terça-feira, 10 de julho de 2007

PINTO DA COSTA MENTIU

Vamos por partes. Vender um central por 30 milhões não pode ser considerado mau negócio. Também e até porque custou há 3 anos um preço irrisório. Pepe passou de um coveiro para o melhor central do Mundo e os peseteiros, por uma vez sem exemplo, gastaram muito, mas bem.
A questão é outra - a péssima ideia de vender Anderson, que apenas rendera 30% do seu verdadeiro valor, a semanas de se estrear com a camisola da principal selecção do Mundo, assim desperdiçando pela menos mais10 milhões, já para não falar na fragilização do plantel, foi justificada com a manutenção das outras jóias. Passaram-nos a ideia de que era um mal necessário. Pinto da Costa concluiu, condoído, que "não sairá mais nenhum dos imprescindíveis". Agora compreendo - havia que vender as cadeiras do Dragão. Agora que estão vendidas, vendem-se as jóias do plantel, que o dinheiro dos pategos (leia-se adeptos) já não foge.
O plantel precisa claramente de dois extremos bons (e vamos ver se não serão três...). A SAD o que faz? Empresta todos os que tem, portugueses e bons, e mantém apenas o que vai vender. Para fazer número, desenterram o inenarrável Unifinta Sektioui. Pelo meio,desperdiçam o Ibson, sem ao menos valer, com Pepe eAnderson, bom dinheiro. Não me esqueço que quiseram fazer o mesmo a Adriano em dezembro, e só à teimosia deste devemos o título de campeões...
Com mais de doze milhões de contos nas mãos, espero que esta semana nos apareçam com os extremos e um ou dois centrais de categoria reconhecida para suprir a ausência do Pepe. Desejo ardentemente que parem as contratações de latagões de 1,90m comprados nas lojas dos trezentos e com reserva de propiedade. Mas, por amor de Deus, gastem bem. Não façam como da última vez em que se viram cheios de dinheiro. Ou estarão a pensar que é com aqueles que estão na Holanda, menos o Pepe, que vão fazer uma boa época?
Aguardarei serenamente os próximos dias. Façam o que fizerem, uma coisa é certa - Pinto da Costa mentiu.

20 comentários:

Julio Baptista disse...

O Anderson só foi convocado porque alguém na comissão tecnica brasileira recebeu muito dinheiro do Man United.

Achas que foi pelos jogos que fez pelo nosso clube(13 ou 14)?

Não sejas ingénuo!

Julio Baptista disse...

A proposito...

Estamos à espera de um comentario sobre a mais recente entrevista do menino do papá, entrevista que não refere a sua imensa felicidade por viver na Alemanha...

Anónimo disse...

Quais são as transferências superiores a 30 milhões? Apenas Fernando Torres, OK.
Porque é que os colossos como Chelsea, Manchester, Liverpool, etc., não conseguem vender assim?
Até o Lyon que compra pelo triplo que o Porto costuma comprar, vende a jóia da coroa Malouda, por metade do Pepe.
E ainda têm lata para criticar?
Volta Rui Moreira, tu é que és gestor profissional, fds.

mv disse...

A questão não é criticar...a questão é que o F.C. Porto desta forma não tem planemaneto desportivo só tem planeamento financeiro...é muito difícil criar uma equipa para ganhar tudo...leva tempo...com esta política apenas avançamos para recuar logo de seguida...caros Portistas digam lá? a Equipa do ano passado bem reforçada no Ataque no espaço dum ano não tinha tudo para chegar à Final da Champions?...Eui acho que sim...esta direcção mostra um incapacidade de pôr o planeamento desportivo a salvo do défice que criou...estão reféns dos próprios erros...MAIS os jogadores que vêm para o F.C. Porto têm que começar a perceber que têm um contrato para cumprir...isto não é rampa de lançamento...

cajo_vcambra disse...

Não vale a pena iludirmo-nos, quando aparece um gigante europeu a acenar com os milhões a um qualquer jogador a actuar em Portugal é quase impossível segurá-lo, é preferível vendê-lo do que ter o jogador contrariado e a forçar a saída. Além disso acho que acima de um certo valor é sempre de vender, acho que, actualmente, é mais importante anular o passivo para deixarmos de estar reféns da Administração dos Bancos. O Porto já deu provas de que consegue voltar a criar uma equipa super competitiva. Na minha opinião temos um defesa central de grande nível desperdiçado no banco, era a altura de rentabilizar o investimento feito no João Paulo e contratar um central jovem e barato para a 2ª linha.

Alvaro disse...

Calma pessoal que depois de Pepe vão aparecer outros craques como também apareceram depois das saídas do Fernando Couto, Aloisio, Jorge Costa, Jorge Andrade e Ricardo Carvalho. ;)

Não se esqueçam que os jogadores saiem mas o clube continua sempre vencedor.

dragaovenenoso disse...

Eu gostava de saber para onde vai o dinheiro que encheram os cofres da SAD. Para saldar dívidas ou para comprar uma camioneta de jogadores? E também acho que o FC Porto mais parece uma plataforma giratória de jogadores. Se mesmo assim conseguirem títulos nada terei a dizer, mas mudar de jogadores com frequência não traz grandes resultados, basta ver o benfas que até já mudou para cor de rosa, pois não tem $$ para tingir as camisolas (AHAHAHAHAH) e agora recorre à batotice da especulação em bolsa, sem que ninguém diga nada.

Anónimo disse...

é cada bacorada...lol

Anónimo disse...

olhem lá...1º lugar: "A questão é outra - a péssima ideia de vender Anderson, que apenas rendera 30% do seu verdadeiro valor, a semanas de se estrear com a camisola da principal selecção do Mundo, assim desperdiçando pela menos mais10 milhões, já para não falar na fragilização do plantel, foi justificada com a manutenção das outras jóias" O Anderson tem 18 anos..fez 1 ano e meio no porto...quanto a mim, apesar de todo o seu potencial, mostrou que ainda tem muito que crescer...e é a 2ª transferencia mais cara do mercado (30Milhões!) muito à frente de um dos melhores jogadores do mundo - henry! (que já fez 20 vezes + coisas na sua carreira que o anderson). Queriam vende-lo por quanto? 40 milhões? Mesmo para aqueles que dizem que podia ficar mais um ano e que iria valorizar-se. Mas acreditam que algum clube dariam mais do que 30 milhões pelo anderson enquanto ele jogasse no porto? Acordem! Voces estão atentos ao mercado ou ainda vivem nos anos em que o Real dava 50 milhoes pelo Figo, 60 por nao sei quem...
Além disso, viram o que é que ele fez até agora na copa america? nada! Quanto a mim se ele fosse vendido depois desta copa america só saía era desvalorizado. Parem para pensar antes de dizer asneiras!

Quanto ao Pepe.É mais um depois de Carvalho, Fernando Couto , Jorge Andrade. A diferença é que destes todos foi sem dúvida o melhor negócio. Aliás arrisco-me a dizer que é o melhor negócio que o Porto fez até hoje. 30 milhões por um jogador que veio do maritimo quase a zero, e que no estrangeiro não é popular (bastando ver que nenhum adepto do real madrid o conhece).Além de que só ganhou coisas a nível interno. 30 Milhões! O que queriam? É uma oportunidade unica!

E depois não nos vamos esquecer duma coisa... o Porto é uma SAD. Uma sad tem interesse para todos os sócios pelo facto de ser obrigada a ser o mais transparente e credível possível. Quem não sabe para onde vai o dinheiro basta ler os relatórios anuais.Estão publicados na net! E há que não esquecer que o Porto, apesar de ter uma folha salarial muito "pesada" mas que já começou a ser reduzida muito significativamente, o grande problema é que existem milhões de contos de emprestimos contraidos devido à construção do estádio e outras infraestruturas e que têm que ser pagos. Uma empresa não pode fugir às dividas e o porto tem um estádio para pagar, e como outros clubes, outras dividas. Mas também não se esqueçam que jogadores como quaresma,lucho, pepe, helton, lisandro, ou seja jogadores que nos permitem sonhar com vitórias na champions e que valem milhões, têm de ser bem pagos ou pensam que eles jogam por amor à camisola? Se jogam no Porto é porque o Porto lhes dá contrapartidas, caso contrário haveria muitos clubes em que eles poderiam jogar. Portanto também há que compreender parte dessa folha salarial! Há desperdícios que têm de ser eliminados, mas o mais importante é pagar as dividas aos bancos e a fornecedores, e isso só é possivel vendendo. Quando o Porto tiver as suas contas saneadas, quando tivermos o nosso belo estádio pago(que ao contrario de outros nos custou a construir e a pagar), então será possivel pegar nestes milhões de mais valias e ir buscar jogadores de topo. Somos grandes, mas a nível financeiro(que é quase tudo no futebol moderno) ainda estamos mt longe dos grandes da europa. Se continuarmos com esta politica de contrataçoes e vendas..ou seja...se fizermos 200 milhoes de euros em vendas por cada 4/5 anos..podemos dentro de uns anos voltar a sonhar com uma champions league e com objectivos muito mais alto. Por enquanto vamos ganhando campeonatos nacionais. Já so faltam 10 para ultrapassar a merda vermelha! Tá quase!

Araço

Fernando disse...

O pessoal anda mesmo maluco, até já falam que esta equipa do FCP reforçada até poderia chegar á final da Champions!!?!!!! Então não podia??? E já agora, o Barcelona, o Real Madrid, o Milan, o Inter, etc,etc, reforçados também não podem?

Por amor de Deus...desçam à terra!!!

Quer gostem de ouvir ou não: Pinto da Costa e cª os melhores negociadores do mundo.

E ainda há quem fale agora de boca cheia. Não querem mais asneiras como outrora, pois não, asneiras tipo Pepe, não é???

Nuno disse...

Análise:
Pepe chegou ao FCP acusado de trapalhão.

Anderson fez final de época infeliz

Mourinho ganhou tudo com gajos do setubal, benfica B e leiria

30 milhoes são 30 milhões

As contratações são viradas pra um futebol mais aguerrido, mais colectivo e mais a meio-campo...

Jogador que não sai, amua e ganha mialgias

outros nem se despedem dos colegas de "etapa"

Outros vão a nado pro valencia...

Queremos é jogadores humildes, que queiram titulos e não os tenham...
Tenho dito!

Anónimo disse...

Não deixa de ter piada que dois dos negócios mais vantajosos do Porto, tenham sido dois jogadores que treinadores queriam dispensar e que parte da massa associativa apupava por ainda serem verdes!!!!!
Só ficaram com vínculo ao clube por ordem expressa de Pinto da Costa.
Ricardo Carvalho e Pepe.
Agora digam lá que o homem está velho, que o tempo dele já passou, que é preciso renovação bla´´bláaa..bláa, ou seja paleio de jornaleiros de lisboa que quem não tem neurónios repete até à exaustão.

Anónimo disse...

Ao último anónimo:- Até podias vir com as melhores intenções, mas, comparar, seja de que forma for, o Ricardo com o Pepe (e eu não me lembro do Ricardo Carvalho ser assobiado), não abona nada a tua mensagem.

Agora, que 30 milhões por um cepo é muito dinheiro, lá isso é...
( não foi o Real Madrid que nos comprou o Secretário? )

1 abraço

Anónimo disse...

Hoje da maneira que está o mercado, nãohá GARANTIAS ABSOLUTAS.

Existiu certamente uma intenção forte,nada mais do que isso.

dragaovenenoso disse...

Continuo sem ver as dívidas a diminuir, pelo contrário continuam a aumentar. E vão aumentar mais ainda com a construção do recinto fechado multidesportos. Não é que eu consider e desnecessário, bem pelo contrário, mas fico apreensivo com este passivo brutal.

Espero que não aconteça como na piscina olímpica, ficou o buraco para se ver durante anos a fio.

Anónimo disse...

A saída do Pepe não tem debate possível. 30 milhões é muito dinheiro.

O que tem debate é para onde vai esse dinheiro e quem vai substituir Pepe.

Anónimo disse...

Caros amigos
Só para falarmos de algo diferente, leiam esta magnifica crónica sobre as acções do SLB, publicada hoje no Diário Económico. Depois, imaginem que toda esta confusão(para não lhe chamar vigarice) se tinha passado no nosso clube. Claro que o caso já teria sido escalpelizado pelos media habituais com comentários escabrosos sobre a idoneidade dos dirigentes do FCPorto. Assim, fica nas páginas escondidas de um jornal de informação económica!

Advogados do BES dizem que acções do Benfica são um logro
No processo que opõe o BES a Manuel Vilarinho e Vítor Santos, as acções do
benfica são consideradas fraca garantia patrimonial.

André Macedo

O banco que liderou a oferta pública de distribuição de acções do Benfica,
em Abril de 2001, considera hoje que os títulos que ajudou a colocar no
mercado há seis anos são consideradas más. "Infelizmente as acções
empenhadas nada ou quase nada valem: são, em termos de garantia, um
verdadeiro logro", sustentam os advogados do Banco Espírito Santo - Filinto
Elísio, Lopes de Almeida e Vítor Miragaia - na exposição feita ao Juízo de
Execução de Lisboa, onde decorre o processo por dívidas interposto pelo BES
contra Manuel Vilarinho, ex-presidente do Benfica, e Vítor Santos,
construtor civil e avalista do antigo dirigente desportivo.

Neste processo, o banco exige a Manuel Vilarinho o pagamento de 8,4 milhões
de euros, acrescidos de juros e demais encargos. O montante diz respeito a
40% de um empréstimo de 21 milhões de euros, concedido pelo banco - na
verdade, pelo Banco Internacional de Crédito (BIC), que mais tarde se
fundiu com o BES -, em Maio de 2001, para que o então presidente do Benfica
comprasse o volumoso pacote de acções que o mercado não tinha absorvido no
âmbito da oferta pública de distribuição de títulos do clube, realizada em
Abril.

Passados seis anos, Manuel Vilarinho só pagou uma parte deste empréstimo e
falhou os prazos de pagamento definidos com o banco. Na verdade, a maior
fatia que já foi paga acabou desembolsada por dois avalistas de Vilarinho
na operação: Luís Filipe Vieira (actual presidente do Benfica), que
entretanto pagou 20% dos 21 milhões de euros; e o construtor civil José
Guilherme, que também se responsabilizou por 20% da dívida. Vieira e
Guilherme ficaram, assim, com as acções que inicialmente estavam nas mãos
de Manuel Vilarinho.

O terceiro avalista na operação foi Vítor Santos ('BiBi'), conhecido
empresário da construção. É aqui que surgem os problemas. De acordo com
informação a que o Diário Económico teve acesso, Vítor Santos alega que,
aparecendo de facto como avalista de Vilarinho no contrato assinado com o
BIC, na realidade nunca teve intenção de o ser. De acordo com esta leitura
dos acontecimentos, o construtor aparece como avalista no negócio apenas,
porque foi essa a estratégia desenhada pelo BESI (Banco Espírito Santo
Investimento) para disfarçar o fracasso da colocação de acções do Benfica -
21 milhões de euros por vender - que o BES tinha organizado. Ou seja,
segundo Vítor Santos, o empréstimo feito a Vilarinho não era um empréstimo
verdadeiro, mas sim uma simulação para esconder a realidade.

A tese de Vítor Santos, segundo fonte próxima do processo, é rica em
detalhes, que o BES desmente por inteiro em tribunal.

Assim, de acordo com o construtor, o Banco Espírito Santo Investimento,
para esconder as dificuldades da operação que tinha liderado e sublinhar o
seu êxito, decidiu simular um empréstimo de 21 milhões de euros ao então
presidente do clube, para que ele ficasse com os 4,2 milhões de acções que
sobravam no mercado.

De acordo com a mesma fonte, realizada esta compra simulada, o BESI
comprometeu-se a encontrar muito rapidamente um investidor internacional
para onde seriam finalmente transferidas as acções que ninguém queria.. Até
lá, o que poderia demorar um mês ou talvez um pouco mais, Manuel Vilarinho
não pagaria juros nem os encargos do falso empréstimo. Seria o banco a
tratar de tudo, responsabilizando- -se por todos os encargos. Resumindo:
Vilarinho teria apenas um papel instrumental no negócio. O dirigente
benfiquista só dava o nome, tudo voltaria ao normal muito rapidamente e ele
não ficaria com dívida alguma.

De acordo com as fontes contactadas pelo Diário Económico, dois meses
depois de Vilarinho e Vítor Santos terem aceite participar nesta alegada
montagem, o BESI ter-lhes-á pedido que assinassem um contrato de
financiamento pós-datado (ou seja com uma data anterior à real) para
salvaguardar a boa prática bancária. Numa primeira fase, Vilarinho ter-se-á
recusado a assinar o documento, mas cedeu. Luís Filipe Vieira e José
Guilherme acabaram também por aparecer como avalistas do negócio, numa
operação garantida por quatro livranças subscritas por Vilarinho e com os
referidos avalistas.

A partir daqui, há poucos detalhes. Sabe-se apenas que nunca apareceu o tal
investidor para comprar as acções do presidente do Benfica, como alega
Vítor Santos, e que, numa carta enviada a 5 de Maio de 2004, o BIC,
valendo-se do contrato assinado, exigiu a Vilarinho que pagasse o capital
em dívida e os respectivos juros. O ex-dirigente não o fez e o caso seguiu
para tribunal, onde está em julgamento.

Já houve, no início deste ano, uma primeira tentativa de conciliação, mas
fracassou. A pedido do BES, que desmentiu por inteiro ao tribunal as
alegações de Vítor Santos, está agora decorrer uma segunda tentativa para
resolver amigavelmente o assunto. O processo, em julgamento no 1º Juízo -
2ª Secção dos Juízos de Execução de Lisboa, está suspenso durante 30 dias e
ainda não foram ouvidas testemunhas. Contactadas pelo Diário Económico,
nenhuma das partes quis fazer comentários.

Um abraço
Sckit

amorim disse...

é a 1ª vez q venho a este blog e dá para ver q continua a haver portistas!? com duvidas quanto a serem bem feitas as vendas de Anderson e Pepe. Mais de 60 milhões de euros, nem os rosinhas conseguem dizer tão mal da nossa SAD...

KSP disse...

somos uma nação em tudo LOL
escrevemos exatamente sobre o mesmo...

as preocupações sao as mesmas, embora as opinioes possam divergir, sabemos o queremos...

Anónimo disse...

Vamos fazer subir o nosso Grande FC PORTO nesta votação.

http://www.voteyourteam.com/

Votem e 1 hora depois voltem a votar.

Saudações Dragonianas