quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Trés pontos... Primeiros do Grupo..



Primeiro jogo na edição da Champions deste ano, três pontos e um jogo completamente atípico...
Uma entrada de Dragão permitiu não só ao nosso Porto se pôr em vantagem, como também manietou completamente os Turcos, que andaram completamente à deriva durante aquele tempo.
Tinhamos os turcos completamente na mão, falhamos um golo escandaloso (numa situação e comportamento nada habitual no Lisandro) que nos permitiria matar logo aí o jogo. Como não matamos, acabamos por sofrer um golo e por os Turcos outra vez no jogo.

Acabamos por ganhar, são três pontos, estamos na frente do Grupo. O resto são cantigas de amor.

No entanto, do jogo de ontem, não poderei deixar de tirar algumas ilações quanto a jogadores.

Rolando - Que jogador. Jogo sem mácula, eficaz, sem faltas e sempre no local certo. É titular e deve continuar. Grande dupla que ali temos.

Benitez - Deus me livre. O homem não acerta uma. Aos três minutos de jogo já tinha dois passes errados e uma fora mal marcada. Se este tem oportunidades de continuar a jogar, não sei por que é o Mareque, também Argentino, foi recambiado logo à primeira. Não me parece ter qualidade nem estofo para jogar no nosso Porto. Lino parece-me muito melhor.

Sapunaru - Uma incógnita. Alterna entre o mau e o bom. Esteve bem no lance do terceiro golo, mas tal não chega. Tal como em jogos anteriores deixou mais uma vez o adversário centrar da linha de fundo. Erra passes, como por vezes é certinho. Deixa, ainda, o benefício da dúvida, mas...

Fernando - Grande jogo a comprovar o que vinha analisando em outros jogos. Certinho, não inventa, dos melhores jogadores em campo. Assunção está bem esquecido e sendo certo que este miudo tem apenas dezanove anos de idade e com uma margem de progressão fantástica. Pelé vai ter muito que se coçar para entrar na equipa.

Helton - Já cá falei muitas vezes dele. Mais uma vez saiu da baliza a catar moscas e só não deu golo porque Rolando nos safou. Grande guarda-redes para o Leiria, mas não aqui. Como sempre, enterra nos grandes jogos, ou seja, quando mais precisamos dele.

Mariano - Já não sei mais o que dizer deste Argentino. Trapalhão, falha passes a rodos, enfim... Não tem lugar nesta equipa titular. Pirque é que que Jesualdo aguentou tanto tempo com ele em campo?

Cebola - O que fez não chega. Fez uma belíssima jogada e passe de morte para Lucho marcar o segundo golo. De resto, andou em campo sem nad que o evidenciasse. Espera-se muito mais dele.

Os primeiros pontos já estão. Viremo-nos então para a Liga Super-Bock. Role a bola...

12 comentários:

Anónimo disse...

Lindo....

John disse...

Sorry for writing in English, but my guess is you are Porto supporter.

Just wanna say, great start to your Champions League campaign. As a fan of Argentina, I'm happy to know that the Dragons has the most number of Albiceleste players on their squad.

Licha and Lucho have always been the lynchpin of the team. Now their resposbility will only get bigger with the departure Ricardo Quaresma. I hope this season will go far and repeat that awesome feat in 2004.

Please visit my blog and let me have your comment about the Argentine players in your team. Your comment will be highly appreciated.

http://mundoalbiceleste.blogspot.com/2008/09/ucl-group-stage-round-1-thread.html

dragaovenenoso disse...

Eu não estou a contar com grande campanha para este ano na liga dos campeões. O FCPorto ficou sem três jogadores que eram influentes e vai ter de arranjar soluções. Se conseguir bons resultados é óbvio que fico radiante!

Não podemos é andar a perder consecutivamente taças para os outros.

Também acho que o Helton está a precisar de umas sessões no banco para perceber que não está bem. Não sei porque não põe o Nuno a jogar. Só se estiver muito embaixo de forma, o que duvido.

Anónimo disse...

sim senhor, este john a comprovar o prestigio que o nosso porto tem fora de portas...coisa que não se vê dentro...enfim...

Vitor Daniel disse...

Bem tou confiante na vitória neste grupo G, mas agora há que acalmar os animos e concentrar porque domingo vem ai o Rio Ave, falando da Champions penso que vamos a Inglaterra para MATAR os ingleses, eu acredito na vitória...

Abraços Amigo, http://varanda-do-dragao.blogs.sapo.pt

Celso Gonçalo disse...

O F.C. Porto ganhou bem o jogo, mas poderia ter empatado pois o Fenerbahçe esteve em algumas ocasiões perto de marcar. O sr. Jesualdo Ferreira tem que se mentalizar que ganhar a Liga Portuguesa não chega, o F.C. Porto tem que fazer boa figura na Liga dos Campeões, os adeptos do Porto são insaciáveis pois sabem que o clube tem equipa para fazer mais e melhor. Se o sr. Jesualdo Ferreira não aguenta com a pressão dos sócios que dê a vez a outro.
http://www.blogportista.com

Anónimo disse...

Há uns meses atrás quando me solicitaram opinião sobre o que se designou chamar-se 'Apito Dourado' respondia eu metaforicamente que era uma espécie de ópera rock que daí a uns tempos seria encenada pelo talentoso La Féria no Teatro Rivoli.
Depois à medida que a poeira assentava diluía-se o empolgamento do rock para se transformar no 'nonsense' da opereta bufa.
Para os que culparam o FC Porto e o seu presidente, caiu-lhes em cima a tragédia da incompetência e do ridículo expondo-se inutilmente ao julgamento sábio da opinião pública.
Tudo isto por causa de uma deliberação de um "tal" TAS que é uma espécie de um Supremo Tribunal do Desporto europeu.
Diga-se, que esta gente não brinca em serviço.
O acórdão publicado ridiculariza, esmaga e desintegra toda a estrutura disciplinar e jurisdicional do futebol português: Federação e Liga. A própria UEFA de monsieur Platini não sai ilesa.
"Os 15 minutos de fama" do jovem docente Ricardo Costa, da Universidade de Coimbra, quando do alto da sua serena 'sabedoria' se pronunciou devem agora provocar-lhe insónias e pesadelos.
Por outro lado, não compreendi como o Vitória de Guimarães se meteu nesta alhada, até porque o presidente, Emílio Macedo, é um homem sensato. Influência de maus conselhos ou perversas companhias?
O Benfica, grande instituição e com prestígio mundial, o que é verdade, não atina, não elege ou não consegue um presidente de grande envergadura. Sacraliza ultimamente uns 'pataqueiros' com ou sem fortuna, que até causam pena quando falam. Saudades de Fernando Martins!
No referente aos media de enaltecer os exclusivos publicados pelo 'porta-aviões' "Jornal de Notícias" e pelo "O Jogo". Autêntica notícia global.
O "Correio da Manhã", dirigido pelo meu amigo Dr. Octávio Ribeiro, é infelizmente anti-portista. Em relação ao Professor Freitas do Amaral, mencionado por este jornal, apenas se pode concluir que deu um parecer sobre a validade das deliberações do Conselho de Justiça, mais nada. Pareceres, pede quem quer e quem paga.
Primeira conclusão: a verdade é como o azeite, vem sempre ao de cima.
Segunda e última conclusão: o presidente Pinto da Costa, do FC Porto, é e vai continuar a ser o mais qualificado gestor do mundo de clubes de futebol. Aqui é que está o cerne da inveja e da azia.


HERNÂNI GONÇALVES, no EXPRESSO

Anónimo disse...

Discordo completamente de certas considerações negativas sobre alguns reforços.

Precisam é de algum tempo mais, pois estão em fase de adaptação a outra realidade futebolistica e não só.

Quando vieram para o FCP, por exemplo Bosingwa ,R.Meireles etc., nos primeiros meses andavam positivamente a apanhar bonés....e depois afirmaram-se optimos jogadores.

É preciso tempo e alguma paciencia.

Anónimo disse...

Pinto da Costa tem mais dois pareceres anti-Freitas

2008-09-20

A defesa de Pinto da Costa vai juntar ao procedimento administrativo especial que interpôs no Tribunal Administrativo de Lisboa mais dois pareceres contrários ao documento elaborado por Freitas do Amaral, no qual a Federação Portuguesa de Futebol se escudou para validar a turbulenta reunião do Conselho de Justiça, realizada a 4 de Julho.

Os dois documentos solicitados pelos portistas elevam para oito o número de pareces favoráveis à posição de Pinto da Costa. Por altura do recurso para o CJ, Manuel da Costa Andrade, Damião da Cunha, Faria e Costa e Germano Marques da Silva foram os especialistas que se debruçaram sobre a matéria. Posteriormente, quando o processo chegou ao Tribunal Administrativo, a defesa do presidente dos dragões anexou um parecer elaborado por Mário Aroso de Almeida. Antes, também Rui Sá tinha sido requisitado, para suportar a argumentação do tricampeão junto da UEFA.

Por outro lado, também existem pareceres a suportar as decisões da justiça desportiva. Desde logo, o de Freitas do Amaral, encomendando pela FPF. A Liga também apresentou um documento no CJ, elaborado pelo constitucionalista Vital Moreira. Estes são os únicos pareceres em sentido contrário à posição de Pinto da Costa e do F. C. Porto. Dois pareceres. Contra oito dos portistas.

in jn.pt

Anónimo disse...

Por que duvida o TAS da Liga?

A sentença do Tribunal Arbitral era conhecida, o que não se sabia era que o painel de juízes colocava em causa as sentenças da Comissão Disciplinar


O acórdão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) sobre o recurso do Benfica e do Guimarães à decisão do Comité de Apelo de manter o F. C. Porto na Liga dos Campeões trouxe novamente para a actualidade desportiva as sentenças do Apito Final.

Já se sabia que o TAS tinha decidido favoravelmente ao F. C. Porto, o que não se sabia era que o painel de árbitros do TAS tinha ido tão longe nas suas justificações, deixando em muito maus lençóis a justiça desportiva portuguesa, com a Comissão Disciplinar da Liga (CD) à cabeça.

Goste-se ou não, as dúvidas sobre a legitimidade das sentenças da CD da Liga são muito mais fortes do que há uma semana. São-no porque o acórdão do TAS duvida que "o F. C. Porto, ou o seu presidente, tenha participado em actos ilícitos", julgados e sentenciados pela CD da Liga, mas também porque falta a todo este caso a chancela de um tribunal comum, onde os casos de corrupção, seja desportiva ou de qualquer outra natureza, devem ser avaliados e julgados. Enquanto isso não acontecer ninguém poderá afirmar, preto no branco, que o caso está terminado.

Isso mesmo confirmou agora a UEFA, garantindo que o caso não está encerrado, mas que não haverá qualquer tomada de posição enquanto o assunto não acabar nos tribunais portugueses. A UEFA - a de Michel Platini e todas as que o precederam - foge sempre dos tribunais comuns como o diabo da cruz, mas se desta vez está, surpreendentemente, disposta a esperar anos para que o caso termine na justiça comum é porque também dúvida da bondade das decisões da CD da Liga.

Objectivamente, a decisão e o acórdão esta semana conhecido do TAS são uma vitória para o F. C. Porto, que depois de duas sentenças muito penalizadoras da justiça desportiva portuguesa tem conseguido reverter nas instituições internacionais as consequências fora de portas dos castigos internos. E isso só acontece porque o F. C. Porto disputa as provas europeias e o Benfica e o Guimarães pretenderam beneficiar da exclusão dos dragões da Liga dos Campeões. Já o Boavista, o outro clube considerado culpado no Apito Final e condenado à despromoção, não teve oportunidade de litigar fora de portas a pena a que foi condenado.

Sobre isto também se deve reflectir, porque não pode deixar de ser estranho que as duas decisões da disciplina desportiva portuguesa (CD da Liga e CJ da federação) sejam tão afirmativas da culpa do F. C. Porto e do Boavista e, depois, as duas decisões de justiça desportiva internacional, naturalmente mais distanciadas das emoções do clubismo, tenham sido favoráveis aos portistas (Comité de Apelo da UEFA e TAS).

Finalmente, todo este caso assumiu estas proporções porque a justiça desportiva se quis substituir aos tribunais, com o aplauso de todos os que perspectivaram lucro nessa espécie de tribunal popular em que se transformaram a CD da Liga e o CJ da federação. E é esse ensinamento que é preciso retirar, a justiça desportiva não existe para se substituir às estruturas judiciais de um país, que são as que têm meios para investigar, eventualmente acusar, julgar e punir, se for essa a convicção do juiz. A justiça desportiva serve para zelar pelo normal desenrolar das competições desportivas, aplicar os castigos próprios de uma competição, mas também para denunciar às entidades competentes, designadamente o Ministério Público, eventuais ilícitos cometidos no curso das provas.

Se Ricardo Costa tivesse resistido a vestir o fato de justiceiro nada desta trapalhada teria acontecido - processos uns atrás dos outros, por alegada divulgação ilegal de escutas, recursos, pareceres para um lado ou para outro, sempre em defesa dos interesses de quem os encomenda, como é óbvio, etc, etc. E se os tribunais acabassem por condenar alguém então essas penalizações seriam repercutidas no plano desportivo, tal como aconteceu com o Leça, quando foi despromovido à Liga de Honra por causa de um caso de corrupção relativo a um jogo de apuramento de campeão da 2.ª divisão devidamente provado em tribunal e posteriormente transformado em pena desportiva.

PS: Tudo isto não apaga o comportamento de Pinto da Costa, de que todos temos hoje um pormenorizado conhecimento. Só que, sejam factos muito graves, ou pouco graves, mereçam condenação ou absolvição, Pinto da Costa tem o direito, como qualquer cidadão, a um julgamento justo, em que lhe estejam garantidos todos os meios de defesa.

In "JN"

Diogo Carvalho disse...

FORÇA PORTO!!!!!! este ano A CHAMPIONS É NOSSA!!!
http://portodragao.blogspot.com/

Anónimo disse...

PRESTIGIO DO PORTO NO MUNDO...SÓ SE FOR NA CORRUPÇÃO...ATÉ NA ARGENTINA JÁ SÃO FAMOSOS...AFINAL VOCÊS SÃO UMA FILIAL DA AMÉRICA DO SUL...GRANDES REFORÇOS O PC ARRANJOU PARA ESTE ANO...VÃO LONGE NA CHAMPIONS VÃO...4-0 É, SEM DÚVIDA, MUITO LONGE...