptos do Mundo, deste clube que é o nosso FC Porto, um clube que transporta alma, paixão, dedicação, lealdade, honra e mística. O FC Porto, é tudo isto… e muito mais!

Obrigado aos nossos heróis, aos nossos jogadores, aos nossos bravos guerreiros de azul-e-branco pintados, que depois de travadas tantas e tantas batalhas, dentro de campo, mas ao mesmo tempo, também tendo que lutar ferreamente perante todas as outras que se “faziam por outro lado”, ganharam esta guerra e definitivamente, fizeram vergar os “tais” de sempre, perante a nossa superioridade.

Obrigado ao nosso treinador, o meu treinador, o Prof. Jesualdo Ferreira (e toda a estrutura técnica), que mereceu justamente, muito justamente, na entrada para a consagração, os aplausos, o tributo que todos, ou quase todos, lhe prestaram… e digo “quase”, porque ainda ouvi por lá alguns assobios tímidos, concerteza debitados pelos já habituais Portistas “assobiativos”!

Obrigado ao meu Presidente e toda a estrutura directiva, que contra ventos e marés, contra adversários externos por mais que identificados, mas também alguns “internos”, souberam ser firmes e hirtos nas suas convicções, jamais vacilando ao “primeiro assopro”, para hoje, muito justamente, recolherem os frutos dessa mesma crença pessoal, profissional e jurídica.

ps – Com mais este título, Pinto da Costa, tornou-se na história do futebol, o Presidente com mais campeonatos ganhos, 17 no total, ultrapassando o mítico Santiago Barnabéu, histórico presidente do Real Madrid, que detinha um total de 16, em 35 anos de presidência... Pinto da Costa, ainda só leva 27 anos de presidência, o que engrandece ainda mais o feito (mais um) conquistado!

Obrigado a todos os Portistas, aos bons, aos maus, aos assim-assim, aos que acreditam mais, aos que vacilam mais, aos das vitórias, aos das derrotas, aos crentes, aos assobiativos, aos seguidistas, aos desalinhados, em suma, a todos os que partilham desta paixão imensa, aos tais “mais FABULÁSTICOS adeptos” do Mundo… e talvez até da Europa e arredores!

Por fim, uma palavra para todos os Bloguistas ou dos Portais, para todos os administradores dos mais diversos espaços de tertúlia Portista na internet, para todos os seus colaboradores, para todos os seus leitores/visitantes, para todos os que comentam ou não, para todos os que estão cá, para todos os que está lá fora, para todos aqueles já conhecemos pessoalmente e se tornaram nossos amigos/as, para todos aqueles que continuam anónimos, para todos nós, um OBRIGADO, um MUITO OBRIGADO… este TETRA, este título, ainda que de uma forma residual, também tem algo de nós, também tem um pouca da nossa marca, da nossa dedicação, da nossa alma, da nossa vida, do nosso tempo, da nossa família a quem roubamos tempo para aqui viver e sentir esta paixão, etc etc… este TETRA, também é nosso!!!

BiBó PoRtO, carago!!!

Um forte ABRAÇO para todos NÓS!!!

Dragaopentacampeao disse...

Vitória difícil como se antevia, face à qualidade evidente do adversário em presença que se mostrou sempre incómodo e inconformado. Valorizou por isso a nossa vitória.

O FC Porto não jogou muito bem, o desgaste de alguns jogadores começa a notar-se e disso se recente a exibição bem como de ausências de peso.

Podia ter sido melhor? Naturalmente, mas o que prevalece é que o objectivo foi atingido logo na primeira das três oportunidades de garantir o título.

O Dragão apresentou-se vestido de gala para fazer a festa e a equipa correspondeu ao que dela se esperava: GANHAR!

É este o espírito que marca a diferença e caracteriza os verdadeiros campeões.

Contra tudo e contra todos o FC Porto ano após ano segue a sua passada firme cumprindo a sua vocação : VENCER!

Por tudo isto cada vez tenho mais orgulho em ser portista.

Bem hajam todos quantos partilham desta imensa alegria.

Um abraço

O Dragao disse...

Obrigado meu caro amigo Pavão. Era exactamente a ele que eu dedicava este título, o último iniciado durante a sua vida. E por isso este título tem um valor sentimental para mim que outros nunca terão.
Quantas vezes não me lembrei dele no estádio. Um local que ele visitou pela última vez quando fomos virtuais campeões contra o Estela da Amadora o ano passado e já com bastante sacrifício.

E sim, é deles todos e mais do que nosso. Pois eles foram os Portistas que aguentaram nos tempos de derrota, para que hoje possamos festejar todas estas vitórias. Eles sim foram Portistas dos sete costados, pois hoje é bem mais fácil.

Um abraço