quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

INOCÊNCIO CALABOTE, A HISTÓRIA COMPLETA

De como o mítico Calabote (o original, Inocêncio de sua graça), tudo fez para, num último jogo do campeonato de 59, oferecer o título ao Clube do Regime, já todos sabemos.
O que eu não sabia (e penso que quase ninguém)é o porquê de à última jornada os nossos heróis e os bons chefes da "famiglia" estarem empatados em pontos, com vantagem nossa no goal average.
Pois bem, naqueles tempos era e foi assim: A meio do campeonato, com o Belenenses ainda a lutar pelo título, o Dínamo da Luz foi a Belém jogar. O jogo terminou empatado, mas com polémica. Isto porque Costa Pereira, guarda redes do Dínamo, na sequência dum canto, deixou a bola entrar. Ora, o árbitro marcou... pontapé de baliza, alegando que a bola descrevera um arco e saíra antes do frango. Nome do árbitro? Nem mais nem menos do que ... Inocêncio João Teixeira Calabote...
Como quem não sente não é filho de boa gente, o Belenenses protestou o jogo. E ganhou o protesto. Pensarão todos: o quê, a justiça federativa da altura era isenta???? Mandou repetir um jogo em prejuízo do Dínamo????
Antes que vos dê uma síncope cardíaca, acelero para o fim da história. Sim, a Federação mandou repetir o jogo. Mas marcou a repetição para antes do tal último jogo do campeonato!!!! Nessa altura, já o Belenenses estava fora da corrida e o Porto tinha um jogo e um ponto a mais. Ou seja, a repetição só o Dínamo benefeciaria, pois se ganhasse o jogo de repetição, passaria para a frente antes da última jornada. O título estaria no papo, com o alto patrocínio da F.P.F. Já agora mais um dado histórico - na altura a F.P.F. era, estatutariamente assim definido, gerida por um clube de Lisboa.
Concluindo: O Belenenses conseguiu empatar o jogo de repetição (já agora, gostava de ter uma crónica desse jogo), o que fez com que o Dínamo ficasse em igualdade pontual com o Porto. O resto é o que se sabe. O amigo Inocêncio foi nomeado de novo para a última jornada...
Poderão ler o que acabo de descrever aqui.

3 comentários:

GM disse...

Azulão, pela fonte que tu próprio facultaste, o árbitro do primeiro encontro entre Belenenses e Benfica foi o Macedo Pires e não o Inocêncio Calabota conforme afirmas na tua crónica...

Anónimo disse...

Mentiras repetidas muitas vezes passam a ser verdade

http://www.slbenfica.pt/pdf/verdadesdeturpadas.pdf

Anónimo disse...

Não há ninguém no mundo inteiro mais aldrabão que o adepto/sócio do Fcp, inventam aldrabisses para camuflar a sua pérfida História de corrupção! Ganhem vergonha, ilucidem-se sobre a História de Portugal e aprendam o quanto o Benfica lutou pela democracia, neste país, ao contrário do Fcp e do SCP que, esses sim, eram levados ao colo pelo regime! Basta ver quem lhes pagou os estádios e quando estes foram inaugurados para ter-se a noção do que se passava então!