quarta-feira, 5 de março de 2008

As minhas estatísticas jogam contra nós...

No entanto, todos estamos convocados para ajudar a contrariar estas estatísticas.
E quais são???
Fácil. O iluminado que disse que era vantagem primeiro jogar fora e depois em casa, não é portista de certeza.
A maioria das vezes que o Poro é eliminado, joga primeiro fora e a segunda mão em casa. Q
Quando chegamos à Final da Taça das Taças, os Quartos e as meias foram jogados primeiro em casa.
Quando chegamos à Final da Taça dos Campeões, só jogamos primeiro fora com o Vitkovice, na segunda eliminatória.
Quando chegamos à Final da UEFA, acho que só jogamos um jogo na primeira mão fora que foi no Prater em Viena, sendo certo que nos jogos mais a sério a 1.ª mão foi sempre em casa (Pana e Lázio).
Quando chegamos à Final da Champions jogamos todos os jogos em casa na primeira mão.
Tenho sempre maus pressentimentos sempre que jogamos primeiro fora... Até naqula célebre vitória na Sampdória na 1.ª mão se tornou aziaga na segunda mão.

Mas hoje tem de ser o dia para deitar isto tudo para trás...
Vamos a eles...

4 comentários:

Tiago Araújo disse...

Força Porto!!!

portista ferido, disse...

Quaresma em campo é um jogador a menos...

Rick disse...

olá
Execelente trabalho o teu na promoção da imagem do nosso FC Porto.
Eu tambem tou a tentar contribuir com mais um blog para fazer do nosso Porto cada vez maior, nese sentido vinha te pedir se me podias linkar eu ja te linkei.
Abraço

www.fcporto-blog.blogspot.com

Anónimo disse...

Dragão, e agora? Nem sei o que dizer. Sinceramente antes do jogo já tinha mais mêdo de Jesualdo do que da equipa do Shalke. Aquele pânico que o seu rosto irradia transmite-se para o relvado para os jogadores. Com um General assim, nunca se ganham guerras.
Positivo - Uma vez mais Mariano Gonzalez. Confesso que o elogiei várias vezes para te contrariar, mas ao fim deste tempo, tem-me convencido e acho que é um jogador à Porto, que se for necessário até joga a GR. Lisandro, Alves e Assunção, sempre os mesmos que nos orgulham e o falhanço das g.p. em nada ofuscam o seu trabalho. Exige-se mais competência a quem dirige a equipa.