terça-feira, 4 de setembro de 2007

A CENSURA

Este não é um espaço para se falar de política. Por esse motivo, não vou discorrer sobre o clima de medo que se vive nalguns (todos) sectores da sociedade. Apenas me debruço sobre o futebol.
Como todos sabemos e sentimos diariamente, 90% da comunicação social generalista e desportiva presta nojenta e caduca vassalgem aos clubes da capital, e, verdade se diga, 90% desses 90% ao ex Clube do Império. Como meio para alcançar tal desiderato, utilizam as estafadas armas do costume: exacerbar sem qualquer pudor qualquer feito, ou suposto feito que, noutro clube qualquer não redundaria senão numas linhas em rodapé. Veja-se, por exemplo as capas de hoje dos suspeitos do costume. Isto relativamente aos seus. Relativamente aos "outros", leia-se Futebol Clube do Porto, o inverso. Ausência de primeiras páginas e branqueamento dos feitos gloriosos, já que estes estão exclusivamente e por direito divino, reservados ao "Glorioso". Isto, como disse, já sabemos há muito tempo, e é uma realidade com a qual aprendemos a viver e da qual extraímos às vezes forças para suplantar as adversidadades. Os não portistas não sabem, nem podem saber, o pulsar dum dragão e a alegria redobrada que sentimos quando somos campeões. É um genuíno "contra tudo e contra todos".
Todavia, a censura e a vassalagem de que falei conseguiu minar todos os pilares da democracia. O futebol é importante, é o ópio do povo, mas não passa dum desporto. Apesar deste facto, o ódio acumulado desde o dia 25 de Abril de 74, que coincidiu com a reviravolta no panorama desportivo português, culminou numa cegueira histérica que se alastrou a magistrados, agentes da PJ e mais jornalistas. Todos juntos, usados por um cadastrado, cozinharam o infame "apito dourado". Procuradores e agentes da PJ direccionaram um inquérito que de isento nada tem, pisando todas as normas processuais, penais e constitucionais vigentes. Este inquérito é uma autêntica inquisição e, tal como esta, apenas serve para queimar na fogueira os inimigos ímpios da fé (vermelha, claro está). Pelo caminho afastam-se os agentes e magistrados isentos, nomeando-se a Torquemada de serviço. Portugal perdeu o seu estatuto de Estado de Direito, acabou-se a confiança na Justiça e começou um período negro de terror. Agora, ninguém está seguro. Hoje é o Futebol Clube do Porto, amanhã serão os morenos, os loiros ou os anões. Ou os de partido estranho.
O mais grave, porventura, é que ninguém se incomoda com isso. Como a bruxa que pretendem queimar é Pinto da Costa, o ódio do povo, o país bate palminhas enquanto se espuma. Coitados, não alcançam os bons chefes de família que amanhã poderão ser eles.
Enquanto os órgãos de polícia criminal vilipendiam tudo o que de bom alcançaram em muitos anos e lá vão, cantando e rindo, outro dos pilares básicos de qualquer democracia fecha os olhos e assobia para o lado. A imprensa livre já não o é. E não falo da imprensa desportiva. Falo das televisões, dos semanários e dos diários. Se são céleres a trucidar todo e qualquer segredo de justiça, publicando escutas e peças processuais do "apito douado", de repente perdem o acesso ás fontes jornalísticas do "apito encarnado.". O que vem no documento anónimo é de gravidade extrema. Há que investigar e apurar a verdade. Mas, jornalisticamente falando, deveria ser uma "bomba". Porque lá se fala na condenação anterior do Chefe de Família - Mor. Porque vêm lá nomes reais, factos concretos e comparações de actuação da PJ e Ministério Público. Porque se fala em tráfico de influência e de estupefacientes.
Uma coisa, todavia, não podem calar. A Persistência dos Dragões. Ajudados por essa arma de liberdade chamada internet, podemos todos ter acesso ao que se escreve na denúncia anónima. É um dever de portista, de português e de democrata espalhar esse conteúdo. Para que as armas sejam iguais. Para que os pratos da balança se equilibrem. Para que se expurgue a Inquisição. Dentro desta óptica, devemos substituir-nos à televisão paga por nós, e a todos os jornalistas deste País que venderam a alma ao diabo por muito menos que treze dinheiros.
Eis aqui o que eles escondem.

5 comentários:

dragaovenenoso disse...

Ora, noticiários é coisa que de vez em quando assisto e com muuuiiitas reservas...já desde que a tv do balsemão abriu...quem não se lembra das campanhas atrás do FC Porto, com os palhaços do costume a fazerem as figuras tristes que se conhece. Giro é o programa da tvi que tem lá o perito em arbitragens habilidosas, o coroado enjoado emproado, que a cada passo diz que arbitrou mais de dois mil jogos...ok...és o maior, meu...

Estilhaço disse...

Subscrevo o teu post, Azulão.

Alvaro disse...

Grande post Azulão!

A verdade é que Portugal, enquanto país democrata, morreu! E neste momento o regime actual só é diferente do glorioso regime fascista de Salazar porque o velho ditador já não existe (agora temos a Maria José Morgado e o pulha do marido) e porque a máfia lisboeta embora condene Pinto da Costa nos jornais e televisões todos os dias, já não o consegue enviar para o Tarrafal.

Mas o problema dos mafiosos, é que não sabem, nem sonham, que o sonho comanda a vida. E que sempre que um portista sonha, o FC Porto pula e avança como bola colorida
entre as mãos de uma criança.

Querem vencer-nos na secretaria? Talvez consigam...não sei. Mas de uma coisa eu sei, podem inventar mil e um apitos, podem dizer mil e uma mentiras, podem até roubar mil e um penaltis ou golos limpos, que no campo, tirando um ano ou outro em que andamos distraidos como aconteceu em 2004, a máfia vai ter cada vez mais problemas para nos vencer, porque o que não nos mata, torna-nos mais fortes. Isso eu sei!

Anónimo disse...

Grande Azulão. É precisa muita coragem para denunciar essa corja de corruptos e mafiosos que manietaram a democracia alcançada em 25 de Abril de 1974.
Essa corja de gente sem escrupulos que se apoderou da Justiça, dos jornais e das televisões ou seja dos dinheiros públicos, tem que ser combatida.
Enquando houver homens como tu, prevejo que andarão incomodados , pelo menos.

Sargento de Ferro do Dragão disse...

Este assunto do Apito vai dar tanto que falar depois de ser sabes o quê? Arquivado e o Pinto da Costa ilibado e sabes porque grande colega de clube? Porque toda a base da investigação da Morgadinha é feita á base de Tetemunos desta pessoa que fazes referencia ai no texto... Não preciso de dizer mais nada pois não? Deixemos que eles falem e vamos coleccionando Titulos atrás de titulos e depois os invejosos que se queixem... A caravana passa e os cães ladram.

este blog foi linkado ao meu. Convido-te a visita-lo: http://sargentodeferro.blogs.sapo.pt/

Saudações Portistas