quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Jogo 34 - Manchester City, 4 x FC Porto, 0 - A vergonha na hora do adeus

Noite negra, não para esquecer, mas para recordar por muito tempo, de forma a ter a certeza que a lição foi aprendida: defender mal, desconcentração, protestar inutilmente - tudo isto concorre para perdermos e por muitos...

A equipa nem jogou mal, se tirarmos os primeiros 22 segundos e os últimos 14 minutos. O problema é que o futebol são 90 minutos mais os que o árbitro quiser dar e a equipa tem de se manter concentrada do primeiro apito até que o árbitro apite 3 vezes... o que não foi, claramente, o caso de hoje!

Para além disso, de nada serve dominar, controlar e jogar se depois nas desconcentrações defensivas deixam marcar e se não rematam à baliza, sendo que das poucas vezes que o fazem nota-se a ausência do ponta de lança...

Por outro lado, hoje acho que Hulk nem jogou muito mal - pelo menos, comparando com o jogo da 1ª mão - e foram dele ou passaram por ele as jogadas mais perigosas todas do FC Porto, apesar de um ou outro momento menos bom - mas acho que não foi por ele que perdemos hoje. Esperava ver um FC Porto com um desenho táctico diferente (pensei que VP fosse apostar nos 4 médios que dispõe para combater o duplo pivot e os 3 médios do City) e uma frente com Hulk sobre a direita e Cebola sobre a esquerda. Não o fez e não sabemos até que ponto poderia ter resultado isto, mas o golo aos 22 segundos acabou com o jogo e a eliminatória logo ali.

Voltando ao principio, sei que se era difícil o jogo de hoje, várias coisas concorreram para que ficasse ainda mais - a desconcentração da equipa, os protestos escusadíssimos que valeram a maior parte dos amarelos e os proverbiais falhanços defensivos que são meio golo e que, contra equipas deste gabarito, dão golo na certa. Tudo isto, treina-se. E ser recorrente nestas críticas esta época é sinal que o treino ou não existe ou não resulta...

Resultado: mais uma humilhação em Inglaterra. Por melhor imagem que o jogo tivesse transmitido do futebol da equipa, o resultado é uma vergonha. E, mais uma vez, a culpa vai morrer solteira ou, na versão do VP, será com toda a certeza em exclusivo dos jogadores... Como bem diz Luís Sobral no seu comentário no MaisFutebol: "A eliminatória era difícil à partida, mas o F.C. Porto foi responsável por acentuar a distância e a diferença. Não teve dimensão para a Liga dos Campeões e também não teve capacidade para se parecer sequer com uma das melhores equipas da Liga Europa.
Para Vítor Pereira, este foi um F.C. Porto «de grande qualidade». O treinador saiu da Liga Europa com queixas da arbitragem, insinuações sem sentido e a frase que marca: o resultado «é uma mentira». Não podia discordar mais. Não se tratou de uma mentira mas sim de uma verdade dolorosa. E talvez fosse uma boa altura para o treinador a enfrentar. Antes que alguém o faça por ele.
"



Por último, a imagem da noite: AVB ao lado direito de PdC na bancada e entre este e Reinaldo Teles. Julgo que não vai ser significado de coisa nenhuma, a não ser o aumento de pressão sobre o VP e uma forma, inteligente, do PdC dizer-lhe que acabou o seu tempo no FC Porto. PdC não o vai despedir antes do Verão, mas estará, com toda a certeza, à espera de receber a carta de demissão do VP na noite de 2 de Março depois da próxima vergonha... A dúvida é: o senhor que se segue será Domingos, Pedro Emanuel ou Jorge Costa (que está a fazer um bom campeonato na Roménia)?

FICHA DE JOGO


Manchester City - FC Porto, 4-0
Liga Europa, 16-avos-de-final, 2.ª mão
22 de Fevereiro de 2012
Estádio Cidade de Manchester, em Manchester
Assistência: cerca de 40 mil espectadores

Árbitro: Wolfgang Stark (Alemanha)
Árbitros assistentes: Jan-Hendrik Salver e Mike Pickel
Quarto árbitro: Marco Fritz
Árbitros assistentes adicionais: Florian Meyer e Deniz Aytekin

MANCHESTER CITY: Hart; Richards, Kompany (cap.), Lescott e Clichy; De Jong e Barry; Silva, Yaya Touré e Narsi; Aguero
Substituições: Barry por Milner (78m), Nasri por Dzeko (69m) e sdf por dfd (88m), Aguero por Pizarro (80 m)
Não utilizados: Pantilimon, Zabaleta, Savic e Balotelli
Treinador: Roberto Mancini


FC PORTO
: Helton; Maicon, Rolando, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, Lucho e João Moutinho; Varela, Hulk (cap.) e James
Substituições: Otamendi por Sapunaru (63 m), Varela por Rodríguez (63 m), James por Defour (80 m)
Não utilizados: Bracali, Tomás, Djalma e Kléber
Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 1-0
Golos: Aguero (1 m), Dzeko (76 m), Silva (84 m), Pizarro (86 m)
Cartão amarelo: Rolando (14 e 76 m), Lucho González (14 m), Otamendi (27 m), João Moutinho (30 m), Toure (67 m)
Cartão vermelho: Rolando (76 m)

Ponto de Situação

21 vitórias, 6 empates, 7 derrotas
68 golos marcados, 33 golos sofridos

7 comentários:

reine margot disse...

qual vergonha, qual carapuça! Foi um jogão. Toda a gente viu isso. Perdemos por 4 quando já só jogávamos com 10 - sabe deus porquê - e não temos nem em campo, nem no banco os jogadores que els têm. AInda assim tiveram de jogar em contra ataque que como sabe facilita sempre para quem o faz!...
não temos ninguém na área? verdade, verdadinha... mas, não é todos os anos que se consegue contratar um falcao.

Anónimo disse...

Uma vegonha sim senhor, até quando Vitor Pereira ? Até quando ? Incrivel

Nuno Silva Leal disse...

Um jogão onde acabamos goleados. Adianta muito... E é verdade que não se encontra um Falcao em qualquer lado, mas só tentaram encontrar alguém a 30 de Janeiro, um pouco tarde de mais.

Este ano a SAD meteu os pés pelas mãos e não soube reagir às saídas de AVB e de Falcao (percebe-se que não havia plano B de alternativa a AVB e que não havia dinheiro para comprar um ponta de lança) e estamos a pagar ambos os problemas que só foram minorados pela metade em Janeiro (com a chegada de Janko).

Até quando VP? Anónimo, é simples: se sair só com uma derrota ligeira ou algo melhor do que isso de Marrocos, então será até ao final da época; se sairmos de lá com mais uma humilhação, talvez o VP seja deixado em Espinho e já não regresse ao Dragão nessa noite...

António Mendes disse...

Uma sombra de FCP

Vítor Pereira não é treinador para o F. C. do Porto.
Sou directo e enquanto adepto aguardo ansioso pela sua substituição.
Reconheço que não há épocas iguais. A época passada foi de sonho. Campeão sem derrotas, vitória na liga Europa; taça de Portugal depois de uma meia-final épica, supertaça, festa do título na casa do rival depois dos 5 -0 no Dragão… melhor era impossível e inimaginável quando AVB chegou à “cadeira de sonho”.
Vítor Pereira fartou-se de dizer que esta era outra época e apesar de nenhum adepto exigir a liga dos campeões, outro campeonato sem derrotas, ou novamente a liga Europa, também nenhum adepto esperava tão pouco.
Este FCP joga pouco. Este FCP não chega para ser campeão e a saída de Falcão ou a sorte e o azar não serve para justificar o mau futebol praticado.
VP é o principal responsável. Perder acontece. Perder com o Manchester City é normal (basta comparar os orçamentos). Mas se jogássemos mais um bocadinho, provavelmente ainda estaríamos na Champions, na liderança do campeonato e novamente no Jamor. VP falhou sempre em momentos decisivos. Em nenhum deles conseguiu vencer:
1º Momento 26/08/2011 – Barcelona 2 – FCP 0
Apesar da derrota reconheço o bom jogo do FCP. Do outro lado estava a melhor equipa do mundo. Mesmo assim os adeptos portistas não gostam de vitórias morais.
2º Momento 23/09/2011 – FCP 2 – SLB 2
No Dragão mandamos nós. Depois de uma boa primeira parte a equipa encolheu e as mexidas vindas do banco só prejudicaram. A vitória contra o rival em nossa casa é obrigatória. VP teria ganho a confiança dos adeptos se tem ganho este jogo.
3º Momento 23/11/2011 – Académica 3 – FCP 0
A Académica, muito bem orientada, vence categoricamente o FCP, num jogo a eliminar. É o adeus à taça e uma exibição vergonhosa.
4º Momento 23/12/2011 – FCP 0 – Zenit 0
Não conseguiu vencer nenhuma vez ao APOEL, mas chega à última jornada a depender apenas dele. Jogo decisivo no Dragão a encerrar a fase de grupos. O Porto jogava em casa e precisava de ganhar para se manter na Champions. O Zenit é uma boa equipa mas o nulo é injustificável.
5º Momento 7/01/2012 – SCP 0 – FCP 0
Em igualdade pontual com o SLB, o FCP não podia perder pontos em Alvalade para se manter na liderança. Mais um jogo decisivo e… empate.
6º Momento 29/01/2012 – Gil Vicente 3 – FCP 1
Já com o Benfica isolada na liderança com 2 pontos de vantagem, não perder pontos até ao clássico era fundamental. Além disso o Benfica tinha perdido pontos em Barcelos e uma vitória eram 2 pontos conquistados ao rival. Exibição vergonhosa e nem os erros “habituais” de Bruno Paixão justificam a derrota. Mau demais.
7º Momento 16/02/2012 – FCP 1 – M. City 2
Eliminatória muito difícil. O City tem grande equipa. Mas no Dragão pedia-se mais. Uma boa primeira parte e o desaparecer depois do intervalo. Responsável?
8º Momento 22/02/2012 - M. City 4 – FCP 0
Vitor Pereira disse que não acreditava em magia. Depois do resultado no Dragão a eliminatória ficou sentenciada. Exigia-se atitude e carácter para limpar um poço a face de uma época europeia desastrosa. Resultado: Goleada… para o City.
Aproximam-se mais dois momentos decisivos. Feirense no Dragão para chegar ao clássico a depender dele próprio e Benfica na Luz. Depois do historial de VP tenho duvidas…

Ainda poderia falar das opções tácticas (Maicon a lateral como primeira opção), da “fuga” de jogadores importantes nas últimas épocas: Belluchi, Guarin e Fucile… do desparecimento durante maia época de Sapunaru e do cada vez mais egoísta Hulk… mas ainda quero acreditar.
Força Porto
A. Mendes

Mário Pinto disse...

Este VP deve ser débil mental e ainda quer fazer de nós atrasados!!! Dizer que jogámos bem e que não mereciamos perder sequer é de otário!

Efectivamente jogámos bem os 1ºs 20min, excluido a paragem cerebral do Otamendi. De resto levámos uma lição. O Hulk foi o mais esforçado. JAMES, onde andou? E o LUCHO? Álvaro Pereira, volta que estás perdoado! O ALex Sandro pode ser muito bom, mas não foi hoje que o mostrou. Aliás, nas poucas aparições que teve, deu mais a sensação que o quisemos para foder o benfas.

O MANCINI é italiano, o VP não sabia como jogam estas equipas? De forma cinica?... Ou VP vai para o Sta Clara. Se não fazes boa figura frente ao benfas...

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Numa eliminatória, frente a uma equipa com potencialidades superiores, só uma réplica perfeita poderia alterar o rumo dos acontecimentos.

O FC Porto actual, demonstrou uma vez mais, não ter «estofo» para discutir a nível externo. Se não foi capaz de se qualificar na Champions, num Grupo em que era o favorito...

O jogo de Manchester mostrou uma equipa pouco solidária, que teve mais posse mas não a soube gerir. Caso para dizer muita parra e pouca uva.

Erros primários ditaram os números da eliminatória: 6-1! Humilhante.

Esta equipa é a imagem do seu treinador. Não consigo manter a confiança num elemento que tudo o que fez foi destruir o trabalho da época passada.

Não me conformo com domínio de jogo aparente. O FC Porto jogou o que o Manchester deixou. Este treinador não serve.

Um abraço

Fábio Daniel Ferreira disse...

vejam e sigam o blogue

www.ofuteboldeumamador.blogspot.com