domingo, 15 de julho de 2007

Processo de revolução em curso

Nunca pensei viver isto tão pouco tempo depois de 2004. Mas de facto, neste momento, mais ainda que em 2004, estamos num PREC!

O Anderson foi-se, o Pepe também e o Lucho está a caminho. E a ver vamos se o Quaresma fica como prometeu o presidente, depois de ter prometido que a venda de Anderson era para não vender mais nenhuma das pedras influentes.

O Vitor Baia passou a dirigente.

Os dirigentes continuam acossados pelo apito dourado.

O passivo, apesar dos mais de 150 milhões de euros ganhos em vendas desde 2004, continua grande. E mesmo assim, avançou-se agora com a construção do pavilhão multi-usos...

Não sei como será o futuro, mas tenho sempre a esperança que seja tão vitorioso como tem sido este passado recente. Mas que começo a temer que o céu nos caia em cima da cabeça em breve, lá isso começo!

16 comentários:

Lousada disse...

nao sei se tens algum problema com o PC... mas que parece...parece... sei que isto do apito nao é nada bom para nos... mas fds... estas sempre a falar mal... nao sei qual a tua ideia... sim... tb sei que sao muitos €€€€€€€ tb em 2004 foram muitas vedetas a sua vida.. e agora estamos em 2007 e somos BICAMPEOES.... entendes??? so mais uma coisa.. claro que o cigano sai... se a proposta for tao boa como foi a do pepe... ou ainda melhor... ou achas que o pinto anda a dormir??? eu nao acho.. abraco

Barbeiro de Sevilha disse...

Já leio este blog à muito tempo, não duvido do interesse e paixão azul e branca dos autores, mas é com pena que afirmo que voces informam-se muito pouco sobre a realidade do Clube/SAD, especialmente no que diz respeito a aspectos financeiros. Depois lê-se barbaridades como este teu comentario.

A necessidade de vender está na origem no pós 2004, muitas aquisições sem criterio, e especialmente por a SAD manter um quadro de jogadores sobre contrato muito numeroso (cerca de 60 atletas). Com isso a SAD tem um prejuízo operacional anual a rondar os 20 milhões. Mas tambem não haja ilusões, qualquer equipa Portuguesa NUNCA, repito, NUNCA terá capacidade para segurar muito tempo joias como Anderson ou Pepe. O que os colossos europeus oferecem pela sua aquisição e de ordenados ao jogadores é completamente incompativel para a nossa realidade e, a vontade do jogador acaba sempre por prevalecer. Ou voces são tão candidos ao ponto de pensar que o Pepe e o Anderson são portistas desde pequeninos. Há que pôr as demagogias de lado neste aspecto.

Sobre o passivo, não é preocupante, alias dos grandes de Portugal é o que é (de longe) o mais curto. Importa, como acima referi, reduzir o prejuizo operacional corrente, reduzindo o numero jogadores sob contrato, reduzir o enorme staff directivo.

Por ultimo, o pavilhão das modalidades é uma obra a cargo do Clube, não da SAD de futebol. Há muita gente que por aqui anda que ainda não sabe fazer esta distinção (o que é grave). Alem disto este recinto vai ser construído com uma situação vantajosa para o FC Porto, Clube. Do total custo da obra, cerca de 11 milhões de euros, a Caixa Geral de Depositos (que dá nome ao pavilhão) assume o pagamento de um montante de 7 milhões de euros.

P.S.: Sobre as alusões ao Apito Dourado, vindo de um suposto portista, nem comentarios me merece.

dragaovenenoso disse...

A julgar pelos comentários do amigo anterior, o FC Porto vive uma situação folgada. Confesso que não percebo nada de finanças, mas também é um assunto que não me interessa e o que tenho de saber é porque sou obrigado. As contas para mim são simples: ou se deve ou não. Está na moda dever dinheiro e depois somar-se tudpo o que se tem e dizer que afinal não se deve dinheiro. Pelo que percebi até hoje, o que segura a SAD é o valor dos jogadores. Tendo vendido os mais valiosos, julgo que a SAD perde activos. Se não abate à dívida que tem continua a dever dinheiro e cada vez mais. Truques de passar dívidas do clube para a SAD e vice-versa para mim não passam de manobras ardilosas de economistas e fiscalistas.

É claro que também não sou cego e percebo perfeitamente que ao vender-se jogadores por valores desta magnitude torna o FC Porto um clube apetecível para jovens valores se lançarem na europa. Mas continuamos com o mesmo problema: para onde vai toda a história, força e mística do clube? Cuidado com isso, caros economistas.


Mas o amigo barbeiro, já que percebe tanto do assunto, podia escrever aqui alguns apontamentos para elucidar os dragões que não percebem do mesmo. Até pode ser que eu fique convencido. Mas por favor traduza os chavões de economia para que se entende DE FACTO o seu significado.

Saudações de um dragão incondicional mas preocupado com o seu clube.

SDmil893 disse...

dragao venenoso, e simples... de todos somos o k temos o passivo mais baixo, conseguimos pagar o estadio, comprar jogadores, pagar ordenados, etc sem ser c acçoes nao cotadas na bolsa como os rosinhas!!!
ja disse e repito... uma assembleia geral n vos ficava mal, ficavam bem mais esclarecidos de certeza!!!
SDMIL893

sdmil893 disse...

so pa terminar... uma das razoes pk o passivo n reduz sao os cerca de 70 jogadores k temos sob contrato, o problema e k rescindir c eles n e facil, n tou a ver ninguem a prescindir dos seus ordenados quando ainda tem 2/3 anos de contrato, sendo k fica mais facil pagar todos os meses k pagar 3 anos num mes!!!
o resto, apitos dourados e tal... so vos fica mal falar nisso!!!
FORÇA MAGICO PORTO

Anónimo disse...

A mulher triste
Clara Ferreira Alves (Diário Digital)

“Maria José Morgado deu uma entrevista ao EXPRESSO na qual se confessa. É um depoimento pessoal, de uma mulher profundamente triste que afirma nunca se ter interessado pela vida porque sempre se interessou pela utopia. É um retrato de alguém que se consagrou a essa abstracção chamada partido.

Nasceu em África, Angola, mas «a minha infância não tem nenhuma importância objectiva». Se tivesse nascido em Lisboa era igual. «A terra encarnada ou os pôres-do-sol de fogo são memórias fúteis, muito boas para romances e notavelmente aproveitadas pelo Lobo Antunes». Mas «tudo isso é dispensável, não me traz saudades». «As recordações tristes para mim são boas porque são as mais intensas». «Em Luanda havia bailes, ia-se à praia, nada disso me agradava».

A relação com o MRPP, para onde recrutou Durão Barroso, é definida como uma relação exclusiva, que considera o amor uma «fraqueza», onde o romantismo «era contra a moral proletária», o sentimento pelo marido (outro militante) como «fazendo parte da militância e não como uma paixão tradicional» e os sentimentos como «coisas que se constroem». O amor era um desvio pequeno-burguês. O corpo era «uma fraqueza» e tinha de ser abandonado. Lia-se obrigatoriamente Marx, Lenine, Estaline, Mao Tsé-Tung e Engels. «Aquilo tinha uma mística!».

Ela era conhecida por Mizé Tung, sempre pronta para a pancada. A coragem era uma consequência do sentido de missão, «uma obrigação», e não são admitidas vacilações. Só falavam «dos assuntos da revolução e do partido». O quotidiano da relação com o actual marido era sem tempo e por isso ficavam na mesma casa sendo era raro encontrarem-se. Porque «tínhamos ambos tarefas a cumprir».

Quando ela rompeu com o partido, por causa do marido, Saldanha Sanches, ter rompido, diz: «o mundo abateu-se sobre mim». «O partido era a única razão de ser da minha existência. Não tinha outros interesses nem outros valores. Tive de renascer depois disso». Atirou-se ao jogging «para não enlouquecer». Agora também pratica natação, que ela acha «hedonista». Antes disso, a dedicação ao partido deu-lhe, confessa, os anos mais felizes da vida dela.

Tendo eu tido 20 anos como Maria José Morgado, e não dizendo como ela que foi a mais bela idade da minha vida, pasmo ao ler estas palavras desta mulher. Nenhum pensamento me repele mais do que este, esta negação da vida e da beleza, esta negação do pensamento e da inteligência, esta negação da sensibilidade e da arte. Esta negação da vida e da falha humana. Isto, para mim, é a apologia do fascismo intelectual, do kitsch histórico. A matriz do Gulag, de Auschwitz e dos campos de Pol Pot.

Pessoas como Maria José Morgado faziam-me, naquela altura, muita impressão e muita pena. E continuam a fazer, apesar de ela dizer que mudou. Há outra coisa que estas pessoas me fazem: medo. Muito medo. Ainda bem que a revolução deles não venceu.

A propósito, eu não acredito que as pessoas mudem assim tanto.”. Nem eu Clara! Nem ninguém.

Mas nada como passar umas escutas telefónicas ao manha, para colocar nas páginas centrais do Rascord, que assim adormece 6 milhões de analfabrutos.

dragaonortenho disse...

Sinceramente acho que noticias destas não ajudam em nada a nossa massa de adeptos.Isto é fazer o jogo do inimigo, isto apesar de acreditar que es tão portista quanto eu e todos os outros.

E mais...se o tecto nos caísse em cima, era porque já tinha caído há muito tempo em cima dos "marroquinos".


Saudações Dragonianas

desconfiado disse...

Então faz algum sentido ter dezenas de jogadores contratados? Só se estão à espera que algum deles se revele. Acho isto tudo muito estranho. Então é a SAD do FC Porto a que tem menor passivo? Óptimo! E resultados financeiros? O passivo está a aumentar ou a diminuir? Por favor expliquem!

Deko disse...

Proponho que se altere a cor de fundo deste blog, para não enganar os seus visitantes mais incautos...

Poderia então ser encarnado ou cor-de-rosa...

Anónimo disse...

Ser PORTISTA não é ser CONFORMISTA...

Somos melhores porque procurámos a excelência...

Se não criticámos o que está mal, ficamos miseráveis e mesquinhos como os rosinhas da 2ª circular...

FC PORTO SEMPRE!

ABAIXO OS COMISSIONISTAS!

Pinto Azul

Bracarense disse...

Acho piada quando se critica os autores deste blog por "malharem" no PC e na SAD.

Pelos vistos, todos concordamos que não faz sentido ter 60/70 jogadores sob contrato.

Quem é responsável por esta situação? Não sei se será o PC, se outros dirigentes ou se todos eles.

Quem dá as ordens, quem define a estratégia para o futebol profissional? Sou eu?

Se temos 60/70 jogadores sob contrato foi porque alguém na SAD acha que isso é uma boa ideia.
E esse alguém há-de ser uma ou mais pessoas da SAD.

E são esses, sejam eles quem forem, que eu, os autores deste blog e muitos outros criticamos.

E este ano continuamos com motivos para estar apreensivos. Continuamos com carradas de jogadores sob contrato, continuamos a emprestá-los a meia Liga, continuamos a contratar jogadores ao quilo, continuamos a não apostar em jogadores jovens, etc.

Até nem ficaria preocupado com mais uma venda massiva das estrelas se visse o guito resultante a ser bem aplicado. Mas em vez disso vejo os jogadores jovens a dar proveito a outros clubes enquanto as vagas no nosso plantel são ocupadas por unifintas, Linos, Nunos, etc.

P.S.: Esta de emprestar o Paulo Ribeiro, manter emprestado o Bruno Vale e ir buscar o Nuno, é de morte...

Anónimo disse...

É de morte, porque realmente o Nuno é melhor que Paulo Ribeiro, Bruno Vale, Moreira, Moretto e Quim todos juntos.
Não apostamos em jogadores jovens? Essa é boa. Quem é que tem a média mais baixa de 1ª Liga? Deviamos ir buscar novamente o Derlei?
Acho até que em vez de 70 deveriamos ter 100 jogadores sob contrato.
Já viram que o benfas não consegue vender um único jogador. Brevemente chegarão à reforma e para se ter uma Superliga minimamente competitiva terá que ser o F.C.Porto a emprestar alguns atletas aos restantes clubes para que a qualidade do campeonato seja minimamente aceitável.
Por isso o meu aplauso para os responsáveis da SAD do Porto que vêm mais a dormir que os outros todos com os olhos bem abertos. E pasme-se, apesar de tudo isso têm um passivo infinitamente inferior aos doutores da Capital.

céptico disse...

Okay, agora acho que já percebi! O fito da SAD é então patrocinar toda a liga. Fiquei esclarecido, anónimo. Nesses 60 a 70 jogadores não há um central que possa substituir o Pepe?

deko, não percebi a piada...cor-de-rosa?

Dragão do Padrão disse...

Amigos,
Realmente é estranho (no mínimo) as negociatas que vamos assistindo.
O Pinto da Costa não dorme e realmente as coisas têm corrido bem. Será que nos devemos contentar em ser só BI CAMPEÕES (não é preciso lembrar que no ano passado foi a queimar)?
Realmente a questão não é tanto para onde vai o dinheiro (abater passivos) mas sim para onde ele foi no passado, onde a exigência ao nível das contas duma SAD não existia.
A que preço queremos um Porto ganhador? Á custa dos sócio que com sacrifícios (tas vezes) apoiam incondicilmente o clube?
O pior cego é o que não quer ver.
FCP SEMPRE!

Bracarense disse...

Por pontos:
Nuno é melhor do que quem??? Sem comentários...

Já temos uma média de idades baixa? Imagina então como ficaria se em vez daqueles 3 que refiro, estivessem 3 jovens com FUTURO, como por exemplo, sei lá, Bruno Vale, Bruno Gama e o Antunes (do P. Ferreira).

100 jogadores e o benfas como termo de comparação: I rest my case...

desconfiado disse...

Contratámos mais um argentino. Não sei se é boa política ter um contingente grande de argentinos. Com brasileiros já deu barraca...