sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Mais boas noticias

D'O Jogo On Line:
"O FC Porto anunciou hoje, em comunicado, os resultados económicos consolidados referentes à época de 2006/07, sendo de salientar a redução do passivo em 8,6 milhões de euros. O passivo passou de 125,2 de euros para 116,2 milhões. Se se falar apenas em passivo corrente, então a diferença é ainda maior, já que se regista uma redução de 24,3 milhões de euros relativamente a 30 de Junho de 2006. O resultado consolidado é de 2,3 milhões, bem acima do orçamentado, isto porque se esperava um resultado nulo. Os resultados, que ainda não incluem a receita da venda de Pepe ao Real Madrid, serão apresentados em assembleia-geral de accionistas no próximo dia 30."
.

Ora a redução do passivo, do passivo corrente e a melhoria do resultado financeiro consolidado são noticias pelas quais ando há muito a pugnar e que são exigidas a uma SAD profissionalizada na sua gestão e que desportivamente é um clube de top. Aliás, já é a segunda vez nestas últimas semanas que estas (boas) noticias relativamente à prestação financeira são divulgadas, no que parece constituir uma reviravolta na gestão do clube que há muito se impunha.

Se estes resultados se mantiverem, o que acredito que sim, e que até possam ser melhorados, então está a SAD de parabéns.

7 comentários:

PC disse...

Boas notícias, de facto. Tal como já acontecera com as contas do clube. Eu não sou defensor da teoria do caos, que (entre outras coisas) defendia que NUNCA mais o Porto iria vender jogadores pelos valores de 2004, após ser Campeão Europeu. Provou-se que não era verdade. Mas também não embandeiro em arco, ao ponto de assumir como certo que todas as épocas o Porto venderá jogadores por 30 milhões de euros, casos do Anderson e do Pepe, para cobrir prejuízos. Pode vender ou não. Por isso, eu concordo que é necessário que estes resultados se mantenham, sem impedir que o Porto continue a ter êxito desportivo, mas também sem comprometer o seu futuro, caso as coisas corram mal duas ou três épocas seguidas.

Entretanto, o Dragão faz hoje 4 anos. Dizia assim A Bola: "Jóia de família, casa de milhões de espectadores, o Dragão recebe hoje uma prenda. A Associação Portuguesa de Certificação distingue o estádio nas vertentes de gestão e qualidade e sistema de gestão ambiental. No Mundo o Dragão será o único estádio cinco estrelas com certificado de Qualidade e Ambiente." É um orgulho ter "nadas" como este.

Alvaro disse...

PC, de uma coisa temos a certeza, o Porto vai vender o Pepe na próxima época. ;)

Dragão Maronês disse...

O que é preciso é ir preparando as coisas de forma a que o nosso Club (a Sad) não esteja dependente de um bom negócio para apresentar resultados positivos. É preciso continuar a diminuir os gastos mais rapidamente e o Porto até tem por onde cortar gorduras desnecessárias, diminuindo dráticamente o número de jogadores sob contrato, que nos custam um dinheirão e reforçam os nossos adversários. Ainda quando se trata de promessas a ganhar rodagem, vá que não vá. Agora os Isaías, os Pitbull, os Linos e outros mais que nunca se percebeu bem para que, e para quem foram contratados, dado que o valor, demonstrado em campo, nunca chegou a justificar a sua vinda.
As contas deste ano, indicam que se está a caminhar no sentido correcto, mas a velocidade é ainda muito lenta. O passivo, apesar de ser o menor dos três Grandes é, ainda assim, muito elevado.
Saudações Portistas
Dragão Maronês

PC disse...

Exacto, Álvaro, a receita da venda do Pepe vai ser contabilizada apenas no próximo exercício.

Anónimo disse...

Sim o nosso Clube esta dependente de um bom negócio para apresentar resultados positivos !

se a receita da venda do Pepe so vai ser contabilizada no próximo exercício, a do Anderson (31 milhoes) ja foi contabilizada na da epoca passada

E se o clube nao tivesse vendido Anderson ? resultado consolidado negativo de mais de 27 milhoes ???

Alvaro disse...

Anónimo, o clube está, neste momento, muito perto de conseguir apresentar resultados positivos sem vender os tais jogadores importantes e isso deve ser aplaudido.

De qualquer maneira, os "ses não deviam entrar nas contas, porque se formos por essa via também podemos ir buscar o facto do FC Porto não ter vendido o Quaresma e o Lucho por quantias superiores a 20 milhões de euros por não necessitar do dinheiro para apresentar contas positivas. ;)

Isto vinha ontem no JN:
"O lucro final (2,3 milhões de euros) até podia ser maior, porém a administração liderada por Pinto da Costa, fiel às ùltimas promessas, aproveitou para abater 6,2 milhões ao passivo - em Junho de 2007 este item fixava-se nos 126,3 milhões de euros, inferior aos 132,5 milhões de euros contabilizados em Junho de 2006."

Anónimo disse...

Não entendo uma coisa. Tanta venda efectuada e bem feita, e tanto passivo, não entendo!