segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Super-Hulk



Que tinha nome de super-herói, já se sabia.

Que tinha super-poderes de futebolista, também.

E que está a ter um fantástico arranque de época, demonstrando todo o seu potencial, é visível até pelos 5 golos que marcou nos últimos 2 jogos, tendo sido preponderante nos mesmos. Super-Hulk, portanto.

O que nos faz voltar à mesma pergunta de sempre: o que teria sido o campeonato passado se ele não tivesse sido afastado da forma que foi... Criando um facto exterior ao jogo que influenciou, de forma brutal, todo o desenrolar da época, esta pergunta vai sempre ecoar na nossa mente. Espero, no entanto, que ele tenha aprendido com o erro e controle ainda mais o seu temperamento, como parece estar a acontecer, descarregando na Jabulani a fúria que o assola nos momentos maus do jogo ou da vida.

E com a paragem do campeonato, chegamos isolados em primeiro na Liga portuguesa e qualificados para a fase de grupos da Liga Europa, como todos desejávamos. E com 6 pontos de vantagem sobre os lampiões, o que é sempre bom - assim são eles que estão em pressão de não perder ainda mais pontos para nós, e como se tem visto, eles não lidam lá muito bem com a pressão... A boa noticia é que o "portero" do galinheiro já não sai, depois de defender o penalti. Assim, tenho esperanças que no regresso da competição ele regresse à normalidade galinácea e as coisas voltem à normalidade!

NOTA ÀS 18h46 - De facto, como dizem nos comentários, ainda há muito trabalho pela frente até que a equipa pratique o futebol que queremos e gostamos. Mas a espaços isso já acontece, como foi ontem no período a seguir ao nosso golo, em que o nosso meio-campo dominou e controlou a bola, marcou ritmos e definiu o jogo a seu bel-prazer. Mas o que está a acontecer é positivo, porque está a nascer uma nova equipa (mesmo que dos 11 que começaram a partida só um fosse contratado este ano, Moutinho) e o futuro, atrevo-me a prognosticar, é risonho. E ajuda sempre, em todos os sentidos, ir à frente e ir ganhando os jogos - porque não ganhando gera instabilidade emocional e não contribui em nada para o sucesso e o inverso é verdadeiro, ou seja, as vitórias são o cimento-cola da estabilidade emocional que traz o futebol positivo aos resultados positivos.
E se mais não consigo comentar, é que aqui em Angola deixei de poder seguir os jogos no canal de satélite que tenho e por isso agora é como nos velhos tempos de infância, com os ouvidos colados ao rádio (quer dizer, às colunas do portátil a emitir a TSF Em Directo) ou na TV pirata (da internet, pois claro, sendo a que a baixa velocidade da mesma me obriga a ver os jogos aos soluços e tal condiciona a minha analise.

5 comentários:

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem não fizemos um jogo deslumbrante, o que não impediu que tivéssemos sempre o adversário controlado e dominado. Eu apostava na entrada inicial de Ruben, para actuarmos em 4-4-2, face à valia do meio campo vilacondense, contudo Fernando, que encheu o campo novamente, Moutinho e Belluschi estiveram muito bem, e ganharam a batalha no miolo.

Adivinhavam-se dificuldades no terreno do Rio Ave, que até nem entrou mal no jogo.
Todavia, a forma agressiva e pressionante como o nosso meio campo actua, a juntar à disponibilidade para lutar pela bola do trio ofensivo, fez com que depressa controlasse-mos o jogo, e sempre que metíamos velocidade criávamos dificuldades ao Rio Ave. Marcamos com naturalidade ... assim tudo parece simples!
Tirando os últimos minutos na primeira parte, o Rio Ave pouco ou nada incomodou. Mas aí apareceu um Helton ao melhor nível, sempre seguro e a dar tranquilidade à defesa.
Aquele erro de Alvaro, que ontem acusou o cansaço natural de muitos jogos, poderia ter dado a possibilidade de empate aos vilacondenses, mas da maneira que o FC Porto está a jogar, de nada serviria pois ganharíamos o jogo.
Ganhamos um homem para as bolas paradas: Belluschi tem estado muitissimo bem, e cada bola parada apontada por ele ou Hulk representam uma ameaça à baliza adversária.
Falcao lutou imenso na frente de ataque, participou na jogada fantástica, ao primeiro toque, que deu o nosso segundo golo.
Varela esteve melhor que nos últimos jogos, fazendo assistência para golo.
De lamentar a lesão do azarado Sapunaru, que dá muita consistência à nossa defesa.
Os nossos defesas centrais ontem não comprometeram. O Rio Ave tirando aqueles últimos minutos na primeira parte, nunca teve oportunidade de incomodar.
Foi uma boa vitória num campo muito díficil. Desenganem-se aqueles que pensam que vai ser fácil vencer nos Arcos. O Rio Ave tem uma excelente equipa, com um misto de experiência e irreverência, muito bem orientada por Carlos Brito.
Espero que a paragem do campeonato não nos traga perde de ritmo, e que voltemos fortes para vencer Braga e Nacional, dois jogos muito importantes, que poderão servir de ponto de partida para uma boa época, que nos permita conquistar aquilo que por meios travessos nos foi roubado: o ceptro de campeões nacionais!

Abraço

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com

Tiago Araújo disse...

Boas,
Um jogo bom pela parte do FCPorto, como todos sabíamos o Rio Ave ia dar luta, mas luta que o FCPorto não se deixou intimidar pelo seu adversário, é verdade que o árbitro não esteve bem na partida mas foi o suficiente para somarmos mais 3 pontos que ao todo já levamos 9 e lideramos a liga!

abraço

http://campeoesfcporto.blogspot.com

Dragaopentacampeao disse...

O FC Porto ainda não apresenta um futebol cativante, contudo, joga para ganhar e com maior ou menor dificuldade vai conseguindo atingir os objectivos traçados: seis jogos, seis vitórias! (liderança isolada da Liga, qualificação para a fase de grupos da Liga Europa e o primeiro troféu da época - Supertaça).

É verdade que ambiciono uma equipa que consiga juntar aos resultados as boas exibições.

Sei que é necessário tempo para a completa assimilação dos novos processos e ideias. Enquanto isso não acontece que os objectivos se vão cumprindo.

Um abraço

Artur Guedes disse...

Mais um jogo, mais uma vitória, e, mais uma vez, ficou muito a desejar.
O FC PORTO entrou, mais uma vez, e, parece que começa a ser habito, e, muito mau, amorfo, sem ideias e a espera de ver correr o tempo, ficando à espera de ver o que o jogo ia dar e de que a vitória acabaria por chegar, essa maneira de pensar faz-me lembrar um passado recente do qual não quero sequer pensar.
Muita coisa ainda há para fazer e melhorar, mas o que interessa é que estamos no lugar que queremos ficar no final, em 1º.

http://oimensovoododragao.blogspot.com

Top5Hotel disse...

Óptimo Blog.

Caso pretendam encontrar os melhores hotéis entre no portal Top5Hotel