domingo, 26 de agosto de 2012

Jogo 3 - FC Porto, 4 x Vitória, 0 - Uma exibição de Lucho, finalmente!

Finalmente, pois então, porque foi preciso esperar um ano e quase 2 meses para ver um FC Porto com VP ao leme protagonizar uma exibição "à Porto": muita garra, pressão alta e constante, velocidade, bons passes e jogadas bens construídas, golos. Talvez resultado de não ter inventado ontem... de ter colocado os melhores a jogar nas suas posições, talvez consequência do último péssimo jogo de Barcelos e os jogadores quererem mostrar outra imagem aos mais de 35 mil adeptos que marcaram presença no arranque do campeonato no Dragão... não sei, só me pergunto é porque é que não pode ser sempre assim?

O Vitória, muito fraquinho, muito pior que o da época transacta que já não era nada de especial..., simplesmente não conseguiu jogar. A pressão que o ataque e o meio campo exerciam no meio campo defensivo era intensa e não deixava que o Vitória desse mais de 3 ou 4 toques na bola e não conseguisse sair para o ataque. Por outro lado, quando tinha a bola (mais de 70% do jogo) jogava-se ao 1º toque, com progressão, velocidade, procura dos espaços e sempre a pensar na baliza do Vitória.

Individualmente, na defesa Danilo e em especial Alex Sandro deram outro dinamismo ao sector, razão principal da boa exibição de ontem, pois apoiam muito o ataque e permitiu que o FC Porto jogasse boa parte do jogo com 5 médios: os 3 nornais mais Danilo e Alex Sandro que estavam muito subidos. Fernando, mesmo num jogo em que o sentido é único na direcção da baliza do opositor, tem de estar sempre em campo para compensar as subidas e posicionamento alto dos laterais, só assim eles têm essa capacidade de subir; no fundo, Fernando acaba por ser um 3º central à frente dos outros dois e não um médio defensivo. Os centrais não comprometeram e o guarda-redes quase não teve trabalho.
No meio campo, que dizer de Lucho? Vinha atrás buscar jogo, trabalhava no meio campo e ainda apoiava bem o ataque, tão bem que até marcou 2 golos! Fernando esteve muito bem a limpar a sua área de acção e ainda teve oportunidade de sair algumas vezes com a bola nos pés para o ataque. Moutinho não teve um grande jogo, mas não jogou mal (Moutinho não sabe jogar mal, pode é não jogar muito bem) e teve alguns passes menos bem conseguidos, mas o seu posicionamento em campo é fundamental para o bom resultado de ontem.
No ataque, Atsu é um miudo fantástico, uma verdadeira pérola. Velocidade, finta, remate e capacidade de acelerar e parar quando é necessário, dá profundidade ao futebol portista. Hulk é Hulk! Pensa sempre na baliza, em procurar espaço para rematar para o golo, em levar a equipa para a frente. Nem sempre lhe saiem bem as coisas, como ontem, mas quando saiem, o resultado é invariavelmente o mesmo: golo, um grande golo, à Hulk. E por fim, Jackson, que se estreou a marcar no Dragão de penalti. E que penalti! Marcado cheio de classe, "à Panenka", num momento de coragem e confiança totais - que jogador é capaz de fazer uma coisa destas na estreia perante o seu público e sabendo que falhando geraria uma onda de desconfiança, mesmo que a equipa já estivesse a ganhar por 3-0? Para além desse grande momento, houve vários pormenores onde jogou em tabelas quer com Lucho, quer com Hulk, quer com Moutinho para abrir espaços e criar movimentações de ruptura em direcção à área muito bons, houve vários remates perigosos de cabeça e com os pés de fora da área e ainda jogadas individuais como uma no final do jogo onde dentro da área, sem espaço, rodou sobre si e correu lateralmente abrindo espaço e rematando mesmo a rasar o poste mais distante. Um excelente ponta de lança que, acredito, deverá superar os 20 golos esta época.

Espero que este FC Porto que voltou, seja para ficar. Que não seja um lampejo e momento único. Quero ver mais vezes este FC Porto, dominador, agressivo pela baliza. A jogar assim, não tínhamos empatado em Barcelos nem demorado 89 minutos a marcar um golo em Aveiro...

FICHA DE JOGO
FC Porto-Vitória de Guimarães, 4-0
Liga, segunda jornada 25 de Agosto de 2012
Estádio do Dragão, no Porto
Assistência: 35.503 espectadores

Árbitro: Hugo Miguel (Lisboa)
Assistentes: Pedro Garcia e Hernâni Fernandes Quarto árbitro: Luís Ferreira

FC PORTO: Helton; Danilo, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, Lucho e João Moutinho; Hulk, Jackson Martínez e Atsu.
Substituições: Lucho por James (76m), Atsu por Varela (76m) e João Moutinho por Defour (80m)
Não utilizados: Fabiano, Kleber, Miguel Lopes e Mangala
Treinador: Vítor Pereira

V. GUIMARÃES: Douglas; Alex (cap.), N’Diaye, Defendi e Bruno Teles; El Adoua e André André; Ricardo, Barrientos e Toscano; Soudani
Substituições: Barrientos por Marco (46m), Marco por Lalkovic (64m) e Toscano por Leonel Olímpio (73m)
Não utilizados: Matej, Leandro Freire, João Ribeiro e Siaka Bamba
Treinador: Rui Vitória

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Lucho (16m e 71m), Hulk (66m) e Jackson Martínez (80m, g.p.)
Cartão amarelo: Defendi (80m) e Leonel Olímpio (90m)

PONTO DE SITUAÇÃO
2 vitórias, 1 empate
5 golos marcados, nenhum sofrido
1 título conquistado

1 comentário:

P. Ungaro disse...

Boas,

Acabaram as ferias !!!

Se duvidas existissem sobre VP, Lucho, Moutinho, Hulk Atsu, e o resto da equipa, a exibição do Campeão deita por terra os detractores.
Contra factos não ha argumentos, VP mexeu na equipa, sairam Miguel Lopes, Mangala e James e acertou na mouche. Para quem gosta de futebol esgte é um jogo para ver e rever e foi um prazer assistir á magnifica exibição do PORTO.
Se mantivermos esta bitola, esta exigência e esta dedicação temos certamente um futuro risonho.

Gostei, Gostei, Gostei muito !!!

PS - 2 jogos 2 penaltis não assinalados

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt/