quarta-feira, 30 de agosto de 2006

Eu tenho a minha ideia...

mas pouco tempo para escrever.
Como tal, conforme desafiado por um comentador, desafio-vos a comentar o facto da FIFA vedar o recurso aos tribunais comuns.
Tenho uma opinião formada hà muito sobre este tema e penso escreve-lo aqui em breve. Por enquanto deixo-vos o mote?
Concordam com esta regra ou nem por isso?

21 comentários:

cafajeste disse...

É UMA MEDIDA PARA EVITAR CONTRADIÇÕES NA LEI E RENTABILIZAR O TEMPO DE TOMADA DE DECISÃO. NO DESPORTO NÃO SE PODEM ESPERAR ANOS PARA QUE SEJA TOMADA UMA DECISÃO.

ABR

Ricardo Sousa disse...

Eu acho mal porque acho que assim sendo parece um estado dentro de um estado ... Quem dita as leis sao os tribunais civis ...

Bracarense disse...

Assim de rajada: é um direito inalienável, logo a FIFA que se f...

kiko disse...

Por um lado concordo com essa lei, imaginem o que seria cada vez que há uma falta mais grave, o jogador atingido recorrer para os tribunais, ou um jogador que não concorde por exemplo com uma suspensão aplicada, recorrer para os tribunais civis???
Ou o Orelhas Vieira levar dvd's para os tribunais!!!!
Passariamos a vida a ter "casos mateus" a arrastarem-se e jogos a serem adiados...

Por outro lado não concordo porque realmente é estar a retirar um dos principais direitos que temos enquanto cidadãos.

Conclusão, penso que se devia encontrar um meio termo e definir quais os assuntos que podem ser levados aos tribunais civis, porque há casos e casos, e muito sinceramente penso que este do Gil Vicente é um dos que deve ir para os tribunais.

Porque estão a querer "comer" o Gil, porque até à última jornada (e isto já vem de janeiro) os Srs de Belém estiveram muito caladinhos, porque nunca sonharam descer, só se lembraram no fim, a serem justas as medidas tomadas contra o Gil, pelos compadres da FPF, estas deveriam ter sido tomadas logo no inicio.
O gil utilizou mal o jogador, recorreu aos tribunais civis e isso vai contra as leis da FIFA? tem de ser punido? OK, mas que o punissem logo que ele prevaricou, não é quando os amiguinhos de Belém desceram.

Atenas,Maio de 2007 disse...

Os adeptos do Belenenses deviam ter vergonha dos seus dirigentes,jogadores e o um que lhe disseram que tinha jeito para ser treinador...
Agora,o Gil Vicente não é obrigado a participar nas provas sob jurisdição da FIFA,via FPP.Tem que aceitar as regras...Para mim tanto me faz!No fundo quem já ganhou alguma coisa foi o clube mais grande da 2ª circular...

Anónimo disse...

Se a justiça desportiva fosse JUSTA E INDEPENDENTE eu concordava, agora com o CUNHA LEAL a manobrar as coisas, aí acho muito bem que sigam para tribunal.

Basta ver a inscrição ILEGAL do RICARDO "avenida" ROCHA que o SLB fez e que segundo os regulamentos o SLB desceria de divisão MAS O CUNHA LEAL ABAFOU MAIS UM CALABOTE

Pinto Azul

Anónimo disse...

Meus amigos:
Ninguem nasce a fazer parte da organização do futebol. Por isso ninguém lá está por ser obrigado a isso. Ao entrar nessa organização, tem direitos e deveres que aceita voluntariamente e se compromete a respeitar e fazer respeitar. Um deles é não recorrer à justiça "civil" para derimir questões de indole desportiva.
Depois se tal fosse possivel já viram o que seria, com a justiça preguiçosa que temos, estar à espera durante 10 ou 20 anos para se saber quem vai ser o campeão de 1986 ou de 1996. Já viram os problemas que isso traria? E depois os Juizes dos tribunais civis não são melhores nem piores que aqueles que enxameiam as comissões disciplinares do desporto. Afinal, na C.D. da Liga, havia lá juizes e nós sabemos que tramóias eles arranjavam.
Estou como diz Miguel Sousa Tavares:
Querem roubar-nos o futebol
Saudações Portistas
Dragão Maronês

Bracarense disse...

Sobre este assunto, e nesta altura do processo, o que penso é isto:

1. Informação: Não consegui, após ouvir tanta peça sobre o caso Mateus, perceber todos os factos do processo.

2. Com o que sei, concluo o seguinte:

2.1. A Liga e a FPF: Estiveram 6 meses com as mãos enfiadas no cu. Agora com os campeonatos a começar decidiram (ou foram forçados) a tirá-las de lá e a fazer alguma coisa. E o que fizeram? A única coisa que se pode fazer quando se actua com 6 MESES DE ATRASO: merda.

2.2. A ditadura Fifa: Se o problema foi o Gil recorrer aos tribunais comuns, só gostava que o Gil ou quem de direito (os juízes dos tribunais comuns, se calhar) tivesse tomates pra transformar isto noutro caso Bosmann. A Fifa que meta as ameaças no cu. Pagava pra ver tomates para excluirem a Seleção e os 3 grandes das suas competições internacionais. Deveriam ser do tamanho de abóboras.

2.3. O Belenenses: os seus dirigentes deviam ter vergonha de tentarem na secretaria o que demonstraram em campo não merecer, inclusivé (ironia das ironias) no último jogo contra o Gil.

2.4. O Leixões: Patético. Até gostava de os ver na 1ª Liga, mas neste caso, não faz sentido absolutamente e é ridículo estarem em bicos de pés a imitar o Belenenses. Está nos regulamentos (e esta regra sim, não é passível de recurso para os tribunais porque é puramente técnico-desportiva, que caso desça algum clube, quem sobe é o "primeiro dos últimos").

2.5: O pior do futebol tuga: Como se fosse preciso mais um exemplo, este caso mostra bem o que de pior há no n/ futebol: dirigentes, justiça desportiva, organização.

dragaovenenoso disse...

Caros,

O futebol perdeu toda a credibilidade que lhe restava com esta cena protagonizada pelo futebol lusitano. Agora é a FIFA que quer colocar-se acima de organismos judiciais. É a macacada total!

Deko disse...

Enquanto o futebol se julgar uma 'guerra à parte' não vamos a lado nenhum.

A justiça deve ser única (num estado de direito) e não depender do sector de actividade que estejamos a considerar.

Outro caso Bosman, já !!

O gajo disse...

O futebol não é obrigatório, logo, só participa quem quer... e quem quiser sujeita-se às normas internas da modalidade.

Era o que faltava um Tribunal ajuizar se é penalty ou fora de jogo, ou se é mão ou cotovelada.

Quem não aceitar as condições, a porta de saída é serventia da casa.

Nuno disse...

Se isto do Gil Vicente servir para acabar com a FIFA, eu cá espero que siga em frente e extermine com o maior cancro do futebol.

A FIFA não serve o futebol, serve-se do futebol.

Joaquim Varela disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Joaquim Varela disse...

"comentar o facto da FIFA vedar o recurso aos tribunais comuns."

A FIFA não veda o recurso aos Tribunais comuns. A precisão acima de tudo!

Neste caso do Gil Vicente, só não vê quem não quer - o patético presidente do clube de Barcelos é - que nesta matéria jamais o deveria fazer.

E sim, concordo com isso ( o não recorrer a tribunais civis, em casos estritamente desportivos, que é o caso deste do Mateus), senão qualquer dia não haveria futebol. Um amarelo mal mostrado, tribunal, um penalty por assinal, tribunal, um certificado internacional dum jogador que não chega, tribunais e por aí fora.

Estica disse...

Façam uma visita a http://buchaeestica.blogspot.com/
.
O nosso FCP também será tema de discussão.

Bracarense disse...

Alguém faça o favor de explicar aos srs. gajo e Joaquim Varela porque é que os seus comentários não fazem sentido. E boa sorte a quem tentar.

Calote disse...

Oh Bracarense, vou tentar explicar-lhes, sei que vai ser dificil, mas pelo menos tento. Ora lá vai:

O futebol não é obrigatório, logo, só participa quem quer... e quem quiser sujeita-se às normas internas da modalidade.

Era o que faltava um Tribunal ajuizar se é penalty ou fora de jogo, ou se é mão ou cotovelada.

Quem não aceitar as condições, a porta de saída é serventia da casa.

Esclarecidos? Muito bem.

FCP43VER disse...

Concordo com o Nuno!
A FIFA serve-se do futebol, e só espero que o Gil Vicente ganhe este caso e que faça ruir os alicerces de lama em que a FIFA está assente!

Nuno disse...

Caros Calote e Joaquim Varela... e quem decide se este caso é desportivo ou não?? É que a diferença está omissa nos regulamentos!!

Se está omissa a definição, o Gil vai a tribunal tentar descobrir... se o tribunal entender que é uma situação desportiva, seguramente dar-se-á como incompetente para julgar.

O problema é que esta questão, a da decisão sobre o contrato do Mateus, parece tudo menos desportiva...

Bracarense disse...

Bem, parece que não me fiz entender. Os comentários a que me referia não fazem sentido exactamente porque colocam ao mesmo nível uma questão administrativa como a do contrato do Mateus e questões exclusivamente técnico-desportivas como o penalty ou o fora-de-jogo. Não têm rigorosamente nada a ver uma com a outra.

Joaquim Varela disse...

Aí é que te enganas bracarense. Tem tudo a ver uma coisa com a outra.

Para quem quiser entender, é ler o artº 47 da Lei de Bases do Desporto aqui:

http://www.idesporto.pt/DATA/DOCS/LEGISLACAO/Doc05_031.pdf

Em traços gerais diz que o que é um assunto estritamente desportivo. Só não percebe quem não quer. Quem não quer e o broco-mor, vulgo António Fiúza.